sábado, 31 de maio de 2014

O ESCORPIÃO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um renomado Mestre oriental viu que um escorpião estava se afogando e decidiu tirá-lo da água, mas, quando o fez, o escorpião o picou. Instintivamente, pela reação de dor, o Mestre soltou o animal, que caiu de novo na água. E, quando o escorpião estava se afogando de novo, o mestre tentou tirá-lo novamente e, mais uma vez, o animal o picou.
Um discípulo, que estava observando, se aproximou do Mestre e lhe disse:
- Desculpe-me, Mestre, mas você é teimoso! Não entendes que, todas as vezes que tentar tirá-lo da água, ele irá picá-lo?
Então, o Mestre respondeu:
- A natureza do escorpião é picar e isto não vai mudar a minha, que é ajudar...
Então, com a ajuda de uma folha, o Mestre tirou o escorpião da água e o salvou. Depois, olhando para seu discípulo, ensinou:
- Não mude a sua natureza, se alguém te faz algum mal; apenas tome precauções.
PENSE NISSO!

VIVA A LÍNGUA PORTUGUESA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O brasileiro, que estuda muito pouco, vive dizendo que o Português é um idioma complicado.
Vamos provar agora que isto não é verdade. Assim, leia em voz alta:
- Três bruxas olham para três relógios Swatch. Qual bruxa olha para qual relógio Swatch?
E agora, leia, em inglês (idioma endeusado por todo mundo):
- Three witches watch three Swatch watches. Which witch watch which Swatch watch.
Fácil, não? Você deve ser um especialista no assunto...
Então, sabichão, desata esse nó, lendo em voz alta:
- Três bruxas suecas e transexuais olham para os botões de três relógios Swatch suíços. Qual bruxa sueca transexual olha para qual botão de qual relógio Swatch suíço?
E agora, repita, também em voz alta, a tradução para o inglês:
- Three Swedish switched witches watch three Swiss Swatch watch switches. Which Swedish switched witch watch which Swiss Swatch watch switch?
Conseguiu?
Não?!
Então, amigão, vá estudar e pare de dizer que a nossa Língua Portuguesa é complicada!

sexta-feira, 30 de maio de 2014

A FALTA DE FÉ

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

Em uma região muito seca, o povo implorava tanto por chuva que pediu ao padre para rezar uma missa.
O padre negou firmemente, alegando que o povo não tinha fé. Entretanto, após muita pressão da comunidade, o padre aceitou rezar tal missa.
No dia e hora marcados, todos os habitantes compareceram na igreja. Porém, antes de iniciar a missa, o padre passeou entre os fiéis e, voltando ao altar, falou:
- Não haverá mais missa, vocês não têm fé!
O político do local retrucou, dizendo:
- Todos nós temos fé e, como prova, a igreja esta cheia!
Aí, o padre questionou:
- Então, por que foi que ninguém trouxe um guarda-chuva?

quinta-feira, 29 de maio de 2014

A VERDADEIRA BANDA LARGA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Você sabia que uma simples transa ou "conexão humana" é a mais completa, rápida e prazerosa transmissão de dados que existe?
- Não?!
Então, agora você vai ficar sabendo...
Para que você entenda a explicação, primeiro é necessário saber como é que funcionam as chamadas “potências de 10”:
Tenho certeza que, de agora em diante, você saberá o que o homem está falando, quando comentar com os amigos: 
- O meu computador tem 80 Gigas de memória!
Voltando ao assunto...
É comprovado cientificamente que:
• Há 100 milhões de células de esperma em um mililitro.
• Os dados genéticos de um corpo humano contêm 75 megabytes.
Desta forma, um espermatozoide transmite 37.5 megabytes de dados, visto que a outra metade é do óvulo.
Tais comprovações científicas nos leva ao seguinte raciocínio lógico, até prova em contrário:
Vamos supor que, em média, uma ejaculação, contendo 2.25 mililitros de esperma, dure 5 segundos. Em outras palavras, supor que uma gozada dure 5 segundos. Logo, podemos deduzir que a largura de banda larga ou transmissão de dados em um ato sexual será de:
(37.5 x 1.000.000 x 100.000.000 x 2,25):5 = 1.687.500.000.000.000
Você viu só que resultado espetacular? O pênis transmite 1.687.500.000.000.000 bytes por segundo! É a mesma coisa que enviar 1.687,5 terabytes por segundo, pelo pênis!
De agora em diante, não se espante quando um homem falar para você:
- O meu pau tem 1.687.500 Gigas!
É isso mesmo, garanhão, um milhão seiscentos e oitenta e sete mil e quinhentos gigas! Isto significa dizer que não existe computador capaz de fazer isso; apenas o pênis do homem! 
E é por tudo isso que essa "transmissão de dados" não é mole!

quarta-feira, 28 de maio de 2014

EM CLIMA DE COPA

Texto de Carlito Lima

Comprei, bandeira para estendê-la na varanda, calção azul, sandália, cueca, além da camisa amarela da seleção brasileira. É aquela história, não acredito em bruxas, mas, que existem, existem! Assistirei aos jogos do Brasil com o mesmo calção, camisa, cueca. O Mundo de olho no Brasil. Recentemente em Buenos Aires dei uma palestra, no final o assunto foi a Copa do Mundo, todos queriam saber como estão os preparativos, se é verdade o clima de violência e outras notícias. Minimizei os problemas, uma boa imagem do Brasil no exterior é importante. Torço e tenho certeza, a Copa no Brasil será bem organizada e alegre, apagará essa imagem negativa, sou um patriota otimista que nem o Policarpo Quaresma, incorrigível.
Fanático por Copa do Mundo, a minha primeira foi em 1950, menino, 10 anos, chorei naquele domingo fatídico, o Brasil precisava apenas de um empate, fez 1x0, terminou perdendo, 2x1 para o Uruguai, campeão dentro do Maracanã, uma tragédia. 
Em 1954 na Suíça, a maior lembrança vem do jogador Puskas da Hungria, dínamo daquela seleção que assombrou o mundo com goleadas espetaculares, na final deu-se o milagre de Berna, Alemanha foi campeã, perdendo de 2x0, virou o jogo, 3x2. Puskas era capitão do Exército, em 1956 houve a Revolução Húngara, revolta espontânea contra o governo comunista da Hungria. Depois de anunciar a disposição de negociar a retirada das forças soviéticas, a União Soviética mudou de ideia, entrou em Budapeste esmagando a resistência armada. Puskas exilou-se na Espanha, tornou-se o melhor jogador do Real Madrid de todos os tempos.
Em 1958, eu estudava na Escola de Cadetes de Fortaleza, acompanhei pelo rádio a fascinante seleção que acabou com complexo de cachorro vira-lata do brasileiro, como disse Nelson Rodrigues. Foi a grande vitória de um conjunto comandado em campo por líderes, Nilton Santos, Didi, Zito. O técnico Vicente Feola teve a felicidade em escalar Pelé e Garrincha, no terceiro jogo, por imposição desses líderes, Brasil ganhou a primeira Copa, na Suécia.
Em 1962, no Chile, o Brasil repete, bicampeão mundial, uma final belíssima contra a Tchecoslováquia, Brasil 3x1, eu, tenente servindo na Bahia, comemorei com Ângelo Roberto no Mercado Modelo até o dia amanhecer.
Copa de 1966 o Brasil calçou sapato alto desde a convocação, para valorizar jogadores brasileiros, foram convocados 47. Estreou contra a Bulgária, ganhou 2x0, foi o último jogo do Brasil com Pelé e Garrincha, nunca o Brasil perdeu com os dois jogando juntos. 1966, o maior vexame da história, perdemos para Portugal e Hungria, desclassificado no início, assisti aos jogos pelo rádio, eu servia na 9ª Companhia de Fronteira em Roraima.
Em 1970 o Brasil no México arrasou, um belo tricampeonato, um dos melhores times da história do futebol. Pela primeira vez foi televisionado, assisti em uma simples TV preto e branco, era recém-casado, capitão, servia na 20ª CSM em Maceió.
Em 1974 o Brasil ficou no caminho, pegou o carrossel holandês comandado por Cruyff, nessa época eu havia deixado o Exército, era Prefeito de Barra de São Miguel. Em 1978 na Argentina iniciou a era Zico, mais três copas sem o Brasil ganhar. Para Argentina ser classificada no lugar do Brasil precisava ganhar de 4x0 do Peru, deu de 6x0, foi à final contra a Holanda, ganhou seu primeiro mundial.
Em 1982 o Brasil armou uma das mais brilhantes seleções na Espanha, Sócrates, Zico, Cerezo, Falcão, entre outros, não souberam ganhar.
Em 1986 a Colômbia abriu mão de realizar a Copa, foi para o México, Maradona deu o campeonato para Argentina.
Em 1990 a Itália organizou a Copa, o Brasil um time medíocre, não teve chance, Alemanha campeã, em cima da Argentina, 1x0, gol de pênalti.
Em 1994 o Brasil volta a ser campeão do Mundo, Copa dos USA, com Romário e Bebeto fazendo dupla no ataque, inesquecível o gol de falta de Branco contra a Holanda, classificou o Brasil para final contra a Itália. Ganhamos nos pênaltis.  
1998 na França o Brasil chegou a final, amarelou, perdemos de 3x0 para os franceses.
Em 2002 no Japão eis que o Brasil levanta a taça pela quinta vez, inesquecível o gol de falta de Ronaldinho contra a Inglaterra. 
Em 2006 na Itália e em 2010 na África do Sul fomos medíocres, perdemos.
O Brasil tem uma boa equipe competitiva, resta torcer em 2014. Abaixo a baixa estima! Estou em clima de Copa.

terça-feira, 27 de maio de 2014

A DIETA DO ENGENHEIRO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
 
- Você está cansado de não seguir aquelas dietas muito rigorosas dos nutricionistas e com isso não conseguir emagrecer nada? Os seus problemas acabaram: Você vai conhecer A DIETA DO ENGENHEIRO!
Todo mundo está cansado de saber que nós, engenheiros, somos práticos, inteligentes, brilhantes e objetivos... Portanto, veja que dieta eficaz nós elaboramos para você:
Como você já deve ter estudado Física, então, deve se lembrar muito bem que, pelas Leis da Termodinâmica, uma caloria (1 cal) é a energia necessária para aumentar em 1C° a temperatura de 1g de água.
Diante da definição acima, não é necessário ser nenhum gênio para concluir que, se você beber um copo de água gelada (200ml = 200g), na temperatura de 0°C, necessitará de 200 calorias para aquecer, em 1°C, toda esta água.
Também não é necessário ser inteligente para saber que o nosso corpo deve estar sempre em equilíbrio térmico, porque, caso contrário, estaríamos doentes...
Assim, para ocorrer o equilíbrio térmico, ao ingerir um copo de 200 ml de água gelada, serão necessárias 7.400 calorias (200g X 37°C) para que as 200g de água alcancem os 37°C, temperatura normal do corpo.
E, para manter esta temperatura, você será obrigado a usar a única fonte de energia disponível: a gordura do seu corpo! E o que é que isso significa? Significa que, bebendo água gelada, você queima gorduras, para manter a temperatura do corpo estável. E, queimando gordura, você emagrece!
Agora, que tal unir o útil ao agradável?
Se você beber um copo de cerveja (aproximadamente 400 ml), na temperatura de 0° C, você perderá 14.800 calorias (400g x 37°C).
Vamos ser honestos e não vamos esquecer de descontar as calorias da cerveja, aproximadamente 800 calorias para 400g. Assim, bebendo apenas um copo de cerveja, você perde nada menos do que 14.000 calorias! Quer coisa melhor?
Obviamente, quanto mais gelada for a cerveja, maior será a perda de gordura! E se for na companhia de uma "loira estupidamente quente", nem se fala!

sábado, 24 de maio de 2014

SAIBA ESCOLHER

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um homem de idade entra num restaurante, acompanhado de uma enorme avestruz. A garçonete pergunta o que querem.
O homem pede um hambúrguer, batatas fritas e uma coca e, virando-se para a avestruz, pergunta:
- E você, o que vai querer?
- Eu quero o mesmo - responde a avestruz.
Um tempo depois a garçonete traz o pedido e a conta, no valor de R$ 32,50. O homem coloca a mão no bolso e, sem conferir, tira o valor exato para pagar a conta.
No dia seguinte, o homem e a avestruz retornam e o homem diz:
- Um hambúrguer, batatas fritas e uma coca - então, vira-se para a avestruz - e você, o que vai querer?
- Eu quero o mesmo - responde a avestruz.
De novo o homem coloca a mão no bolso e tira o valor exato para pagar a conta.
Isto se torna uma rotina até que um dia a garçonete pergunta:
- Vão querer o de sempre?
- Não, hoje é sexta e eu quero um filé à francesa, com salada - diz o homem.
- Eu quero o mesmo - respondeu a avestruz.
Após trazer o pedido, a garçonete diz:
- Hoje, a conta é R$ 87,60.
O homem coloca a mão no bolso e tira, sem ao menos olhar, o valor exato para pagar a conta, colocando em cima da mesa.
A garçonete não controla a sua curiosidade e pergunta:
- Desculpe, mas como o senhor faz para ter sempre o valor exato a ser pago?
E o homem responde:
- Há alguns anos achei uma lâmpada velha e quando a esfregava, apareceu um gênio e me ofereceu 2 desejos. Meu primeiro desejo foi que eu tivesse sempre no bolso o dinheiro que precisasse para pagar o que eu quisesse.
- Que ideia brilhante - falou a garçonete - a maioria das pessoas deseja ter um grande valor em mãos ou algo assim. Mas o senhor vai ser tão rico quanto quiser, enquanto viver!
- É verdade, tanto faz se eu for pagar um litro de leite ou uma Mercedes, tenho sempre o valor necessário no bolso - respondeu o homem.
A garçonete perguntou:
- Agora, o senhor pode me explicar a avestruz?
O homem faz uma pausa, suspira e responde:
- O meu segundo desejo foi ter como companhia alguém com uma bunda grande, pernas compridas e que concordasse comigo em tudo!

sexta-feira, 23 de maio de 2014

A COPA EM NÚMEROS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

COISA DE ESTAGIÁRIO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


O LASCADOR DE PEDRAS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

Mogo foi um jovem que viveu na China há muitos anos. Ele ganhava seu sustento lascando pedras e, embora são e forte, não estava contente com sua vida. Queixava-se dia e noite. Tanto reclamou que seu Anjo da Guarda disse-lhe, em sonhos, certa noite:
- Você tem saúde e uma vida pela frente. Você deveria ser agradecido a Deus... Por que reclamas tanto e és tão infeliz?
- Deus foi injusto comigo - disse o rapaz - não me deu oportunidade de crescer...
Com medo que o seu protegido acabasse perdendo a sua vida, o anjo rogou ajuda ao Pai Todo Poderoso. Então, Deus disse ao mensageiro que tudo o que Mogo pedisse lhe seria concedido.
No dia seguinte, Mogo quebrava pedras, quando viu passar uma carruagem com um nobre coberto de joias.
Desejou ser nobre...
Conforme promessa de Deus, ele se transformou em dono de um palácio, com muitas terras, servidores e cavalos.
Certa tarde, passeando feliz porque todos se curvavam à sua passagem, em sinal de respeito, sentiu um calor insuportável. Mogo transpirava como no tempo em que lascava pedras. Deu-se conta de que o sol era maior do que ele e estava acima de príncipes, reis, imperadores e muito mais alto que todos.
- Por que não posso ser o Sol?
Escondendo a sua tristeza, o Anjo da Guarda atendeu seu desejo.
Enquanto brilhava no céu, admirado com seu gigantesco poder de amadurecer as colheitas, um ponto negro avançou em sua direção. A mancha escura ficou à sua frente e ele não podia mais ver a Terra.
- Anjo, eu quero ser nuvem...
E seu desejo foi atendido...
Logo, poderoso, ele escurecia o sol.
- Sou invencível! - gritava.
Mas uma imensa rocha de granito se erguia em meio ao oceano e Mogo achou que a rocha o desafiava, e se transformou em rocha.
Certa manhã, Mogo sentiu uma lança aguda em suas entranhas de pedra. Depois outra... E outra...
- Anjo, socorro! Alguém tem mais poder do que eu. Quero ser poderoso como este ser que está tentando me matar!
Imediatamente, ele foi transformado em um "lascador de pedras", o que era no início!

quinta-feira, 22 de maio de 2014

DISSE TUDO!

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


O DESAFIO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

Num belo dia, o diretor de uma grande empresa propôs um desafio interessante para dois dos seus colaboradores de maior confiança.
Um chama-se José e o outro, Paulo.
- Amanhã, pela manhã, Paulo e José, eu tenho um desafio para vocês. Estou passando 150 gramas de feijão e mais estas botas apertadas. Coloquem metade da porção de feijão em cada uma das botas. Vistam as botas e subam o nosso principal monte da cidade, com mais de 80 metros de altura. O prêmio será uma grande promoção.
Paulo e José seguiram para casa.
No dia seguinte, encontraram o diretor e rumaram para o grande monte. Dada a largada, José logo assumiu a dianteira e chegou rapidamente ao cume do monte, enquanto Paulo ficava pelo caminho.
O chefe, atônito, seguiu na direção de José e perguntou:
- Como é que você conseguiu chegar ao cume do monte, sem nenhuma dificuldade e nenhum ferimento em seus pés, já que a proposta do desafio era subir com 150 gramas de feijão dentro da cada uma das botas ? Como estão os seus pés?
- Estão bem! - respondeu José com um sorriso calmo e feliz.
- Como assim? - indagou o chefe.
- Simples, meu caro diretor, levei o feijão para casa e cozinhei por muito tempo. Em cada uma das minhas botas, estão 150 gramas de feijão bem cozidas...
MORAL DA HISTÓRIA:
Com um pouco de inteligência, você vencerá qualquer desafio!

quarta-feira, 21 de maio de 2014

O CONSULTOR

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

Um consultor de uma grande empresa, muito estressado com o desenvolvimento, não do País, mas do processo de reestruturação em curso, entrou em colapso nervoso e foi ao médico.
Relatou ao psiquiatra o seu caso.
O médico, muito experiente, logo diagnosticou ansiedade, tensão e insegurança.
O médico disse ao paciente:
- O senhor precisa se afastar por duas semanas da sua atividade profissional e de seus clientes. O conveniente é que vá para o interior, se isole do dia-a-dia e busque algumas atividades que o relaxem. O senhor, homem muito bem relacionado, consultor conhecido e badalado, com certeza tem muitos amigos. Dentre eles, deve haver algum que tenha uma fazenda, onde poderá se recolher por duas semanas. Verá que no regresso estará bem melhor.
Então, o consultor procurou seguir as orientações do psiquiatra.
Munido de vários livros, CDs e notebook, mas sem o celular, partiu para a fazenda de um amigo. Lá chegando, foi muito bem recebido pelo administrador da propriedade, que já havia recebido recomendações para tratar o hóspede muito bem.
Passados os dois primeiros dias, o consultor já havia lido dois livros e ouvido quase todos os CDs. Continuava inquieto... Pensou então que alguma atividade física seria um bom antídoto para a ansiedade que ainda o dominava.
Chamou o administrador da fazenda e pediu para fazer algo. O administrador ficou pensativo e viu uma montanha de esterco, que havia acabado de chegar, e disse ao consultor:
- O senhor pode ir espalhando aquele esterco em toda aquela área que será preparada para o cultivo.
E pensou consigo "ele deverá gastar uma semana com essa tarefa". Ledo engano. No dia seguinte, o consultor já tinha distribuído o esterco por toda a área e pediu logo uma nova tarefa.
O administrador, então, lhe disse:
- Estamos iniciando a colheita de laranjas. O senhor vá ao laranjal, levando três cestos para distribuir as laranjas por tamanho: pequenas, médias e grandes.
No dia seguinte, o consultor não retornou. Preocupado, o administrador se dirigiu ao laranjal. A cena que viu foi a seguinte: o consultor estava com uma laranja na mão, os cestos totalmente vazios, falando consigo mesmo:
- Esta é grande? Não, é média... Ou será pequena?
MORAL DA HISTÓRIA:
Espalhar merda é fácil, o difícil é tomar decisões!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

VAMOS TORCER...

Texto de Aloisio Guimarães

Ontem foi o jogo inaugural do "Itaquerão", o campo de futebol do Corinthians, construído para a Copa do Mundo de Futebol.
Não vou entrar no cansativo, e agora já inútil, debate do desperdício de dinheiro em estádios...
Para aqueles que não conhecem São Paulo, o tal estádio fica no bairro de Itaquera - daí o apelido de "Itaquerão" - situado na zona leste da cidade, bairro populoso e relativamente pobre. Até aí, nada demais: ser pobre não significa demérito para ninguém. Acontece que o "Itaquerão" está construído vizinho ao um terminal de metrô, que tem ao lado um enorme espaço do governo do estado de São Paulo (Atendimento ao Cidadão) e o Shopping Center Itaquera.
Não precisa "ter comido merda de cigano" para vislumbrar confusões naquela área, em dias de jogos, principalmente dentro do shopping center, ocasionadas por guerra de "torcidas organizadas" (que muitos chamam de "marginais organizados"), e/ou por bebedeira na sua Praça de Alimentação, antes ou depois dos jogos.
Pois bem, ontem, após o final da partida - Corinthians 0 x 1 Figueirense, com recorde de renda - torcedores corinthianos foram barrados de entrar no shopping center, gerando um princípio de tumulto e confusão - até com porta quebrada - diante da ofensa sofrida por eles.
A coisa cresceu tanto que ficou na base do "quem está fora não entra e que está dentro não sai"...
Depois de muita confusão e bate-boca, as pessoas que estavam dentro do shopping conseguiram sair e o bafafá somente acabou quando os portões automáticos fecharam definitivamente o shopping, antes do seu  horário normal.
Outra coisa que é exageradamente previsível (e espero que nunca aconteça) é que as "arenas" construídas para o grande evento futebolístico se transformem em "verdadeiras arenas", com brigas generalizadas, no gramado, entre as "organizadas". É muito fácil prever tudo isto por um fato muito simples: ao invés da FIFA exigir estádios adequados à cultura do nosso país, ela exigiu estádios com "padrão europeu", sem o tradicional fosso, que impede a invasão de campo. Como eu não acredito em Papai Noel, também não acredito que meia dúzia de gatos pingados de seguranças consiga frear a animosidade existente entre os torcedores, durante os acirrados jogos Flamengo x Vasco, Palmeiras x Corinthians, Cruzeiro x Atlético, Grêmio x Internacional, Náutico x Santa Cruz...
Vamos torcer...

COMPRO BATERIA DESCARREGADA

Texto de Aloisio Guimarães

Quando estive em São Paulo, no mês passado, resolvi atender à insistência de minha mulher e fui até à badalada Rua 25 de Março comprar um smartphone, para instalar o tal de WhatsApp. Não fui procurar na Rua Santa Efigênia - paraíso dos eletrônicos - porque também precisava comprar "outras porcarias" para casa.
Não foi necessário andar muito porque, naquela área, produtos eletrônicos somente se comprar no Shopping 25 de Março ou na Galeria Pajé - domínio de coreanos e chineses. Pois bem, comprei, pela "fortuna" de R$ 260.00, um aparelho "Samsung" Galaxy S3. Bom todo! O seu único defeito é ter "uma vaga lembrança", ao invés de "memória". O resto funciona perfeitamente.
Já em casa. a minha filha instalou o tal de WhatsApp, deu as orientações básicas e comecei a usá-lo. Confesso que o tal de app é muito útil para mensagens rápidas. Agora, o que eu não entendo é o prazer que a meninada tem em passar o dia inteiro digitando em um teclado pequeno demais e "conversando" bobagens.
Isto posto, vamos aos fatos:
Esta semana, eu estava na "gandaia", na companhia de uma "criatura", quando toca o sinal característico do Whatsap: era a minha "mulé", investigativa como sempre:
- Aloisio, onde bobônica você está?
Pensei rápido, muito rápido... Tinha que inventar um álibi e respondi, na bucha:
- Oi, amor, estou aqui na casa do Dylson, resolvendo uns assuntos do trabalho...
Ela foi mais sabida:
- Manda uma foto!
Lascou! Rapidamente desliguei o telefone e sai correndo até a "Feira do Rato" comprar uma bateria descarregada, igual à minha.
Quando cheguei em casa, fui logo avisando:
- Não reclame porque foi a bateria descarregou... Cadê o meu o carregador?
De agora em diante, por via das dúvidas, sempre tenho uma bateria descarregada no bolso. Espero que ele nunca desconfie...

domingo, 18 de maio de 2014

QUELÉ E SUAS TRES MULHERES

Texto de Carlito Lima

Clementino nasceu num sítio em Coqueiro Seco, bela e bucólica cidade à beira da lagoa Manguaba. Menino ainda, já tinha vocação para mulheres; na juventude, tornou-se conquistador, o "Rei das Niquimbas" (assim chamavam maldosamente as empregadas domésticas naquela época), daí seu apelido "Quelé das Niquimbas". Conseguiu se formar em Direito, figura popular e bem humorada na capital e em sua cidade, repreendia quando algum amigo o chamava de Dr. Quelé das Niquimbas. Corrigia com um apelo:
- Me chame, Quelé das Niquimbas ou Dr. Clementino Lima. Não desmoralize meu título de bacharel!
Casou-se cedo. Engravidou uma prima; costumava dizer "priminha não é irmãzinha". Terminou no altar com Margarida, uma mimosa flor da cidade de Santa Maria Madalena da Lagoa do Sul, hoje Marechal Deodoro.
Quelé nunca se acostumou com a vida de casado, sua vida era de bar em bar pelas ruas da cidade, até que foi encontrando novos amores durante a vida.
Um deputado arranjou-lhe uma sinecura na Assembleia Legislativa. Aparecia algumas vezes na semana para bater papo, rever amigos. Se gabava de ter arranjado 280 votos para o deputado em Coqueiro Seco. Os votos obtidos pelo deputado na cidade, ele contabilizava como se fossem todos por ele arranjados.
Um dia apareceu uma menina bonita, vinda do sertão. Fora desvirginada por um outro deputado; comprou o silêncio com um emprego na Assembleia.
Quelé namorou Rosa, "A Rainha do Sertão", como ele a apelidou. Numa bela tarde, Rosinha lhe informou, estava grávida. O jeito foi assumir o filho. Rosa ganhou uma casa da COHAB, do deputado, onde até hoje vive, dividindo o marido com Margarida. Quelé tem o afeto do menino. Na certidão do jovem consta filho de Clementino Lima, entretanto, a maldade humana acha o menino a cara do deputado. Quelé é homem moderno, não importa certas picuinhas, ama o menino, seu filho do coração. Do lado de Margarida, são duas moças bonitas. Rosa e Margarida não se frequentam, se aceitam como duas flores com espinhos. Os meninos meios irmãos se dão bem quando se encontram.
Durante a última eleição em Coqueiro Seco, Quelé foi enviado pelo deputado para ajudar na campanha, tarefa feita com satisfação, terminava as noitadas raparigando. Acontece que uma jovem, Hortência, quase da idade de suas filhas, 17 aninhos, encantou nosso Casanova. A moça bonita dava alguma bola, mas quando chegava "nos finalmentes" ela escorregava feito um muçum ensaboado. De tanto insistir, numa noite de lual à beira da lagoa, despedida da campanha eleitoral, Quelé conseguiu, com promessa de casamento, uma noite memorável de amor dentro de uma canoa. Nove meses depois nasceu Manoel Lima, uma adorável criança.
Montou outra casa, a terceira, consome todo salário de funcionário e de advogado, Quelé vive aperreado de dinheiro, contudo, não deixa de estar sempre com um sorriso nos lábios e um bom astral. Trígamo assumido, as filhas de Margarida ajudam Hortência, mãe do recém-nascido, para ela comparecer ao emprego, atendente de um médico amigo do deputado. As coisas iam bem, as três mulheres não complicavam muito a vida do marido repartido.
Por tudo isso, Clementino resolveu fazer uma só festa no seu aniversário, reunindo, pela primeira vez, as três mulheres na casa da primeira. O início do encontro foi formal, depois começaram a descontrair. Quelé estava felicíssimo com o feito, as três famílias reunidas. Cerveja, cachaça e uísque entornando. Todas três mulheres empurravam direitinho um copo, como também o companheiro Quelé. Até que certa hora, quando a cachaça subiu para cabeça, Margarida perguntou ao marido:
- Está feliz meu amor? Juntando sua esposa e as duas raparigas?
 Rosa quando ouviu o desaforo, falou alto:
- Rapariga é a mãe!
A outra flor, Hortência, não esperou falar, foi puxando os cabelos de Margarida e arrastando pelo chão, xingando de "coroa sambada" e que Quelé gostava mesmo era dela, novinha e cheirosa. A briga generalizou-se entre as três. Uma dando tapa e puxão de cabelos nas outras. A briga durou quase uma hora, só acabou quando cansaram. Quelé conseguiu afastá-las. Levou as outras duas convidadas para suas casas. Nunca mais quis saber de juntar as mulheres. Família que bebe unida, nem sempre permanece unida.