segunda-feira, 29 de julho de 2013

ELES NÃO MERECEM RESPEITO!

Texto de Aloisio Guimarães

Diversos grupos, de várias tendências, constantemente, estão promovendo manifestações e passeatas no sentido de serem ouvidos, de serem respeitados e terem o seus direitos reconhecidos.
O que o país assistiu na última Marcha das Vadias, realizada na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, deixou a todos perplexos!
Foi degradante as encenações feitas, utilizando a imagem da "Nossa Senhora como objeto sexual, quando uma "vadia" usou a cabeça da imagem da santa para a prática da masturbação, à vista de todos, num comportamento de "vadia"... Se isso não bastasse, após dois filhos da puta quebraram os crucifixos e as imagens de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Fátima, uma "vadia" pegou o que sobrava de uma cruz, colocou camisinha e a enfiou no ânus de seu parceiro de encenação.
A mídia quase nada criticou sobre as ofensas dirigidas ao cristianismo, a menos que a grande maioria da mídia seja formada por ateus! Chamar esse pessoal de "manifestantes", é o fim da picada!
Os pais dessas "moças" devem estar orgulhos porque as suas filhas sabem como lutar para serem respeitadas e tiveram uma enorme coragem em desafiar a Deus e seus milhões de seguidores que estavam presentes em Copacabana.
Eu pergunto:
- Como é que eles querem ser respeitados, se não respeitaram nem a imagem de Jesus Cristo, de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Fátima?



FOTOS: LIA FERREIRA/VERO

ÁGUA DE COCO

Texto de Carlito Lima
   
Ao completar 45 anos, Luciana, bela mineira de Belo Horizonte, solteira, engenheira ambiental, sensível, preocupada com o bem estar comum, deu-lhe uma viagem de presente, veio conhecer o Nordeste. Primeiramente aterrizou em Maceió. No Hotel Ponta Verde, do seu quarto olhou o mar azul turquesa com matizes verdes, a praia de areia branca cheia de coqueiros, sentiu calor na alma, sensação de bem estar, de amor, de paixão pelo que via; amor à primeira vista.
Eram quatro horas da tarde, vestiu um biquíni composto à família mineira, desceu à praia, caminhou por meia hora, como se estivesse tomando posse do local, encantada com a beleza, disse para si mesma, aqui é meu lugar. Retornou andando à beira mar, os pés massageando na areia molhada. Deu um mergulho, a água morna envolveu seu corpo, ela sentiu uma estranha sensação afrodisíaca.
Entardecia, no calçadão tomou água de coco, sentou-se em um banco. O Sol se pondo no fim do mundo, Luciana envolta num sentimento de paz contemplou o céu alaranjado.
No Hotel conheceu um grupo de turista, convidaram para uma volta noturna na cidade. Noitada agradável na casa de dança Burguenvíllia, conheceu um moreno cinquentão, contumaz frequentador daquela casa onde se divertem os solteiros descolados. Oscar Ferretti, figura polêmica, diz-se petista, maior orgulho ter sido preso dois dias durante da ditadura, vive de boa aposentadoria e conversas fantasiosas, encanta, diverte qualquer roda, entretanto, tem uma vida cheia de atropelos, quatro casamentos desfeitos, Oscar se intitula caçador de turista nas noitadas maceioenses. Luciana caiu em suas garras, acordou-se em seus braços no apartamento no edifício Cote D’azur.
Os dois passaram três semanas e meia de amor, Luciana deixou para conhecer o Nordeste em outra ocasião, Oscar deslumbrou-se com as mãos mágicas da parceira, excelente massoterapeuta.
Nas horas vagas do amor, faziam turismo nas praias, Luciana, católica praticante, ficou fascinada com as igrejas, o Museu de Arte Sacra, a cidade barroca e histórica de Marechal Deodoro. As férias acabaram, nossa amiga voltou à Belô, muitas lembranças, contou às amigas suas aventuras em terras caetés.
Algum tempo depois, semana santa, retornou. Luciana com muito gás, charme da mulher mineira, só pensava em curtir as praias, os belos coqueiros, tomar água de coco olhando o azul do mar. Telefonou para Oscar, o pilantra deu uma desculpa esfarrapada, na verdade estava em assistência a uma rica turista norueguesa. Luciana não se comoveu, percebeu, sua paixão não era o homem, sua paixão era aquela cidade tropical, suave brisa permanente. Passou a semana sem carinho na cama, contudo, satisfeita da vida, estava em sua terra adotada.
Todas as férias, feriadões, Luciana não perde Maceió. Conhece toda biboca, tem amigos na terra, frequentadora do Orákulo, do Caldinho do Vieira, sem esquecer o Bunguenvilia. Outros namorados aconteceram.
Em dezembro tirou metade de sua licença prêmio, alugou um apartamento mobiliado, viveu três meses em Maceió. Brindou o réveillon da Ponta Verde, muitos fogos, dançou ao ar livre, divertiu-se contemplando o primeiro dia do ano amanhecer.
Acordou-se depois do meio-dia, foi à varanda do apartamento, bocejou, se estirou, preguiça no corpo, deu-lhe vontade de tomar água de coco.
Desceu à praia, pediu um coco ao rapaz, ele cortou com rapidez fantástica, Luciana ficou impressionada com a perícia do jovem e o corpo moreno musculoso brilhando com o suor e os pingos da água.
Ela sentou-se no banco frente ao mar, puxou conversa. A alegria, a juventude, o físico do jovem Sebastião, o vendedor de coco, encantou a mineira. Luciana retornou ao entardecer, conversaram, Tião contou parte de sua vida divertida, ela pediu para levar 10 cocos em seu apartamento quando ele acabasse o trabalho. Eram nove da noite, Luciana recebeu Sebastião, o jovem colocou 10 cocos descascados na cozinha, ela convidou para sentar, ele sentou, ela convidou para fazer uma massagem, transaram.
Luciana, feliz da vida, viciou-se em coco verde. O jovem Tião abastece sua amiga.  Maceió e água de coco são os verdadeiros amores da bela mineira.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

LEI SÊCANAGEM

Texto de Nivo

• Se você for com seus filhos, noras, genros e netos almoçar fora, no domingo, e tomar 1 ou 2 chopps ou 1 ou 2 copos de cerveja, no almoço, e for parado numa blitz, você paga uma multa de R$ 1.960,00, tem a carteira cassada por um ano, o carro apreendido e vai preso.
• Se você comer 1, 2 ou 3 bombons, tomar remédio para a tosse ou tomar homeopatia e for parado numa blitz, você paga uma multa de R$ 1.960,00, tem a carteira cassada por um ano, o carro apreendido e vai preso. No entanto, se você se drogar. Se fumar maconha, cheirar cocaína ou fumar crack, ficar doidão e for parado numa blitz, nada vai acontecer.
• Se você roubar, assaltar, estuprar, atropelar ou matar alguém, com um bom advogado, o máximo que vai acontecer é você esperar o julgamento em liberdade ou se for condenado ir para o regime semiaberto.
Ah! Um detalhe: se você tiver menos de 18 anos, completos, aí você roubar, assaltar, estuprar até matar, que não tem problema, você não pode ser preso porque é menor.
• Já se você roubar milhões de reais do povo ou dos cofres públicos, várias coisas podem acontecer: vai passar 15 dias num resort na Bahia em companhia da amante; vai ser empossado deputado federal; vai ser eleito presidente do Senado; vai se eleger deputado ou senador; vai ser nomeado ministro ou para um alto cargo no Governo; ou até mesmo ser eleito presidente da República.
Parece piada, mas não é. Este é o Brasil, o país da Corrupção, da Impunidade e da Incoerência. E viva os nossos deputados, os nossos senadores e os nossos governantes e principalmente o povo capacho que aceita tudo calado, não se revolta e ainda vota neles.
- Há mais mistérios entre o céu e a Terra do que supõe a nossa vã filosofia (Sheakespeare, em Hamlet).
- A primeira condição para modificar a realidade consiste em conhecê-la (Eduardo Galeano).
- O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e as pessoas idiotas estão cheias de certeza (Bukowski).
Além de tudo isso, lamentavelmente, segundo dados estatísticos do IBGE/MEC há no Brasil, 110 milhões de eleitores, adultos maiores de 25 anos, que não concluíram o primário.
Esperar o que, em que votam?
Ninguém que não seja maluco concorda que alguém dirija embriagado, mas estas blitz que parecem operações de guerra (aqui, em Maceió, tem soldados de metralhadora em punho) e o limite “zero” são coisas desta republiqueta de quinta categoria, ora dirigida por este bando de comunistazinhos de décima categoria, sob as vistas de um povinho de vigésima quinta categoria.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

POSTO DE SAÚDE DE CAJUEIRO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Lamentavelmente, este é um retrato verdadeiro das condições de saúde no interior do Brasil.
Médico tem...
Faltam leitos, remédios, macas, equipamentos médicos, hospitais de apoio...
E um salário digno!


O dinheiro que querem gastar com médicos cubanos poderia muito bem melhorar as condições de atendimento dos médicos brasileiros no interior do Brasil.
Imagina agora esse "moderno e equipado" Posto de Saúde com um médico cubano, atendendo, em espanhol, o matuto nordestino...

quarta-feira, 24 de julho de 2013

SENSAÇÃO TÉRMICA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Com esse frio de "lascar o cano", o termo "sensação térmica" está em evidência.
- Por que a sensação térmica é sempre citada?
Porque ela nos apresenta uma sensação de temperatura sempre maior do que a temperatura real. Assim, por exemplo, a temperatura em um determinado local pode ser de 5ºC, mas a velocidade do vento faz com que, na rua, a temperatura seja equivalente a 0ºC. Ou seja, a sensação gérmica não é a temperatura real, mas é aquela que sentimos na nossa pele.
Os fatores que influenciam na intensidade da sensação térmica são vários. Entre eles, a velocidade do vento é o principal. 
A sensação térmica pode ser determinada pela fórmula matemática, empírica:

onde: ST é a sensação térmica procurada; 
          v é a velocidade do vento, em km/h;
          T é a temperatura em graus ºC.
Caso preferir, o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) disponibiliza uma tabela que permite encontrar a Sensação Térmica, sem a necessidade de efetuar cálculos, veja:
A tabela a seguir mostra qual a sensação térmica de acordo com as condições do vento e da temperatura registrada pelos termômetros meteorológicos. Por exemplo: com ventos de 2 m/seg (ou 7 km/h, ou 4 nós) e temperatura, marcada pelo termômetro, - 6ºC, a sensação térmica (a temperatura que "nosso corpo sente") é de - 7ºC.


Pronto! Agora, você já pode sentir frio ou calor, mas com cultura.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

O PORTUGUÊS E SUAS VARIAÇÕES

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
 

Lembrando também que a região glútea (bunda) lá se chama cu.
Assim, quando a mãe diz que vai aplicar uma injeção na nádega do rapaz diz:
- Vou aplicar uma pica no cu do puto.
E se for uma palmada numa criança  fala:
- Meto-te cinco dedos no cu, canalha.
E o pessoal preocupado com o trema, hífen...

sábado, 20 de julho de 2013

AMIGO É PARA ESSAS COISAS

Texto de Carlito Lima

- Meu marido é um crápula, um pervertido!
Com essa estonteante declaração Ritinha me contou seu drama. Fiquei surpreso e comovido. Ela abaixou a cabeça, chorou batendo os cotovelos na mesa. Estávamos ao ar livre no Bar Celona. Ninguém percebeu o desespero de minha amiga, era cedo, boca da noite, início da boemia, havia pouca gente nas mesas. Ao se recuperar, Ritinha, mais calma, contou sua história. Tinha necessidade, precisava desabafar, contar sua tragédia. Carecia de ombro e amparo, essa a razão do encontro marcado, somos amigos de velha data.
Depois de sete anos de casada, Ritinha intuitiva, desconfiou de Rodrigo, seu marido, havia diminuiu a procura de amor, chegava tarde, cansado, há tempo ela não gemia em seus braços, não tinha as carícias daquele homem bonito, peito cabeludo, bom na cama.
Um mês jejuando amor, Rita não se conteve, contratou um investigador. Mandou seguir o marido, forneceu fotos, roteiros e costumes do Rodrigão.
Audálio, o detetive não teve muita dificuldade em descobrir as peripécias do investigado. Com quinze dias marcou encontro com a cliente em seu escritório para mostrar o relatório das averiguações. Foram momentos dramáticos, emotivos, surpreendentes, ao ouvir o relato e ver fotografias, provas inequívocas, vários encontros amorosos durante uma quinzena de investigação. Fotografias claras, Rita se chocou, ficou pensativa ao perceber meninas de programa entrando no carro de Rodrigo.
Não acreditou quando Audálio esclareceu pormenores, aquelas garotas eram travestis. As fotos não mentiam, Rodrigo gosta, tem tara por travesti, é sua fantasia.
O mais trágico, o que mais entristeceu, arrasou minha amiga, foram fotos do marido entrando de carro em motéis. Sua companhia era, nada mais nada menos, seu dileto amigo, auxiliar, pau-para-toda-obra, o administrador da fazenda, o jovem Cicinho.
Conversou pouco com o detetive, não quis entrar em mais detalhes, ofendida, humilhada, pagou os serviços de Audálio. Abalada, trêmula, emocionada, desceu o elevador, dirigiu-se ao estacionamento, entrou no carro, fechou o  vidro, danou-se a chorar, raiva e mágoa nas  entranhas do peito. Custou a se recompor, respirou fundo, acalmou-se, retornou à sua casa, esperou o marido.
Rodrigo ao entrar teve a grande surpresa. Ritinha sem conseguir falar, atirou em seu peito o envelope,  as fotografias reveladoras se espalharam no chão.
Rodrigão olhou a primeira foto ficou vermelho de vergonha, seu corpo tremeu. Botou a cabeça entre as mãos, chorou como menino, só sabia dizer: “Me perdoe, me perdoe Ritinha”.
A tensão ficou alta, fortes emoções, Rita encarava o marido, copo de uísque na mão, falava baixo, viado, não acredito, meu marido é viado...
Depois de algum tempo, muito choro e algumas doses de uísque,  se acalmaram. O gaúcho se abriu, confessou tudo a Ritinha, gostava de homem desde a adolescência no Rio Grande do Sul, sua paixão verdadeira era o administrador, jovem Cicinho. Amava-a também, gostava dos carinhos das noites de amor, enfim era bissexual. Rita não aceitou sequer ele dormir em casa, Rodrigo foi para um hotel, dias depois comunicaram a separação ao filho único morando no Rio, não explicaram o motivo.
Esta infeliz história, Rita contou-me com muita emoção naquela noite, sem perder o humor, lamentou-se:
- Um homão tão másculo e bonito, que desperdício!
Ao terminar o relato, desabou a chorar, deitou sua cabeça em meu ombro, pediu que lhe abraçasse. Não resisto aos pedidos, às lágrimas de uma frágil e bonita mulher, um ser carente precisa de ombro. Dei-lhe aconchego. Sou homem de coração mole. Amigo é para essas coisas.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

POVOS E COSTUMES

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

A norueguesa Marte Deborah Dalelv, há quatro meses, denunciou que foi estuprada em Dubai, Emirados Árabes.
Segundo a legislação do local, o estuprador somente é condenado se ele confessar o crime ou for pego em flagrante, no ato, por 4 testemunhas do sexo masculino.
Segundo o site norueguês VG, no dia em que fez a denúncia, ela foi alvo de gozações das autoridades, que teriam perguntado a ela se "estava fazendo a denúncia por não ter gostado do sexo".
Agora, além da queda, o coice: ela foi condenada a 16 meses de cadeia por transar fora do casamento e por perjúrio. Como nos Emirados Árabes é proibido consumir bebida alcoólica, ela também foi considerada culpada por ter ingerido bebida alcoólica na noite em que foi estuprada.
Espen Barth Eide, ministro das Relações Exteriores dela receberá todo apoio necessário durante o processo de apelação.

SURUBA TEM REGRA: NINGUÉM É DE NINGUÉM!

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
O caso a seguir aconteceu em Bela Vista de Goiás, é antigo, mas surpreendente e vale a pena ler de novo...
Tudo começou quando Luziano Costa da Silva e o seu amigo José Roberto de Oliveira começaram a tomar umas cachaças. Lá pelas tantas, como estava cheio de cana e "cu de bêbado não tem dono", Luziano foi enrabado pelo seu "amigo". Não satisfeito, José Roberto, levou a sua própria mulher, Ednair Alves de Assis, e o Luziano até uma construção no Parque Las Vegas e, depois de fumarem maconha, ele obrigou os dois a ficarem nus e a transarem, dizendo que queria fazer uma suruba. Depois de ver Luziano "traçar" a sua mulher, José Roberto, mais uma vez, terminou enrabando o Luziano.
Ofendido na sua honra, Luziano entrou na Justiça, acusando o "amigo" de ter praticado contra ele “ato libidinoso diverso da conjunção carnal”, alegando que estava bêbado e não pôde se defender.
Nas idas e vindas do processo, ele acabou no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, que publicou o acórdão sobre o caso, de forma insólita e inédita, quando decidiu que não há crime, já que a suposta vítima teria concordado em fazer sexo grupal; e o homem que, por vontade própria, participar de uma sessão de sexo grupal e, em decorrência disso, for alvo de sexo passivo, não pode declarar-se vítima de crime de atentado violento ao pudor.
Leia a reportagem abaixo:

 

quinta-feira, 18 de julho de 2013

NÃO É SÓ PELOS 20 CENTAVOS...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
 
Uma menina muito bonita e pobrezinha conheceu  um rapaz jovem, rico, bonito, ético, que conseguiu bons empregos para os seus  irmãos, comprou uma casa para sua mãe e a levava para viajar e aproveitar o melhor da vida.
Casaram-se, mas um mês depois do casamento, a filha volta para casa da mãe dizendo que iria se  separar.
- Mas minha filha como assim? Um rapaz tão bom, meu genro perfeito!
 - Mamãe, fico com vergonha de lhe contar, mas é  que .. É que...  Ele que fazer sexo anal todo santo dia; pela manhã, pela tarde e de noite... Umas 10 vezes ao dia e eu não aguento mais!
- Minha filha, tem homem que curte essas coisas  mesmo. O que é esse pequeno defeito perto de tudo que ele faz por você, do que ele faz por nós?
 - Mamãe, quando a gente casou, o meu ânus parecia uma moedinha de 5 centavos; hoje, já parece um moedão de 25 centavos...
 - Tenha dó, minha filha! O cara fez tudo pela gente e você vem até aqui, querendo também protestar por causa de 20 centavos!
MORAL DA  HISTÓRIA
Só briga por 20 centavos, quem toma no cu todos os  dias!

quarta-feira, 17 de julho de 2013

COISAS DA RELIGIÃO...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Os jovens libaneses Rabih, um sunita de 39 anos, e Rudeina, uma drusa de 19 anos, começaram a se relacionar por meio do Facebook e terminaram se casando, em cerimônia acontecida no início do mês, mesmo contrariando a família dela, que não queria o casamento, uma vez que o casamento entre drusos e não drusos é muito raro e proibido por esta comunidade.
Depois de casados, os irmãos dela, furiosos com a união do casal, resolveram levar sua fúria ás última consequência: bolaram o plano da falsa reconciliação entre eles e atraíram Rabih para uma armadilha fatal. Depois de o espancarem e arrancarem seus dentes, eles cortaram o pênis do rapaz.
Os dois agressores escaparam e Rabih foi levado ao hospital. A sua família denunciou "um crime imperdoável e odioso".

domingo, 7 de julho de 2013

PARA MIM, NÃO FOI SURPRESA...

Texto de Aloisio Guimarães

Quem "beijou a lona" não foi o brasileiro. Quem foi vergonhosamente nocauteado foi o Anderson Silva, um lutador desinteressado, prepotente, que se julgava invencível, que não respeitou o seu adversário, os seus fãs (coisa que nunca fui) e nem os seus patrocinadores.
Quis fazer história, imitando o lendário Cassius Clay, o "Muhammad Ali", e terminou caindo do cavalo... Se não quer mais lutar, se não queria mais lutar, que porra ele foi fazer lá?
Para mim, não foi nenhuma surpresa...
Parabéns a Chris Weidman que, com sua humildade e competência, é o verdadeiro campeão!

sábado, 6 de julho de 2013

PROGRAMA DE RÁDIO AO VIVO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Durante um programa da Rádio Globo, uma repórter entrevista as pessoas nas ruas, sobre as comemorações do Dia de Iemanjá que é celebrado no dia 2 de fevereiro.
A resposta de uma das entrevistadas é surpreendentemente imoral, deixando todo mundo atordoado.
O programa é do começo do ano e somente agora é que o seu áudio vazou na internet.
ATENÇÃO: Desaconselhável para menores e pessoas sensíveis.

 

DICA:
LIGUE O SOM E CLIQUE NO QUADRADO, EMBAIXO, LADO DIREITO, PARA AUMENTAR A IMAGEM E DEPOIS  "ESC" PARA VOLTAR AO NORMAL.
 

quinta-feira, 4 de julho de 2013

CABRA MACHO DA GOTA SERENA!

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Luiz Costa de Oliveira tem 90 anos e mora em Campo Grande no Rio Grande do Norte. Era casado com Maria Francisca, com quem teve 17 filhos. Mas quis a fatalidade que ela morresse e o deixasse tomando conta das crianças, morando numa casa humilde no sertão nordestino.
- Deus quis levá-la e assim foi, mas me deixou 17 filhos.
O tempo passou e ele conheceu outra Francisca: Maria Francisca da Silva. Casaram e tiveram mais 17 filhos.
- Com esta outra Francisca, também tive mais 17 filhos - confirma Luiz Costa.
Acontece que durante a gestação da Maria Francisca, a sua sogra, Francisca Maria, começou a frequentar a sua casa, para cuida da filha, durante as suas gestações. Conversa vai, conversa vem, Luiz Costa se amigou com a sogra:
- A gente foi se conhecendo e tive mais 13 filhos.
Se isso não bastasse, a sua cunhada Ozelita Francisca da Silva (haja "Francisca"!) também começou a frequentar a sua casa, agora para cuidar da sogra-esposa do Luiz. Não deu outra, disse Luiz:
- Fizemos 15 filhos.
Paquerador incorrigível e insaciável, ele ainda arranjou 3 amantes, com quem teve outros 7 filhos!
Ele diz que não deixa "a peteca cair" e por isso é casado com as três mulheres (a esposa, a sogra e a sua cunhada), com quem teve 45 filhos, Somando toda a sua prole, incluindo as amantes, ele tem 69 filhos (apenas 38 estão vivos), 100 netos e 60 bisnetos. A filha mais nova de seu Luiz tem 13 anos, o mais velho, 54.
- A gente vive aqui na minha casa, pequena, com quarto, sala, cozinha e banheiro, sem muito conforto, mas dá para fazer amor. Quando eu faço amor é sempre na mesma casa, no mesmo quarto. Tem espaço para todas. Para fazer amor não tem hora nem lugar, basta querer.
Liz conta que vive com a mulher em uma casa e mantém a cunhada e a sogra numa outra próxima e que tenta distribuir seu tempo para dar assistência às duas casas.
- Antes eram as três mulheres juntas. Mas como são muitos filhos, meu pai conseguiu comprar uma casa mais nova e deu para a minha tia - disse Cosme da Silva Costa, 18 anos, um dos filhos.
Ele disse que sabe o nome de todos os seus 69 filhos, mas que tem horas que a memória não ajuda:
- Se eu vejo pessoalmente, eu sei quem é a mãe e o nome vem na cabeça.
 Já com relação aos nomes dos seus 100 netos, é muito complicado:
- É muita gente, mas é gostoso. O nome dele quem sabe são os pais.
Os sete filhos que teve com as outra 3 mulheres, fora dos casamentos, ele não tem muito contato:
- Eu sei onde moram, onde estão as mães, mas não temo muito convívio.
Segundo ele, a sua vitalidade tem segredo:
- Não bebo, não fumo, me alimento bem e durmo melhor ainda.
De vez em quando elas brigam, com ciúmes uma das outras, mesmo sendo mãe e filhas. Além disso, a fama de "bom marido" atrai a atenção das outras mulheres:
- A gente passa e as mulheres ficam olhando. Não sou assim tão bonito com dizem, mas tenho as minhas qualidades.
Cabra macho!