sexta-feira, 28 de julho de 2017

O PADRE E A COLHER

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O padre foi a um jantar na casa de um casal que frequentava a sua igreja. Depois que ele saiu, a esposa disse ao marido:
- Eu acho que o padre roubou a nossa colher...
Esse ocorrido a incomodou durante todo o ano. No ano seguinte, o casal teve outro jantar com o padre. Incapaz de resistir, a mulher perguntou:
- Padre, o senhor ficou com a nossa colher, ano passado?
Ele respondeu:
- Não, eu a deixei dentro da sua Bíblia.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

A AFRICANA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um homem muito rico e prepotente foi até um bar em Miami. Assim que entrou, ele notou uma mulher africana (negra), sentada em um canto.  Ele foi até ao balcão, tirou a carteira e gritou:
- Barman, estou a comprar bebidas para todos neste bar, exceto para aquela mulher negra ali...
O empregado do bar recolheu o dinheiro e começou a servir bebidas grátis a todos no bar, exceto para a mulher africana.
Em vez de ficar chateada, a mulher negra simplesmente olhou para o tipo e gritou:
- Obrigada!
Isto enfureceu o homem rico. Então, mais uma vez, ele tirou a carteira e gritou:
- Barman, desta vez eu estou comprando garrafas de vinho e comida adicional para todos neste bar, exceto para aquela africana sentada ali no canto!
O garçom recolheu o dinheiro do homem e começou a servir comida grátis e vinho para todos no bar exceto para a africana.
Quando o empregado acabou de servir a comida e as bebidas, a mulher africana simplesmente sorriu para o homem e disse:
- Obrigada!
O homem ficou furioso, inclinou-se sobre o balcão e perguntou ao barman:
-  O que há de errado com aquela mulher negra? Comprei comida e bebidas para todos neste bar, exceto para ela, e em vez de ficar zangada, ela senta-se ali, sorri para mim e grita "Obrigada!". Ela está louca?!
O barman sorriu para o homem rico e disse:
- Não, ela não é louca; ela é a dona deste estabelecimento.
Que os nossos inimigos trabalhem, sem saber, a nosso favor.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

O VERDADEIRO AMOR

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um senhor de idade chegou num consultório médico para fazer um curativo em sua mão, onde havia um corte profundo. E, muito apressado, ele pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso inadiável.
O médico que o atendia, curioso, perguntou o que ele tinha de tão urgente para fazer.
O simpático velhinho lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa, que estava em um abrigo para idosos, com estágio muito avançado do Mal de Alzheimer.
O médico lhe perguntou:
- Quer dizer que hoje ela ficará muito preocupada com a sua demora?
No que o senhor respondeu:
- Não, já faz muito tempo que ela não sabe mais quem eu sou...
O médico voltou a questionar:
- Para que tanta pressa e necessidade em estar com ela todas as manhãs, se ela já não te reconhece mais?
O velhinho, então, deu um largo sorriso e, batendo de leve no ombro do médico, respondeu:
- Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei muito bem quem ela é!