quarta-feira, 30 de outubro de 2013

PROVA COM PALAVRÃO

FONTE: UOL

Uma prova de Português que foi aplicada aos alunos da 4ª série da Escola Luiza Batista de Souza, escola fundamental em Rio Branco, Acre, causou a maior polêmica e revolta nos pais das crianças.
Em uma das questões da prova, era exibida a seguinte tirinha da Turma da Mônica, que tinha sido alterada para a elaboração da questão. Veja e julgue.

No texto original, que foi modificado, Magali responde "- O que sobrar".
Diante da indignação dos pais, a professora Francisca Ermina declarou que o erro teria ocorrido durante a revisão da prova pela coordenação. Segundo ela, a funcionária que elabora a prova teria se enganado ao colocar a expressão na tira. Entretanto, mesmo após ver o erro, não viu maldade no uso da expressão

terça-feira, 29 de outubro de 2013

UMA CARTA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Texto escrito pelo comediante George Carlin, após a mote da sua esposa. Reflita na eloquência de suas palavras: 

O paradoxo do nosso tempo é que temos edifícios mais altos e temperamentos mais reduzidos; estradas mais largas e pontos de vista mais estreitos; gastamos mais, mas temos menos; compramos mais, porém desfrutamos menos; temos casas maiores e famílias menores; maiores comodidades e menos tempo; temos mais graduações acadêmicas, porém menos sentido comum; maior conhecimento, porém menor capacidade de discernir; mais especialistas, porém mais problemas; melhor medicina, porém menos bem estar, bebemos demais, fumamos demais!
Desperdiçamos demais, rimos pouco; dirigimos rápido demais, nos irritamos demais. Nos é revelado muito, mas amanhecemos cansados; lemos pouco, vemos muito televisão e oramos raramente; temos multiplicado nossas posses, porém reduzimos nossos valores; falamos muito, ouvimos muito pouco, amamos menos ainda e odiamos frequentemente!
Temos aprendido a ganhar a vida, mas não para viver; acrescentamos anos à nossa vida, mas não vida aos nossos anos; temos ido à lua, mas é cada vez mais difícil atravessar a rua e encontrar o nosso vizinho.
Conquistamos o espaço exterior, porém não o nosso interior; temos feito grandes coisas, porém não as melhores; temos limpado o ar, porém contaminamos nossas almas; dominamos o átomo, mas não nossos preconceitos.
Escrevemos mais, porém aprendemos menos; planejamos mais, porém realizamos menos; temos aprendido a apreciar, porém não sabemos espera; produzimos computadores que processam mais informações, porém nos comunicamos cada vez menos.
Estes são tempos de comidas rápidas e digestão lenta. São tempos de homens de grande estatura e com falta de caráter! De enormes ganâncias econômicas e relações humanas superficiais.
Existem duas fontes de renda, porém mais divórcios; casas mais luxuosas, mas muitos lares desfeitos.
São tempos de viagens rápidas, fraldas descartáveis; moral descartável em uma noite, corpos obesos! E pílulas que fazem de tudo: alegrar, acalmar e até matar.
São tempos de janelas que se abrem para lugar nenhum! Tempos em que a tecnologia pode fazer chegar esta carta até você! E você pode optar por compartilhar estes pensamentos ou simplesmente excluí-los.
Lembre-se de passar algum tempo com seus entes queridos, pois ninguém estará aqui para sempre. Recorde-se agora de quem o admira, porque essa pessoa tão logo poderá estar longe de você. Lembre-se de abraçar quem você ama, porque esse é um tesouro que você pode dar, sem nenhum custo. Lembre-se de dizer “eu te amo” ao seu parceiro e aos seus entes queridos, mas acima de tudo, fazê-lo sinceramente.
Um beijo e um abraço podem curar uma ferida, quando se é dado com toda a alma.
Dê-se tempo para amar e conversar, compartilhando suas mais preciosas ideias. E sempre recorde:
A vida não se mede pelo número de vezes que respiramos, mas sim pelos extraordinários e importantes momentos que vivemos em plenitude.
George Carlin.

O DUELO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A TURMA DO CAROÇO

Texto de Aloisio Guimarães

O engenheiro agrônomo e escritor Luiz Ferreira da Silva, alagoano, após 35 anos militando profissionalmente no sul do país, retornou para a sua terra natal e está editando o livro "TRIBUTO À ANTIGA ESCOLA PÚBLICA" (capa e orelhas abaixo), resgatando as suas memórias do tempo que fazia parte da chamada "Turma do Caroço" do Colégio Estadual de Alagoas, no período 1951-1957.
Para o lançamento da sua obra, contando os "causos" vividos neste período de sua  adolescência,  está à procura de seus antigos colegas e amigos. Para tanto, solicita a ajuda de todos para este fim. Dentre seus colegas da época de colégio, cita: Marcos Vinícius, Dackson Rosa e Silva, Dilton Rosa e Silva, Manoel Bilu Neto, Sátyro Marques, Reinaldo Cavalcante, Miguel Virgílio, Wagner, José Reinaldo, Manoel Almeida, Leopoldo Alipang, João Lopes Ferreira, Jaime...
Assim, caso você conheça ou é parente de alguém que estudou no "Estadual", entre os anos 1951 e 1957, peça para entrar em contato com:
Luiz Ferreira da Silva
Skype: luizferreiradasi ou luizferreira1937.




quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O PETRÓLEO NÃO É MAIS NOSSO!

Texto de Aloisio Guimarães

Os brasileiros mais velhos, inclusive deputados, senadores, a presidenta Dilma e seus ministros, se lembram muito bem da emocionante campanha "O Petróleo é nosso", que tomou conta do Brasil, em defesa do petróleo que estava sendo descoberto no território brasileiro e ao mesmo tempo estimulando o patriotismo nacional.
O principal foco daquela campanha foi o de não permitir a participação do capital estrangeiro na exploração do petróleo, importante recurso natural e vital a qualquer país do mundo, à época, recém descoberto no Brasil.
Os debates sobre o tema foram tão acirrados que a criação da Petrobras foi um dos resultados concreto da vitória dos nacionalistas, que agiram em defesa da soberania nacional sobre o chamado "ouro negro".
Esta semana foi realizado o leilão para a exploração do Campo de Libra, a monumental jazida de petróleo descoberta na camada pré-sal em nosso país. Neste leilão, apenas um consórcio participou e ganhou, com preço mínimo, o direito de explorar o referido campo.
O consórcio vencedor é formado pela brasileira Petrobras (40%), a anglo-holandesa Shell (20%), a francesa Total (20%), a chinesa CNPC (10%) e a outra chinesa CNOOC (10%).
Uma análise menos apurada dos números acima, para quem não entende de economia (o meu caso), demonstra claramente que a participação do capital nacional na exploração do Campo de Libras é minoritária, de apenas 40 % (Petrobras) contra os 60% das empresas estrangeiras (Shell, Total, CNPC e CNOOC).
E ainda mais, apenas 41,65% do óleo extraído serão destinados ao Brasil, confome contrato!
Por isso pergunto:
- É ou não é a privatização estrangeira do nosso petróleo?
- Estão ou não mandando às favas a soberania nacional?
Não venham querer justificar, alegando que o Brasil vai ganhar bilhões de reais com o tal leilão: seria o mesmo que aceitar ser um corno porque o Ricardão vai pagar todas as contas!
Para quem viveu e vibrou com o "petróleo é nosso", estão cometendo um crime contra nosso país.
Para mim, ficou provado que a chamada "Privataria Tucana", criticada e explorada pelos petistas, não passe de "óleo queimado", um produto de valor insignificante, em comparação com que eles estão fazendo!

O COMETA DO SÉCULO

Texto de Aloisio Guimarães
 
As agências espaciais ESA (europeia) e NASA (americana) divulgaram uma imagem captada pelo telescópio espacial Hubble do cometa Ison, mostrando que o seu núcleo continua sólido, pequeno e íntegro. Se tivesse se partido - uma possibilidade considerada pelos astrônomos - o telescópio teria provavelmente identificado evidência de múltiplos fragmentos.
O cometa Ison, descoberto em setembro de 2012 por dois astrônomos russos, foi apelidado de "cometa do século" diante das previsões à respeito do seu intenso brilho, que atingirá o ápice no dia 28 de novembro, quando ele passará pelo Sol, a uma distância não muito maior do que um milhão de quilômetros da superfície do sol. Se sobreviver a esta passagem e não se desintegrar, Ison deverá se afastar do Sol ainda mais brilhante do que antes e provavelmente iluminar os céus da Terra em janeiro de 2014.
Algumas previsões indicavam que ele poderia aparecer tão grande como a Lua Cheia para quem vê da superfície da Terra, mas isso depende de sua passagem pelo Sol.
É aguardar para ver...

domingo, 20 de outubro de 2013

MAIS MÉDICOS...

FONTE: UOL

Um médico argentino que atua em Tramandai (RS) pelo programa Mais Médicos está sendo investigado pelo Cremers (Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul) por supostamente ter prescrito uma dose exagerada de antibiótico a um paciente.
A denúncia partiu de uma foto da receita que circulou pelo Twitter no fim de semana. A imagem mostra o carimbo com o nome de Juan Pablo Cajazus e o número PPM 38128, junto à prescrição de 500 mg de azitromicina a cada oito horas. Segundo os autores do post, trata-se de uma superdosagem capaz de matar o paciente.

Segundo o presidente do Cremers, Fernando Weber Mattos, um processo de sindicância será aberto para investigar a conduta do médico.
"Vamos abrir uma sindicância no sentido de apurar o que existe de verdadeiro sobre essa denúncia da rede social. Esse médico foi liberado por nós no dia 19 de setembro para trabalhar em Tramandaí atendendo a solicitação do Ministério da Saúde", disse.
O Ministério da Saúde disse nesta terça-feira (15) que enviou um médico supervisor vinculado ao programa para avaliar a atuação do profissional sobre o que chamou de "dose possivelmente inadequada de um antibiótico".

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

DORMINDO NA MISSA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Os pais levam o filho de oito anos e a sua irmãzinha de sete anos para a igreja. Eles se sentam na primeira fila, para que o menino possa apreciar bem a missa.
Mas, meninos de oito anos não costumam gostar de igreja, principalmente esse, e ele adormece no meio do sermão.
O padre nota isso e decide dar-lhe um susto, fazendo, em voz alta, uma pergunta direta para ele:
- E você, meu menino, diga quem foi que criou o céu e a terra?
A irmã do guri espeta um alfinete na bunda do menino que acorda de sobressalto e grita de dor
- Meu Deus!
- Muito bem, meu filho - diz o padre.
Todo mundo olha para o menino...
Instantes depois, o menino volta a dormir e o padre vê que precisa acordá-lo outra vez e pergunta, novamente em voz alta:
- E me responda agora, quem foi o filho de Maria e José?
A menina volta a enfiar um alfinete na bunda do menino, que acorda e diz bem alto:
- Jesus!
O padre percebe o que aconteceu, mas não pode dizer nada. O povo presta ainda mais atenção no menino... A resposta está correta!
Mas logo depois o menino cochila novamente e o padre pergunta:
- O que disse Eva para Adão quando eles acordaram após a primeira noite juntos?
Antes que a irmãzinha pudesse dar-lhe outra alfinetada, o menino berra:
- Se você enfiar esse negócio na minha bunda novamente, eu te arrebento!
Foi beata desmaiando para todo lado!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

ENQUANTO ISSO, NO CONFESSIONÁRIO...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


Uma mulher, muito gostosa, entra na igreja, vai direto ao confessionário e confessa os pecados:
- Senhor Padre, eu tenho pecado muito: estou transando com o seu colega padre da cidade vizinha!
Depois de ouvir a declaração dela, o padre, muito zangado, dispara:
- Como penitência, reza 50 Ave Maria e 50 Pai Nosso...
E, antes da moça sair, ele completa:
- Filha, nunca mais esqueça: a sua paróquia é esta daqui, viu?

domingo, 13 de outubro de 2013

MANIFESTO MASCULINO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Conclamo todos os homens brasileiros para nos unirmos e reivindicarmos a aplicação real do Princípio da Igualdade e da Isonomia que está contido na nossa Carta Magna.
Vamos lutar para a criação da Delegacia do Homem em todas as cidades do país, nos mesmos moldes das já existentes delegacias da Mulher, do Idoso e da Criança e do Adolescente. Na Delegacia do Homem poderemos nos queixar das agressões que sofremos das nossas mulheres, das pragas de sogras, das mal criações das filhas e dos ataques das vizinhas. A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco tem estatísticas incríveis sobre a quantidade de homens que são agredidos por suas mulheres, sobretudo nos bairros da periferia. Essas agressões geralmente acontecem com os companheiros exercendo seu saudável estado de embriaguês e são espancados bêbados, numa covardia inominável.
Briguemos pelo direito de sermos chamados de “gostoso” nas ruas, de termos a ventura de sentirmos uma mulher passar a mão na bunda da gente e de sermos estuprados por um trio de garotas jovens, num mato, num quarto ou numa beira de praia, assumindo o público compromisso de não nos queixarmos quanto a isso.
Batalhemos pela ascensão profissional das nossas mulheres, a fim de que elas passem a ter renda superior à nossa, de tal modo que possamos requerer pensão alimentícia em caso de separação.
E, no caso de ter a companheira uma renda de alto nível, batalhemos pelo direito de ficarmos no sagrado recesso do lar, exercendo as tarefas de dono-de-casa, com a competente assessoria de uma boa empregada.
Que façamos brotar um tempo onde a mulher abra a porta do carro, pague a conta no restaurante, escolha o motel, insista na cantada quando estivermos hesitando, tome a iniciativa de nos garanhar no carro e nos diga com os olhos brilhando: “Já estou molhada e de grelo duro…”.
Por fim, companheiros, nos unamos pelo sagrado direito de brocharmos e termos ejaculação precoce sem sermos alvos de jacotas, estatísticas, cobranças ou ameaças. Briguemos pela manutenção com altivez do lema:
- Enquanto eu tiver língua e dedo, mulher não me bota medo.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

O VELHO E O BAÚ

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um homem, viúvo e idoso, vivia sozinho. Mesmo tendo trabalhado muito durante sua vida, agora já não podia trabalhar mais e o dinheiro estava no fim. Tinha três filhos homens, mas, já casados, estavam ocupados demais com suas famílias e quase não tinham tempo para visitá-lo. Sentia-se cada vez mais fraco e as visitas dos filhos eram cada vez mais espaçadas. “Eles não querem que eu me converta num peso para eles” - pensava.
Certa noite, preocupado pelo seu futuro, teve uma ideia. Na manhã seguinte chamou um amigo carpinteiro, e pediu-lhe que lhe fizesse um baú imitando os antigos baús de tesouro, com uma fechadura também de estilo antigo. Depois foi visitar outro velho amigo que era vidreiro e lhe pediu todos os pedaços de vidro que não lhe servissem. O ancião quebrou mais ainda os pedaços de vidro, encheu o baú com eles, fechou-o e o colocou no fundo do armário da cozinha onde guardava pratos, talheres, etc…
Um dia, em que seus filhos vieram jantar com ele, quando o ajudavam a pôr a mesa, descobriram o baú e lhe perguntaram:
- O que há neste baú?
- Nada - respondeu - apenas umas coisinhas que andei economizando…
Depois da janta, ao ajudarem o pai a recolher a mesa, perceberam que o baú era muito pesado e que ao mexer com ele se ouvia um barulhinho como de moedas.
- Deve estar cheio de moedas que foi economizando durante muitos anos – murmuraram entre si.
Decidiram, então, que deveriam vigiar aquele baú e para isso se organizaram para que cada semana um dos irmãos fosse viver com o pai, dessa maneira também poderiam cuidar dele. Na primeira semana ficou com ele o filho mais novo, na semana seguinte foi a vez do filho do meio e assim por diante, continuando assim por bastante tempo.
Finalmente, o pai adoeceu gravemente e morreu. Os filhos organizaram um belo enterro, pois sabiam que os esperava uma fortuna no baú do armário da cozinha, que compensaria todo aquele gasto.
Depois do enterro, os três irmãos procuram por toda a casa, a chave do baú e quando a acharam, abriram-no e descobriram que estava cheio de cacos de vidro.
- Que trapaça tão feia! - exclamou o filho mais velho.
- Eu não diria que foi tão feia assim, mas, ao contrário, uma bela trapaça – corrigiu o segundo filho - francamente, se não tivesse feito isso, não teríamos cuidado dele até o fim de sua vida, como fizemos…
O filho mais novo sentia-se muito triste:
- Estou envergonhado - disse - obrigamos nosso pai a fazer essa trapaça, porque não o tratamos como ele nos ensinou quando ainda éramos crianças…
Então, o filho mais velho esvaziou o baú no chão, para ter certeza de que não continha nenhum objeto de valor. Mas, no fundo do baú havia uma inscrição:
 QUINTO MANDAMENTO: HONRAR PAI E MÃE”. 

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

TRISTE BRASIL

Texto de Humberto de Luna Freire Filho

Um país onde um presidente analfabeto recebe titulo de Doutor Honoris Causa de várias universidades.
Um país onde um presidente analfabeto promove reforma ortográfica na língua portuguesa.
Um país onde um presidente eternamente bêbado decreta lei seca.
Um país onde um presidente tentou desarmar a população de bem, quando simultaneamente comandava um bando de ladrões.
Um país onde uma quadrilha já condenada a prisão subjulga a Suprema Corte.
Um país onde a desmoralização da Justiça no mínimo traz insegurança jurídica com a contradição entre duas cortes federais relacionada a embargos infringentes.
Um país que possui a única petroleira do mundo que quanto mais vende mais prejuízo tem, fruto de dez anos sob a administração de incompetentes e corruptos.
Um país onde um banco de fomento, BNDES, financia a iniciativa privada, a juros subsidiados, dirigida por bandidos da pior espécie, porém amigos do rei.
Um país onde roubo do erário se chama "mal feito", talvez em homenagem a George Orwell, e uma contribuição ao seu projeto da novilíngua.
Um país onde ministro demitido por roubo escolhe seu substitutos e continua, lá dos porões, comandando a roubalheira: leia-se Ministério dos Transportes.
Um país onde magistrados, quando são flagrados roubando, recebem como punição uma aposentadoria compulsória com salários integrais.
Um país que tem presidente de fato e presidente de direito interligados por um mordomo, travestido de ministro, que circula na cozinha do Palácio do Planalto.
Um país onde direitos humanos são prerrogativas de bandidos, o que institucionaliza a inversão de valores.
Um país onde a cúpula dirigente beija as botas de ditadores e ainda lhes perdoa altas dívidas, em detrimento dos brasileiros que morrem de fome e sede no Nordeste.
Um país onde o que seria oposição se vende por valor acima do que vale.
Um país onde um "corajoso" ministro da defesa fica de quatro para um exportador de cocaína, que vasculhou sua aeronave em viagem oficial.
Um país onde, para ser ministro a condição sine qua non é ter a ficha suja, sinônimo de experiência para não serem flagrados nos atos do mau ofício.
Um país em cujo congresso 60% dos nobres responderam ou respondem a processo administrativo ou na justiça.
Um país que tem como presidente de uma das Casas um corrupto que já renunciou ao mandato para não ser cassado.
Um país que a cada dia cria um novo ministério para abrigar o chorume que escorre do poder Legislativo e promete de pés juntos ser fiel à vontade do Executivo.
Um país cujo Congresso mantém um gabinete em penitenciária para um nobre presidiário.
Um país cuja atual presidente propõe, em fórum internacional, um código de ética para espionagem, levando o povo brasileiro ao ridículo diante do mundo.
Um país cuja força aérea teve suas bases transformadas em praça de taxi para atender políticos e ministros corruptos.
Um país que, através de falsos programas de inclusão social, há dez, anos compra votos no pobre substrato eleitoral, mantendo os atuais corruptos dirigentes no poder.
Um país onde a maior parte da imprensa foi comprada pela publicidade oficial superfaturada.
Um país onde se pinta o asfalto para resolver os problemas do trânsito, como está ocorrendo na nossa maior cidade, hoje comandada pelo poste que destruiu o MEC.
Um país onde as minorias já ditam regras para a maioria, estimuladas por um governo corrupto que desagrega a sociedade para melhor dominar.
Um país onde falta gente de coragem e sobram covardes, além dos imorais subservientes.
Um país que hipocritamente canta direitos humanos e contrata escravos cubanos para trabalhar sem salários onde nem condições de trabalho existem.
Um país governado por um bando de incompetentes que quando faltar comida vai contratar cozinheiros.
Um país onde eu não gostaria de ter nascido, porque não sou analfabeto, não sou corrupto nem covarde.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

PROGRAMA "MAIS JUIZES"

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

UMA "SENHORA" IDEIA:

Devido ao longo tempo necessário para o judiciário julgar os casos de corrupção, por uma evidente falta de juízes, a presidenta poderia agir como fez com os médicos:
Contratar juízes estrangeiros, dispensando-os do Exame de Ordem e do Exame de Admissão à Magistratura.
Seriam ótimos os juízes chineses, japoneses, árabes, que até cobram as balas para fuzilamento de condenados, cortam as mãos de ladrões, etc.
E mandá-los para as regiões mais carentes como Brasília, Maranhão, Ceará, Alagoas, para avaliar os gastos da Copa, mensalões, dinheiro na cueca, verbas e demais desvios, dos quais Lula e Dilma nunca sabem de nada.
O que acha da ideia?

sábado, 5 de outubro de 2013

MENINOS, EU VI

Texto de Rubens Mário
PROFESSOR E ADMINISTRADOR DE EMPRESAS


Na quarta-feira da semana passada, antes de resolver algumas coisas no centro da cidade, resolvi ir ao estádio “Rei Pelé” assistir ao primeiro jogo da decisão do nosso campeonato de juniores. Confesso que fui, movido pela curiosidade de verificar como andava a qualidade dos nossos jovens jogadores, já que, devido à falta de estrutura do nosso futebol, esses jovens só são vistos pelas torcidas nessas finais de campeonato.
Ao chegar e me posicionar ao lado de alguns amigos frequentadores dos treinos do CRB, com o jogo já em andamento, comecei a me inquietar e me decepcionar com o que começara a assistir. Alguns atletas do CRB que, inclusive, já jogaram no time profissional, não conseguiam se destacar perante os demais; mesmo com o nosso time um pouco superior, não me entusiasmei muito com o que estava vendo. Essa decepção com os jovens que estavam jogando, era plenamente justificável. Sei que com o advento da lei Pelé, os nossos meninos mais talentosos são levados sem a aquiescência dos clubes, bem antes dos 15 anos de idade! Porém, no caso do CRB, o clube deveria ter um cuidado bem maior com as suas categorias de base, escolhendo melhor as pessoas que irão preparar os nossos futuros jogadores profissionais. Com o futebol bastante competitivo de hoje, onde a força física se sobressai, fiquei impressionado com a compleição física raquítica dos nossos atletas. Acredito que nessa nova fase que se iniciará no próximo ano, com bons campos de treinos para os amadores, a direção fará uma reformulação nesse departamento.
Gostaria de aqui comentar o que vi os meninos fazendo dentro do campo de jogo, também na segunda partida, mas, infelizmente, passo agora a relatar o que eu e os demais espectadores do futebol não gostaríamos de ter visto os meninos fazendo fora dele.
Meninos eu vi, ou, eu vi meninos, na mais tenra idade, dos dois sexos, usando entorpecentes, com os uniformes da gangue vermelha – eu estava do lado do CRB; vi crianças do sexo feminino, com aspectos e gestos mundanos, deixando às mostras, a ausência da família, a maioria com uma euforia anormal, acompanhadas de outros jovens mais calejados, da mesma facção. Com os cânticos imorais e ameaçadores de ambos os lados se acirrando, comentei com os meus amigos torcedores que uma tragédia se anunciava e que eu dali á poucos minutos iria me retirar! O que mais me chamava à atenção era que os baderneiros juvenis, não assistiam ao jogo, pois eles ficavam o tempo todo correndo de um lado para o outro, tais quais animais selvagens enfurecidos, tentando se confrontar, a todo custo, como os outros que estavam do outro lado e vice versa, até que um bando dos delinquentes azuis conseguiram, facilmente, vir ao encontro dos marginais vermelhos, e protagonizarem uma guerra de pedras. Foi a partir desse momento que eu e uma grande quantidade de pessoas civilizadas, dos dois lados, começamos a sair apressadamente, tentando fugir da batalha campal prenunciada nas ruas circunvizinhas ao estádio e nos transportes coletivos. Soube depois, que tudo aquilo que nós temíamos, aconteceu e vitimou pessoas de bem que, por acaso, trabalhavam nas redondezas ou seguiam nos ônibus das linhas do Trapiche.
Como punição aos torcedores das duas agremiações, os quais, já tinham sido vítimas no primeiro confronto, eles foram impedidos de comparecer ao segundo jogo. Essa decisão dos organizadores, lembra-nos àquela que contam, que o marido tomou, ao flagrar a mulher transando com o outro em cima do seu sofá, e, como punição, jogou o móvel na rua.
Na verdade, todos - polícias, Ministério Público, políticos, justiça, direção dos clubes, “família”, imprensa, e etc. - sabem quem são os comandantes, ou aliciadores dos delinquentes vermelhos e azuis, afinal, eles não se escondem de ninguém! Quem passa pela rua do sol ou pela Sá e Albuquerque, observa uma legião de desocupados, aglomerados! O mais grave é que nesses covis se misturam crianças com adultos desvirtuados.
Infelizmente, tanto essa modalidade de violência, quanto a outra vivenciada por toda a sociedade, têm as suas gêneses, pela ordem: na negação da educação pública básica, na destruição da família, na corrupção generalizada, e, na impunidade, também generalizada.
Ao contrario da magistral obra do genial, Chico Buarque de Holanda (meninos, eu vi), onde ele termina dizendo aos meninos, que viu um homem ser feliz, nesse humilde texto, com, a retirada do vocativo, eu afirmo que vi meninos nos fazerem infelizes.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O FILHO DO PADRE

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

A barriga do padre crescia cada vez mais. Descartada a hipótese de cirrose, os médicos concluíram por uma cirurgia exploratória, já que não havia razão para aquilo. A cirurgia foi realizada e mostrou que era mero acúmulo de líquidos e o problema foi sanado.
Os acadêmicos de medicina resolveram aprontar uma: quando o padre estava acordando da recuperação pós-cirúrgica, eles colocaram um bebê em seus braços.
O padre, espantado, perguntou o que era aquilo e os rapazes disseram que era o que ele tinha na barriga. Passado o espanto e tomado de ternura, o padre abraçou a criança e não quis mais se separar.
Como se tratava de um filho de mãe solteira que morrera durante o parto, os rapazes envidaram todos os esforços para que o padre ficasse com a criança. Os anos passaram e a criança, apresentada à comunidade como filho adotivo do padre, se transformou num homem que se formou em medicina.
Um dia o padre, já velhinho e sentindo que estava chegando sua hora de partir, chamou o rapaz e disse:
- Meu filho, tenho o maior segredo do mundo pra te contar, mas tenho medo que fiques chocado.
O rapaz, que já havia intuído de que se tratava, disse compreensivo:
- Já sei... Adivinhei há muito tempo; o senhor vai me dizer que é meu pai biológico.
- Não... - disse o padre, emocionado - Sou sua mãe; o seu pai é o bispo!

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

PEGA-LADRÃO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Os ladrões de Brent, na Inglaterra, estão virando marcianos: a polícia está usando o Smart Water, um produto químico, sem odor, invisível e difícil de limpar, que cobre os larápios com uma coloração verde semipermanente.


A invenção já ajudou em prender Yafet Askale, um ladrão de carro, que foi pego pela polícia quando tentou roubar um carro e foi atingido pelo spray do produto químico. Colocado contra luz ultravioleta, ele estava coberto pela tintura verde, apesar de negar o roubo.
O sistema está sendo colocado nas casas e carros da cidade, para identificar e ajudar na prisão dos ladrões.
A armadilha vem dando tanto resultado que os roubos em ruas diminuíram 40% e os assaltos em 80%.