sábado, 28 de junho de 2014

O BEIJO DE NILTON SANTOS

Texto de Carlito Lima

Como todo bom brasileiro, Nilton Santos tem duas paixões na vida, futebol e mulher. Por ter nascido em 29 de junho de 1958, dia em que o Brasil tornou-se campeão mundial foi batizado com o nome, Nilton Santos Silva, em homenagem ao grande "back" Nilton Santos. Ele sabe tudo sobre Copa do Mundo, conhece a história dos mundiais na ponta da língua, nessa época não tem outro assunto. Encontrei-o em caminhada matinal na praia da Jatiúca, não perdeu a oportunidade, explanou sua opinião sobre a Copa do Mundo no Brasil. Tem convicção, será a Copa inesquecível, mesmo que o Brasil perca. O brasileiro, independente da política, mostrou capacidade de organização, alegria, bom humor e uma exuberante diversidade da cultura popular, o Brasil vive uma festa. Nilton, feliz da vida, assistiu a todos os jogos pela TV. Se o Brasil for campeão, será um arraso!
Ele calou-se quando uma jovem dentro de um short curto, generoso, nos ultrapassou caminhando em nossa frente tal como uma égua bonita. Nilton achou-a parecida com Aninha, ex-secretária, confessou-me, ama Stella, a esposa, entretanto, gosta de pular a cerca com alguma garota nova. Não quer amante, dá complicação, prefere garotas de programa. Paga mais pela discrição, pelo descompromisso, pelo silêncio que pelos carinhosos serviços prestados. Certa vez teve um caso com essa Aninha, sua secretária. A jovem insistente não o largava, estava ficando indiscreta, queria mais tempo e dinheiro, precisou muita grana para afastá-la do caminho. Foi um problema por muito tempo, só resolveu com um acordo monetário. Nilton jurou nunca mais ter amante, sai muito caro. Tem na agenda telefones de mulheres disponíveis. Para evitar problemas, grava o nome masculino correspondente de suas preferidas. Paulinha, por exemplo, gravou Paulo no celular.
Continuou a conversa, contou-me, segunda feira passada ele armou um esquema para assistir Brasil x Camarões com Paulinha. A esposa e filhas haviam marcado o jogo na casa de um irmão com direito à festança de São João, Nilton negou-se, muita agitação, disse que assistiria ao jogo na casa do Samuel, um amigo vidrado em futebol, os dois sozinhos, ninguém perturbando, gostava de ver detalhes das jogadas. Depois do almoço ele vestiu a camisa amarela, cueca branca, bermuda azul, sandália preta, foi apreciar o movimento da cidade. Mais tarde encontraria a família na festa do cunhado, comemorar a vitória e o São João.
Houve um problema, Paulinha estava com a mãe doente, telefonou, não dava para acompanhá-lo, uma pena. Nilton tentou algumas da agenda do celular, todas com compromisso. Passou numa banca de revista, comprou jornal, apelou para os classificados. Ao ler na coluna de acompanhantes o nome Penélope, gostou, pensando na Penélope Cruz, telefonou, acertou com a moça mandou pegar um táxi até o motel.
Nilton estacionou o carro, entrou no apartamento, gostou da promoção do motel. Além da enorme televisão, bandeiras, papéis verde e amarelo faziam a decoração. Colocou uma dose de uísque, ligou a televisão, assistir as notícias.
Logo tocou o interfone, Nilton Santos ficou encantado ao abrir a porta, deslumbrou-se, mulher bonita, alta, olhos amendoados, boca carnuda, que nem a Angelina Jolie, acertou com o taxi buscá-la no final do jogo. O mulherão sentou-se no sofá pediu licença, acendeu um cigarro. Ele notou a voz rouca daquela linda mulher, pensou, é cigarro.
Foi quando iniciou o jogo do Brasil, Nilton Santos grudado na televisão prestando maior atenção, torcia desesperadamente quando Penélope se achegou de banho tomado, cabelos molhados, enrolada numa toalha, juntinha ficou. No segundo gol de Neymar, durante a vibração, ele beijou os grossos lábios da acompanhante. Ao acabar o primeiro tempo ela deitou-se, de bruços, Nilton não resistiu, deu um pinote por cima. O intervalo durou 10 minutos. Mais relaxado assistiu a nervosa vitória de 4 x 1. Fim de jogo, no momento dos abraços notou alguma coisa esquisita em Penélope, não conseguiu segurar a surpresa quando percebeu, saiu o grito inesperado:
- Você é homem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Depois de momentos de discussão, Penélope pegou o jornal, mostrou nos classificados, estava escrito: “Penélope, linda bi, passiva ou ativa.” Nilton não quis confusão, pagou o acertado, incluindo o taxi de volta. Tomou banho, vestiu-se, dirigiu-se à casa do cunhado. Durante a festa de comemoração e São João, Penélope não saiu de sua cabeça.
Nilton Santos admite, não consegue esquecer aquela mulher, aliás, aquele homem, sente o hálito de sua boca, toda noite sonha, Penélope olhando em seus olhos, sorrindo, sente nos lábios os beijos molhados. Está com medo, pensa ir a um psiquiatra. Tem uma certeza, nos próximos jogos estará sentado comportadamente na poltrona em sua casa, disse-me com convicção. Só terminou a confidência, quando atravessou a rua.
 

NA HORA DO SEXO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES



quarta-feira, 25 de junho de 2014

QUANTA BOBAGEM!

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

É inacreditável o quanto a mente humana é capaz cada dia fazer bobagens, cada uma pior do que a outra.
Pois bem, a Bolívia acaba de criar e adotar aquilo que chama de "Relógio do Sul", no qual os ponteiros giram em sentido anti-horário. A novidade já pode ser vista na fachada do Poder Legislativo Boliviano, na Praça Murillo em La Paz, um dos principais centros turísticos de La Paz, onde estão localizados os palácios do Congresso e da Presidência, causando surpresa aos transeuntes.
O ministro das Relações Exteriores, David Choquehuanca, e o presidente do Senado, Eugenio Rojas, indígenas aimaras, a mesma tribo do presidente Evo Morales, informaram que a mudança tem como objetivo conscientizar a população de que a Bolívia é uma nação do sul e não do norte, por isso a forma de registrar o tempo nos relógios deve ser diferente, como acontece com o solstício e o equinócio.
O ministro justificou, dizendo:
- Não temos que complicar, simplesmente nos conscientizar de que vivemos no sul. Não estamos no norte. Quem disse que o relógio tem que girar desse lado sempre? Por que sempre temos que obedecer, por que não podemos ser criativos?
No relógio do Congresso, os números arábicos foram pintados sobre os romanos, que ainda podem ser vistos, caracterizando um trabalho mal feito, disse à Agência Efe o engraxate Franz Galarza, que trabalha na frente do Parlamento, completando:
- Se querem passar a mensagem de que o país está indo em outra direção vamos ter de explicar a todas as pessoas que passam pela Praça Murillo, porque para a maioria aquilo é um erro, está feio. Se é uma ideia política, é uma má ideia política.
Nas redes sociais, pipocaram comentários irônicos, tais como "a manutenção do relógio do Congresso foi feita por um técnico disléxico e canhoto"; "o engenho anti-norte parece não ter limites no governo boliviano" e até que sugerisse que os nomes dos polos sejam trocados "para que a hegemonia seja do sul".

A PROPOSTA

Texto de Carlito Lima

- Meu irmão, ha algum tempo precisava falar com você, pode me dar alguns minutos? Vamos pegar essa mesa.
Disse Marília abraçando Hugo ao encontrá-lo no shopping.
Feliz em encontrar a irmã querida, Hugo Sanchez puxou uma cadeira, sentou-se, pediu dois chopes no início daquela tarde de sexta-feira.
Marília olhou-o, sorriu-lhe, deu-lhe um beijo na face, foi direto ao assunto.
- Hugo querido, só nós dois é que sabemos o quanto nos amamos, sou louca pelo meu irmãozinho desde criança, nossas afinidades são escancaradas. Você casou-se, separou-se, agora está solteiro novamente aos 40 anos, nunca dei palpite em sua vida amorosa, boêmia e escandalosa. Desculpe eu estar me intrometendo em seu novo namoro, você falou levemente em casamento. Nada de pessoal contra Kalu, até gosto da moça, 10 anos mais nova, parece equilibrada e sensata. Acontece que, informaram-me um pequeno detalhe de sua vida pessoal, tenho obrigação de lhe passar, não quero que seja enganado. Fonte fiel confidenciou-me, ela é sapatona, ou melhor bissexual, tem um caso com aquela morena, andam muito juntas, se diz sobrinha. Desculpe eu tocar em sua vida particular. Sabendo do fato, seria uma traição por omissão não contar-lhe esse pequeno detalhe.
Hugo respirou fundo, tomou dois goles de chope, pensou, pensou, pensou, respondeu à irmã ainda no impacto emocional da notícia:
- Obrigado, Marília, você agiu bem, não poderia ser de outra forma, francamente, nunca desconfiei da bissexualidade de Kalu. Eu até gosto muito de sua sobrinha Geísa, nada me fez perceber essa opção sexual de Kalu, ela gosta de homem, tenho certeza, na cama é um arraso. Vou pensar no que fazer, é caso grave, não sei se dá para conviver sabendo que a sua mulher gosta também de mulher. Obrigado, minha irmã. 
Hugo pediu mais chope, passaram a tarde conversando.
Eram nove horas da noite quando Hugo encontrou-se com Kalu na Barraca Pedra Virada, orla da Ponta Verde, acompanhada de Geísa, tomaram chope, uísque, tira-gosto, jantaram quase meia noite. Duas horas da manhã deixaram Geísa em casa, dormiram no apartamento, amaram-se feito animais, Hugo nunca mais havia passado uma noite de amor com tanta intensidade. Pela manhã do sábado resolveram dar um mergulho na praia do Francês, bebericar até o final da tarde. Kalu perguntou se podia convidar Geísa.
Tudo bem disse Hugo, mas, quero uma conversa antes. Foi claro e taxativo com a namorada.
- Kalu, temos mais de dois anos juntos, somos adultos, lhe amo, tenho de ser sincero. Sua amizade com Geísa vem atiçando a maldade alheia, vieram me fuxicar de um relacionamento íntimo com Geísa, que vocês são um caso, é o boato corrente nas rodas de nossa convivência.
Kalu ouviu olhando nos olhos do namorado, baixou a cabeça, respirou fundo, encarou-o novamente, abriu seu coração com franqueza.
- Hugo, querido, é verdade, eu tenho essa opção sexual a mais, sou bissexual, a Geísa não é minha prima. Eu estava esperando um momento apropriado para abrir o jogo, lhe confessar. Conversei muito com Geísa, temos uma proposta, você pode se chocar, francamente não sei sua reação. Minha única certeza é que lhe amo, quero você, quero ficar com você, não importa se casados ou juntados. Minha proposta é meia louca, entretanto, foi bem pensada, amadurecida: continuar nosso relacionamento como está, cada qual em seu lugar, peço-lhe apenas você conversar com Geísa, sinta como é uma pessoa boa, também é bi, entre em suas intimidades, depois me diga se aceita a situação, sem compromissos.
Hugo Sanchez teve um impacto com aquela inusitada proposta, pediu um tempo para pensar. Conversou, passou algumas noites com Geísa. Não precisou muito tempo para definir-se.  Estão em período de adaptação, tiraram férias juntos, passeando na bela Cartagena das Índias, Colômbia, o mais caro foram as três passagens de avião. 
 

terça-feira, 24 de junho de 2014

ARROGANCIA DO PODER

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Mestre e discípulo conversavam numa esquina, quando uma velha os abordou, gritando:
- Saiam da frente de minha vitrine, vocês estão atrapalhando os fregueses!
O Mestre pediu desculpas e mudou de calçada.
Continuaram a conversar, quando um oficial se aproximou e disse-lhes:
- O Conde ira passar daqui a pouco por aqui; precisamos da calçada.
Então, o Mestre respondeu, sem se mover:
- Que o Conde use o outro lado da rua!
Depois, se virou para o seu discípulo e disse:
- Não esqueça: jamais seja arrogante com os humildes e jamais seja humilde com os arrogantes.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

UNINDO O ÚTIL AO AGRADÁVEL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
No embalo da Copa do Mundo de Futebol no Brasil, a empresa Prudence lançou no mercado a uma de preservativos em comemoração ao evento esportivo. Nas cores da bandeira nacional, as camisinhas são aromatizadas com o sabor "Caipirinha", tradicional bebida brasileira.

Resumo da ópera: se "as preliminares" demorarem muito, a menina corre o risco de ficar de porre.   

QUE NEM COPA DO MUNDO

Texto de Carlito Lima
O gol de Sneidjer deixou o Bar MK em tristeza profunda, término da partida, Holanda desclassificou o Brasil na Copa do Mundo de 2010, silêncio gritante, muito choro. Bruno deu um ponta pé na cadeira, sentou-se em outra, cabeça entre as mãos, olhando no infinito entornou o copo de uísque. Nesse momento, Sarita, jovem gordinha argentina, a seu lado, alisou os cabelos de Bruno. Ofereceu-se, sair daquele bar, passar o resto da noite num motel se consolando. Bruno, cheio de raiva, irracional, desabafou na amiga.
- Vá te catar, Sara! Procure um gorducho igual a você. Barril de merda! Me deixe em paz!
A grossura de Bruno foi uma punhalada no peito, Sara Gimenez desabou, chorou como uma menina, pensavam ser a derrota do Brasil, argentina hermana, alguém comentou.
 Dois meses depois Sarita retornou à Buenos Aires, seu pai havia terminado um trabalho de três anos em perfurações, ela nunca esqueceu o fatídico dia da eliminação do Brasil pela Holanda, avistou Bruno algumas vezes, não o cumprimentou. Em Buenos Aires matriculou-se na Universidade, inteligente, concluiu o curso de jornalismo em quatro anos.
Quanto a Bruno, o garanhão, engravidou uma namorada, por imposição das famílias casou-se, continua mulherengo, não respeita a esposa, pensa apenas em deitar-se com todas as mulheres do mundo. Inveterado conquistador.
Sábado passado Sarita reapareceu em Maceió, veio fazer a cobertura da Copa do Mundo para um jornal argentino, telefonou para amigas, encontraram-se no Bar MK, balada noturna. A jornalista fez sucesso, a gordinha desajeitada transformou-se numa bela, elegante e sensual mulher, os amigos encantados com o bom humor, a conversa, o sotaque e a beleza da portenha. Bruno sentado em mesa perto, não a reconheceu.  Sarita passou cumprimentando-o:
- Olá, Brunito!
Pela voz, inconfundível, percebeu ser Sarita. Ele levantou-se surpreso, aproximou-se, beijou-lhe a face, deslumbrou-se por aquela mulher fascinante, bem vestida, metamorfose da gordinha insossa. Ele conversava olhando insistentemente o decote generoso da argentina, pediu para ficar em sua mesa, todo prosa, paquerava Sarita Gimenez desbragadamente. Homem casado teve que se recolher mais cedo, pediu o número do celular de Sara. Ela ficava em Maceió até a abertura da Copa, na sexta embarcava para o Rio, cobrir os jogos da Argentina. Todos os dias Bruno telefonou tentando marcar encontro, alucinado, só pensava em Sarita, nunca uma mulher despertou-lhe tanto desejo. Sara admitiu um encontro, sugeriu assistir ao início da Copa, Brasil x Croácia, num motel, depois comemoração no Bar MK. Aceita a sugestão. Único problema, Bruno casado, não ficava bem Sarita andar em seu carro. Acertaram o melhor motel da praia de Jacarecica, ele iria na frente, quando estivesse no apartamento do motel telefonava para Sarita, logo ela chegaria de taxi, uma tarde de amor, emoção, alegria, comemoração.
Na quinta-feira Bruno embromou a esposa, disse que assistiria o jogo na casa do Nivaldo, sabendo que ela o detestava, marcaram para se encontrarem no Bar MK depois da vitória do Brasil. Às três horas da tarde Bruno passou numa farmácia, comprou camisinha e viagra, rumou à Jacarecica. Na suíte presidencial tomou banho demorado, enxugou-se, perfumou-se, olhando-se no espelho, narcisista de nascença. Enrolou-se numa toalha, às quatro horas telefonou para Sarita. Ela atendeu, chegaria a pouco, esperasse.
Na terceira dose de uísque, faltando dez minutos para cinco, Bruno tornou-se ansioso, Sarita não chegava, tocou o celular várias vezes, fora de área ou não atendia. Teve de assistir ao jogo sozinho, Sarita não apareceu. De repente lembrou-se de sua grossura quatro anos atrás. Ao terminar a partida, 3 x 1 para o Brasil, Bruno dirigiu-se ao Bar MK onde estava sua esposa. Em uma mesa repleta de gente, Sarita, belíssima, bebia comemorando a vitória do Brasil, olhou para Bruno, às gargalhadas, junto aos amigos. Vingança de mulher às vezes custa quatro anos que nem Copa do Mundo, mas chega.

domingo, 22 de junho de 2014

JOGADORES DE FUTEBOL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
• ASSINATURA
- Assinar eu ainda não assinei, mas já acertei tudo bocalmente.
PITICO: ex-jogador do Santos.
• BICOLOR
- A partir de agora o meu coração só tem uma cor: Vermelho e preto!
FABÃO: ex-jogador do Flamengo e São Paulo.
• CAMINHANDO
- Eu peguei a bola no meio de campo e fui indo, fui indo e terminei fondo.
JARDEL: ex-jogador do Grêmio, Vasco, Porto, Seleção Brasileira.
• CHURRASCO
- Quem tá na chuva, é pra se queimar...
VICENTE MATHEUS: ex-presidente do Corinthians.
• COMERCIANTE         
- A moto eu vou vender e o rádio eu vou dar pra minha tia...
JOSIMAR: ex-jogador do Botafogo e Seleção Brasileira, quando recebeu a noticia que tinha ganhado um Motoradio como melhor jogador da partida.
• DÍVIDA ETERNA
- De tudo o que os japoneses fizeram por mim, se eu retribuir a metade, ainda assim ficarei devendo.
LEÃO: Técnico e ex-jogador da Seleção Brasileira.
• DUPLA SERTANEJA
- Eu, o Paulo Nunes e o Dinho vamos fazer uma dupla sertaneja.
JARDEL: ex-jogador do Grêmio, Vasco, Porto, Seleção Brasileira.
• EXIGÊNCIA
- As pessoas querem que o Brasil vença e ganhe.
DUNGA: ex-jogador e treinador da Seleção Brasileira.
• EUROPEU
- Estou realizando meu sonho de ir jogar no futebol europeu!
VALDSON: ex-jogador do Flamengo, ao ir jogar no México.
• IMPORTADOS
- Que interessante! Aqui, no Japão, só tem carro importado.
JARDEL: ex-jogador do Grêmio, Vasco, Porto, Seleção Brasileira.
IMPRESTÁVEL
- O Sócrates é invendável, inegociável e imprestável.
VICENTE MATHEUS: ex-presidente do Corinthians, ao recusar a oferta dos franceses.
• LOIRA SUADA
- Quero agradecer a Antarctica pelas Brahmas que nos enviou...
VICENTE MATHEUS: ex-presidente do Corinthians.
• MAL
- Nunca me senti tão mal, hoje como agora...
NARCISO: ex-jogador do Santos.
NAFTALINA
- Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe.
JARDEL: ex-jogador do Grêmio, Vasco, Porto, Seleção Brasileira.
• ORGULHO
- Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu.
CLAUDIOMIRO: ex-jogador do Internacional, ao chegar em Belém do Pará.
• PRESENTE INUSITADO
- Eu já ganhei Motoradio, caixa de Brahma mas está é a primeira vez que ganho um microfone.
DEDEU: ex-jogador do Náutico de Pernambuco, ao ouvir do repórter que o microfone era todo dele.
• RACISMO
- Nunca. Nem dentro e fora de campo. Até porque eu não sou preto, né?
NEYMAR: jogador da Seleção Brasileira, em resposta à pergunta "Já foi vítima de racismo?"
• RESUMO DA ÓPERA
- Só posso resumir essa derrota com duas palavras: A-zar!
MARINHO CHAGAS: ex-jogador do Botafogo e Seleção brasileira.
• SALÁRIO EM DIA
- No México que é bom! Lá, a gente recebe, semanalmente, de 15 em 15 dias.
FERREIRA: ex-jogador do Santos.
• SAÚDE
- Na Bahia, é todo mundo muito simpático. É um povo muito hospitalar.
ZANATA: ex- jogador do Bahia.
• SORTUDO
- Bom, eu não achei nada, mas o meu companheiro ali achou uma correntinha. Acho que é de ouro, dá prá ele vender.
JOSIMAR: ex-jogador do Botafogo e Seleção Brasileira, ao ser perguntado o que ele achou do jogo.
• SUPERAÇÃO
- Jogador tem que ser completo como o pato, um bicho aquático e gramático.
VICENTE MATHEUS: ex-presidente do Corinthians.
• SUPERPODERES
- O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta, deu um passo à frente.
JOÃO PINTO: ex-jogador do Benfica de Portugal e Seleção Portuguesa.
• SURPRESA
- Chegarei de surpresa, dia 15, às duas da tarde, voo 619 da VARIG.
MENGÁVIO: ex-jogador do Santos, em telegrama família quando em excursão à Europa.
• SE VIRANDO NOS TRINTA
- Não foi nada de especial, chutei com o pé que estava mais a mão!
JOÃO PINTO: ex-jogador do Benfica de Portugal e Seleção Portuguesa.
• TRÊS COISAS
- Só existem três coisas que param no ar: beija-flor, helicóptero e Dadá.
DARIO: ex-jogador do Atlético Mineiro e Seleção Brasileira.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

COM O HEXA NAS MÃOS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
A Polidactilia é uma mutação genética que provoca alteração quantitativa anormal dos dedos das mãos (quirodáctilos) ou dos pés (pododáctilos). Assim, a pessoa afetada tem mais de cinco dedos em cada mão ou pé.
Por incrível que pareça, 14 integrantes de uma mesma família de Brasília - DF, nasceram com 6 dedos nas mãos.

Tudo começou com Francisco de Assis Carvalho da Silva: dos cinco filhos, quatro herdaram a característica, repassada também para os netos.
- A gente encara isso com muita naturalidade, acho que até pela forma como meu pai lidava. Aqui em casa, quem tem cinco dedos é que tem complexo. Funciona ao contrário - disse Silvia - tenho três filhos, e só o mais velho (Eduardo) é que não tem. Quando levei minha filha, Ana Carolina, para tirar os do pé, porque para colocar sandália complicava um pouco, Dudu pediu para guardá-los para colocar na mãozinha dele. Ele tinha cinco anos e se sentia excluído.

Como todo brasileiro é apaixonado pelo futebol, ela completa:
- Nós já somos hexa; o Brasil é que precisa correr atrás de nós!

terça-feira, 17 de junho de 2014

O FALCÃO E A ÁGUIA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

Touro Bravo, o mais valente e honrado de todos os jovens guerreiros, e Nuvem Azul, a filha do cacique, uma das mais formosas mulheres da tribo, chegaram de mãos dadas até a tenda do velho feiticeiro da tribo.
O velho, ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:
- Tem uma coisa a ser feita, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada. Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte dessa aldeia e apenas com uma rede e tuas mãos, deves caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia. E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono e, lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias e, somente com as tuas mãos e uma rede, deverás apanhá-la, trazendo-a para mim.
No dia estabelecido, à frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves dentro de um saco.
- E agora, o que faremos? - perguntou o jovem.
- As matamos e depois bebemos a honra de seu sangue ou cozinhamos e depois comemos o valor da sua carne?  - propôs a jovem.
- Não! - disse o feiticeiro - Apanhem as aves e as amarrem entre si pelas patas com essas fitas de couro e, quando as tiverem amarradas, soltem-nas, para que voem livres.
O guerreiro e a jovem fizeram o que lhes foi ordenado, e soltaram os pássaros.
A águia e o falcão tentaram voar, mas apenas conseguiram saltar pelo terreno.
Minutos depois, irritadas pela incapacidade do voo, as aves arremessavam-se entre si, bicando-se até se machucar.
Então, o sábio disse aos jovens namorados:
- Jamais esqueçam o que estão vendo. Este é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão: se estiverem amarrados uns ao outro, ainda que por amor, só sobreviverão arrastando-se, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar-se um ao outro. Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados.
Pense nisso!

ATENÇÃO, CERVEJEIROS!

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 


segunda-feira, 16 de junho de 2014

CORTADORES DE PEDRAS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Dois cortadores de pedra estavam trabalhando em uma pedreira. Alguém que passava por aquele lugar perguntou-lhes:
- O que estão fazendo?

O primeiro operário, com uma expressão amarga, no rosto resmungou:
- Estou cortando esta maldita pedra para fazer um bloco...

O segundo operário, que parecia mais feliz com seu trabalho, replicou, orgulhosamente:
- Faço parte de um grupo de operários que está construindo uma igreja para louvar ao Senhor! 

SOBRANCELHAS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES



domingo, 15 de junho de 2014

AMANHÃ PODE SER TARDE

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

Se você está bravo com alguém e ninguém faz alguma coisa para consertar a situação, conserte você. Talvez, aquela pessoa ainda queira ser seu amigo e se você não consertar isto logo, quem sabe, amanhã seja muito tarde.
Se você está apaixonado por alguém, mas a pessoa não sabe, diga a ela. Talvez, hoje, aquela pessoa também esteja apaixonada por você e se você não falar isto hoje, talvez, amanhã seja muito tarde.
Se você morre de desejos de dar um beijo em alguém, então, dê. Talvez essa pessoa também queira o seu beijo; se você não der isto a ela hoje, talvez, amanhã seja muito tarde.

Se você ama alguém e acha que esse alguém lhe esqueceu, então, diga a ele. Talvez essa pessoa sempre o tenha amado e se você não lhe disser isso hoje, talvez, amanhã seja muito tarde.
Se você precisa de um abraço de um amigo, você deve lhe pedir. Talvez ele precise isto mais que você e se você não lhe pedir hoje, amanhã pode ser muito tarde.

Se você realmente tem amigos, aos quais aprecia, conte isto a eles. Talvez eles também o apreciem e se eles partirem ou irem embora, talvez, amanhã seja muito tarde. 
Passe esta mensagem para as pessoas que você quer bem. Passe hoje, talvez, amanhã seja muito tarde.

PENSE NISSO!

ABERTURA DA COPA DO MUNDO

Texto de Luiz Ferreira da Silva
Engenheiro-agrônomo e escritor


   1. Até em campeonato de jogo de botão há uma Abertura Solene. Pelo menos "Declaro aberto...".
Na Copa das Copas da Dilma, mais uma quebra cerimonial: ela e o Blatter com semblantes fechados e olhos arregalados de pavor.
   2. Já muito se falou da festa de abertura. Não precisava nada daquilo e nem a roupa de milhões da insossa Cláudia Leite. Botava gente do povão. Quem? A Ivete Sangalo pra arrebentar. Sozinha com sua banda. Nada mais.
3. Se não houve ABERTURA, vai haver FECHADURA?
4. A vaia é sempre condenável. No entanto, quem detém a liturgia de um cargo tem que se dar ao respeito sob pena de perdê-lo. Não sei se é o caso em questão, mas o seu Protetor, Lula, sempre usou palavreado incompatível ao cargo que exerceu. Ele não pode reclamar e bancar o "santo".
5. E, finalizando: "O PATRIOTISMO É O REFÚGIO DOS CANALHAS" (Filósofo Mexicano). Pensem nisso ao ver os políticos de bandeirinha nas mãos.

sábado, 14 de junho de 2014

SIMPLICIDADE

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O sujeito vai ao psicólogo...
- Doutor - diz ele - estou com um problema. Toda vez que estou na cama, acho que tem alguém embaixo; aí eu vou embaixo da cama, acho que tem alguém em cima. Para baixo, para cima; para baixo, para cima... Estou ficando maluco!
- Deixe-me tratar de você durante dois anos, com três sessões por semana, eu curo este problema - diz o psicólogo.
- E quanto o senhor cobra? - Pergunta o paciente.
- Cada sessão, apenas R$ 120,00 - responde o psicólogo.
- Bem, eu vou pensar... - conclui o sujeito.
Passados seis meses, eles se encontram na rua.
- Por que você não me procurou mais? - Pergunta o psicólogo.
- A 120 paus a consulta, três vezes por semana, durante dois anos? Que nada! Um sujeito num bar me curou por 100 reais.
- Ah, é? Como? - Pergunta o psicólogo.
O sujeito responde:
- Ele cortou os pés da cama...
O sujeito vai ao psicólogo...
- Doutor - diz ele - estou com um problema. Toda vez que estou na cama, acho que tem alguém embaixo; aí eu vou embaixo da cama, acho que tem alguém em cima. Para baixo, para cima; para baixo, para cima... Estou ficando maluco!
- Deixe-me tratar de você durante dois anos, com três sessões por semana, eu curo este problema - diz o psicólogo.
- E quanto o senhor cobra? - Pergunta o paciente.
- Cada sessão, apenas R$ 120,00 - responde o psicólogo.
- Bem, eu vou pensar... - conclui o sujeito.
Passados seis meses, eles se encontram na rua.
- Por que você não me procurou mais? - Pergunta o psicólogo.
- A 120 paus a consulta, três vezes por semana, durante dois anos? Que nada! Um sujeito num bar me curou por 100 reais.
- Ah, é? Como? - Pergunta o psicólogo.
O sujeito responde:
- Ele cortou os pés da cama...