sábado, 16 de dezembro de 2017

O ESTATUTO DO NATAL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


• ARTIGO PRIMEIRO
Que a estrela que guiou os Reis Magos para o caminho de Belém guie-nos também nos caminhos difíceis da vida.
• ARTIGO SEGUNDO
Que o Natal não seja somente um dia, mas 365 dias...
• ARTIGO TERCEIRO
Que o Natal seja um nascer de esperança, de fé e de fraternidade.
PARÁGRAFO ÚNICO
Fica decretado que o Natal não é comercial e sim espiritual.
• ARTIGO QUARTO
Que os homens, ao falarem em crise, lembrem-se de uma manjedoura e de uma estrela, que, como bússola, apontem para o Norte da Salvação.
• ARTIGO QUINTO
Que, no Natal, os homens façam como as crianças: deem-se as mãos e tentem promover a paz.
• ARTIGO SEXTO
Que haja menos desânimos, desconfianças, desamores, tristezas... E mais confiança no Menino Jesus.
PARÁGRAFO ÚNICO
Fica decretado que o nascimento do Deus Menino é para todos: pobres e ricos, negros e brancos.
• ARTIGO SÉTIMO
Que os homens não sigam a corrida consumista de "ter", mas voltem-se para o "ser", louvando o Seu Criador.
• ARTIGO OITAVO
Que os canhões silenciem, que as bombas fiquem eternamente guardados nos arsenais, que se ouça os anjos cantarem Glória a Deus no mais alto dos céus.
PARÁGRAFO ÚNICO
Fica decretado que o Menino de Belém deve ser reconhecido por todos os homens como Filho de Deus, irmão de todos!
• ARTIGO NONO
Que o Natal não seja somente momento de festas e presentes.
• ARTIGO DÉCIMO
Que o Natal dê a todos um coração puro, livre, alegre, cheio de fé e de amor.
• ARTIGO DÉCIMO-PRIMEIRO
Que o Natal seja um corte no egoísmo. Que os homens de boa vontade comecem a compartilhar, cada um no seu nível, em seu lugar, os bens e conquistas da civilização e cultura da humildade.
• ARTIGO DÉCIMO-SEGUNDO
Que a manjedoura seja a convergência de todas as coordenadas das ideias, das invenções, das ações e esperanças dos homens para a concretização da paz universal.
PARÁGRAFO ÚNICO
Fica decretado que todos devem poder dizer, ao se darem as mãos: - Feliz Natal!
 

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

CEIA DE NATAL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Uma semana antes do natal a mãe liga para a casa da filha e do filho que moravam em Nova York e, com uma voz muito triste, ela desabafa:
- Filha, eu lamento estragar o seu natal, mas já não aguento mais. O seu pai está insuportável. Eu vou me separar dele, antes que ocorra algo de mais grave entre nós.
- Mãe, como assim se divorciar?! Vocês estão casados há cinqüenta anos! Você e o papai são o casal mais feliz que eu conheço. A semana passada eu liguei para a senhora e a senhora disse que estava tudo bem. O que aconteceu mãe?
- Filha, eu lamento... Eu não queria lhe incomodar com isso, mas já não suporto mais. Avise o seu irmão. Amanhã eu vou pegar as minhas coisas e vou para a casa da sua tia Alice.
- Mãe! Não faça nenhuma loucura! Eu e o meu irmão estamos indo para aí imediatamente. Antes de a gente chegar, não tome nenhuma atitude da qual a senhora venha a se arrepender. Vamos conversar em família. Tenho certeza que tudo ficará bem, ok?
- Certo, filha, vou esperar por vocês...
Ambas desligaram os telefones.
A mulher vira-se para o lado e diz:
- Meu velho, deu certo! As crianças vão estar aqui para a nossa ceia de Natal. 

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

O QUE A BÍBLIA DIZ PARA O NATAL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
EXTRAÍDO DO INFORMATIVO "AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS"

A Bíblia não informa a data do nascimento de Jesus nem diz que devemos comemorar seu aniversário. A Cyclopedia de McClintock e Strong comenta: "A observância do Natal não foi divinamente instituída, nem se origina do NT [Novo Testamento]".
Na realidade, uma análise da história do Natal revela que essa celebração se origina de rituais religiosos pagãos. A Bíblia mostra que, se tentamos adorar a Deus de um modo que ele não aprova, nós o ofendemos (Êxodo 32:5-7).
História de alguns costumes natalinos:
· COMEMORAÇÃO DO ANIVERSÁRIO DE JESUS
Os primeiros cristãos não celebravam o nascimento de Cristo porque consideravam a comemoração do aniversário um costume pagão. - Enciclopédia Delta Universal.
· DIA 25 DE DEZEMBRO
Não existem provas de que Jesus tenha nascido nessa data. É provável que líderes da Igreja tenham escolhido essa data para coincidir com festas pagãs realizadas no solstício de inverno ou por volta dele.
· TROCA DE PRESENTES, BANQUETES E FESTAS
A obra The Encyclopedia Americana diz: “As saturnais, festa romana celebrada em meados de dezembro, forneceram o modelo para muitos costumes festivos do Natal. Dessa celebração, por exemplo, derivam-se os banquetes suntuosos, a troca de presentes e a queima de velas.”
A Encyclopædia Britannica observa que “todo trabalho e negociações eram interrompidos” durante as saturnais.
· LUZES DE NATAL
De acordo com a The Encyclopedia of Religion (Enciclopédia da Religião), os europeus decoravam suas casas “com luzes e sempre-verdes de todos os tipos” para celebrar o solstício de inverno e combater espíritos maus.
· VISCO E AZEVINHO
Em muitos países, essas plantas geralmente são usadas em decorações de Natal. “Os druidas atribuíam propriedades mágicas ao visco. O azevinho sempre-verde era adorado como uma promessa de que o Sol retornaria.” - The Encyclopedia Americana.
· ÁRVORE DE NATAL
Cultuar árvores, ato comum entre os europeus pagãos, sobreviveu à conversão deles ao cristianismo.” Um exemplo atual disso é o costume de “colocar uma árvore de natal na entrada ou dentro da casa durante as festividades em meados do inverno”. - Encyclopædia Britannica.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

A ORIGEM DE PAPAI NOEL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Véspera de Natal, quase meia noite...
O garotinho acorda e vai para o quarto dos seus pais. Quando entra, se depara com o vizinho deles, um coroa barbudo, transando com a sua mãe. Ao ver a cena, o garoto começou a gritar:
- O papai, não é! O papai, não é! O papai, não é!
Refeito do susto, o "Vovô-Ricardão" imediatamente veste a sua roupa (vermelha, claro) e, para calar a boca do guri, lhe dá um presente que tinha comprado para o filho dele.
Desse dia em diante, todas as vezes que era véspera de Natal, o garotinho, na esperança de ganhar novo presente, corria para a casa do vizinho e começava a gritar:
- O papai, não é! O papai, não é! O papai, não é!
Ao ouvir os gritos da criança, o velhote saía de dentro de casa e mais uma vez dava um "cala-boca" ao pestinha!
Vendo o que acontecia de bom com o garoto, seus amiguinhos passaram a imitá-lo!
E assim, no mundo todo, “Papai, não é” virou “Papai Noel”, sinônimo de velhinho que dá presentes.
Ah, antes que esqueça... 
- EU NÃO SEI ONDE FICA A CASA DE PAPAI NOEL!