quarta-feira, 30 de julho de 2014

PRISÃO DOMICILIAR

Texto de Aloisio Guimarães

O causo de hoje aconteceu com a minha filha, no tempo que ela ainda era estudante universitária.
Como o horário das aulas da faculdade era variado, quase nunca saíamos ou retornávamos para casa (apartamento) ao mesmo instante. Por conta disso, ela tinha uma cópia da chave da porta (porta da cozinha), por onde entrava e saía, nos momentos necessários.
Acontece que, se deixarmos a outra chave "descansando" na fechadura no sentido horizontal, é quase que impossível abri-la pelo outro lado.  E, como não tomávamos o devido cuidado, vez por outra, deixávamos a chave que ficava sempre na fechadura, na posição horizontal.
Não sei se isso acontece com vocês...
Pois bem, certo dia, esquecemos a bendita chave nesta posição. Quando retornamos, eu e minha mulher, encontramos a nossa filha sentada no corredor do prédio, porque não tinha conseguido abrir a porta. Assim que nos vê, logo esbraveja, com toda a razão:
- Já pedi mil vezes que vocês não me deixem presa, aqui, do lado de fora!
Não podemos deixar de rir...
E não é que faz sentido?!
Naquele dia, descobri que podemos ficar presos do lado de fora!
 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

INCOERÊNCIAS

Texto de Luiz Ferreira da Silva
 ENGENHEIRO-AGRÔNOMO E ESCRITOR
 
Somos incoerentes muitas vezes, em nossas atitudes, pensamentos e análises.
Descrevo abaixo situações ilógicas, sendo algumas até injustas:
• A corda, que devia ser fina, é grossa; o cordão, que devia ser grosso, é fino.
• A cozinheira faz o bom tempero; os louvores merece-os a patroa.
• A piada do chefe é interessante e desconhecida; a do subordinado, é sem graça e velha.
• A sentença do juiz é luminosa e justa, quando favorável; cheia de erros e iníqua, quando desfavorável.
• A visita do rico é oportuna e desejada; a do pobre é intempestiva e desprezada.
• Adolescente delicado, se rico, tem distúrbio glandular; se pobre, é viado.
• Carro velho de rico é fora de linha; de pobre é “onça”.
• Da rica se diz: está grávida; do pobre, está "buchuda".
• Disenteria de rico é distúrbio intestinal; de pobre, é diarreia.
• Do colega que sobe, lembramos até a cor dos olhos; do colega que fracassa, esquecemos até o nome.
• Erro de sábio é engano; o do inculto, burrice.
• Espiritismo de rico é ciência; de pobre, é macumba.
• Festa de rico é baile; de pobre, é forró.
• Filho de rico é engraçado; de pobre, é metido.
• Moço, quando tropeça, está apressado; o velho, está gagá.
• Mulher rica, se mal vestida, é simples; se pobre, é molambenta.
• Na mocidade, deixamos o vício; na velhice, o vício nos deixa.
• O advogado é o maior, quando ganha a questão; é um desonesto, quando cobra os honorários.
• O cavalo ganha a corrida; o dono é quem recebe o prêmio.
• O esquecimento no moço é distração; no velho, é esclerose.
• O filho do pobre é amarelo; o do rico é pálido.
• O juiz de futebol é imparcial, quando nosso clube ganha; ladrão, quando perde.
• O limão, que devia ser maior, é menor; a lima, que devia ser menor, é maior.
• O médico é um santo, quando trata; é um demônio, quando manda a conta.
• O pobre se embriaga; o rico se diverte.
• Pobre grosseiro é mal educado; rico é temperamental.
• Quem joga e perde, é viciado; quem joga e ganha, é abortado.
• Recebemos ato de gratidão porque fizemos noventa e nove favores; somos esquecidos e criticados porque deixamos de fazer o centésimo.
• Rico fica estressado, pobre fica louco.
• Rico morre enfraquecido; pobre morre tuberculoso.
• Rico teimoso tem personalidade; pobre, tinhoso.
• Rico, quando baixo, é de pouca estatura; pobre, é pintor de rodapé.
• Se o time ganha, os jogadores atuaram bem; se perde, o técnico orientou mal.
• Sendo pouco o castigo, irrita; sendo muito, amansa.
 

quarta-feira, 23 de julho de 2014

COMO MANTER-SE JOVEM

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
• Elimine os números que não são essenciais. Isto inclui a idade, o peso e a altura. Deixe que os médicos se preocupem com isso.
• Conserve só os amigos divertidos. Os depressivos jogam-no para baixo. (recorde isto se for um desses depressivos)
• Aprenda sempre: aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o seu cérebro se torne preguiçoso. Uma mente preguiçosa é a oficina do Alemão (o nome do Alemão é Alzheimer).
• Aprecie mais as pequenas coisas.
• Ria muitas vezes, durante muito tempo e muito alto. Ria até que lhe falte o ar. E se tem um amigo que o faz rir, passe muito mais tempo com ele/ela.
• Quando as lágrimas aparecerem, aguente, sofra e supere-as. A única pessoa que fica conosco toda a vida somos nós mesmos. Viva enquanto estiver vivo.
• Rodeie-se das coisas que ama: a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refúgio.
• Cuide da sua saúde: se é boa, mantenha-a; se é instável, melhore-a; se não consegue melhorá-la, procure ajuda.
• Não faça viagens de culpa. Viaje para o shopping, para um país diferente, Nunca para onde  haja culpa.
• Diga às pessoas que as ama em cada oportunidade. 
 

terça-feira, 22 de julho de 2014

ATÉ QUANDO?

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Maiakovski, poeta russo "suicidado" após a revolução de Lênin, escreveu, ainda no início do século XX:

Na primeira noite, eles se aproximam,
E colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem,
Pisam as flores, matam nosso cão.
E não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles,
Entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua,
E, conhecendo o nosso medo,
Arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada,
Já não podemos dizer nada.

O QUE DISSERAM, APÓS MAIAKOVSKI:

• BERTOLD BRECHT (1898-1956)
Primeiro levaram os negros.
Mas não me importei com isso
Eu não era negro.
Em seguida levaram alguns operários,
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário.
Depois prenderam os miseráveis,
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável.
Depois agarraram uns desempregados,
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei.
Agora estão me levando, mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém,
 Ninguém se importa comigo.

• MARTIN NIEMÖLLER (SIMBOLO DA RESISTÊNCIA AOS NAZISTAS)
Um dia, vieram e levaram meu vizinho, que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.
No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho, que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei.
No terceiro dia, vieram e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.
No quarto dia, vieram e me levaram;
Já não havia mais ninguém para reclamar…

• CLÁUDIO HUMBERTO (JORNALISTA)
Primeiro eles roubaram nos sinais, mas não fui eu a vítima;
Depois incendiaram os ônibus, mas eu não estava neles;
Depois fecharam ruas, onde não moro;
Fecharam então o portão da favela, que não habito;
Em seguida arrastaram até a morte uma criança, que não era meu filho…

• ALOISIO GUIMARÃES (ENGENHEIRO)
No primeiro "programa", importaram médicos.
  Eu não me importei, eu não sou médico

• AUDEMARO ARAÚJO (ENGENHEIRO)
No segundo programa, importaram arquitetos.
  Eu não me importei, eu não sou arquiteto...
 

sábado, 19 de julho de 2014

A RESPOSTA DE BUDA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Certo dia, perguntaram a Buda:
- O que mais te surpreende na humanidade?
E ele respondeu: 
- Os homens, porque perdem a saúde para juntar dinheiro e depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde; por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver o presente nem o futuro; eles vivem como se nunca fossem morrer e morrem como nunca tivessem vivido.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

OS CORTADORES DE GRAMA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Certa tarde, um famoso banqueiro ia para casa, em sua limousine, quando viu dois homens à beira da estrada, comendo grama, ordenou ao seu motorista que parasse e, saindo, perguntou a um deles:
- Porque vocês estão comendo grama?
- Não temos dinheiro para comida... Por isso temos que comer grama - disse o pobre homem.
- Bem, então venham à minha casa e eu lhes darei de comer... - disse o banqueiro.
- Obrigado, mas tenho mulher e dois filhos comigo. Estão ali, debaixo daquela árvore...
- Que venham também - disse novamente o banqueiro.                                                    
E, voltando- se para o outro homem, disse-lhe:
- Você também pode vir.
O homem, com uma voz muito sumida disse:
- Mas, senhor, eu também tenho esposa e seis filhos comigo!
- Pois que venham também! - respondeu o banqueiro.
E entraram todos no enorme e luxuoso carro.
Uma vez a caminho, um dos homens olhou timidamente o banqueiro e disse:
- O senhor é muito bom... Obrigado por nos levar a todos!
O banqueiro respondeu:
- Meu caro, não tenha vergonha, fico muito feliz por fazê-lo! Vocês vão ficar encantados com a minha casa... A grama está com mais de 20 centímetros de altura!
Quando você achar que um banqueiro (ou banco) está lhe ajudando, não se iluda, pense mais um pouco antes de aceitar qualquer acordo. É por isso que toda vez que um banco me liga oferecendo isto ou aquilo, a minha resposta é sempre a mesma:
- Se isso fosse realmente bom pra mim, vocês não estariam me oferecendo...

quinta-feira, 17 de julho de 2014

DRA. LÚCIA NO PROGRAMA DE RÁDIO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Meu nome é Júlia. É verdade que a gente pode engravidar em um banheiro público?

Dra. Lúcia: - Sim! Acho melhor você parar de trepar lá! Próxima!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Eu sou a Vera e queria saber por que os homens vão embora logo depois de transar com a gente no primeiro encontro?

Dra. Lúcia: - Porque o encontro acabou. Caso contrário, seria casamento!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Me chamo Luciane e eu tenho um amigo que quer fazer sexo comigo, mas ele tem um pênis de 20 cm. Acho que vai ser doloroso... O que faço?

Dra. Lúcia: - Manda ele pra cá que eu testo pra você!! Próxima!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Aqui é a Rose e eu queria saber porque os homens se masturbam mesmo quando são casados?

Dra. Lúcia: - Minha amiga, jogo é jogo, treino é treino!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Aqui é a Bruna! Eu queria saber se eu posso tomar anticoncepcional com diarreia?

Dra. Lúcia: - Olha, eu tomo com água, mas a opção é sua! Próxima!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Me chamo Jefferson e eu gostaria de saber como faço pra minha esposa gritar enlouquecida na cama!

Dra. Lúcia: - Limpe o pinto na cortina! Próximo!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Aqui é o Fred! Me tire uma dúvida: O que são aquelas saliências ao redor dos mamilos das mulheres, como se fossem verruguinhas?

Dra. Lúcia: - É Braile e significa "chupe aqui". Próxima!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Quero saber como enlouquecer meu namorado, só nas preliminares.

Dra. Lúcia: - Diga no ouvidinho dele: "A minha menstruação está atrasada"! Próxima!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Sou feia e pobre. O que devo fazer para alguém gostar de mim?
Dra. Lúcia: - Ficar bonita e rica! Próxima!

 o - o - o - o - o - o - o

Ouvinte: - Bom dia, Dra. Lúcia! Aqui é a Jacque! É o seguinte... O cara com quem estou saindo é muito legal, mas está dando sinais de ser alcoólatra. O que eu faço?

Dra. Lúcia: - Não deixe ele dirigir! Próxima!

quarta-feira, 16 de julho de 2014

O TEMPO

Texto de Mário Quintana

AS COLHERES

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Deus convidou o homem para conhecer o Céu e o Inferno.
Foram primeiro ao inferno.
Ao abrirem a porta, viram uma sala, em cujo centro havia um caldeirão de sopa e, à sua volta, estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas.
Cada uma delas segurava uma colher de cabo bem comprido, que lhes permitia alcançar o caldeirão, mas não a própria boca.
O sofrimento era grande.
Em seguida, Deus o levou ao Céu.
Lá havia uma sala idêntica, com um caldeirão idêntico ao do inferno, com as pessoas em volta e as colheres de cabo também comprido.
A diferença é que todos estavam saciados e felizes.
- Eu não compreendo - disse o homem a Deus - porque aqui as pessoas estão felizes enquanto na outra sala morrem de aflição, se é tudo igual...
Deus sorriu e respondeu:
- Você não percebeu? É porque aqui eles aprenderam a dar comida uns aos outros... 
 

terça-feira, 15 de julho de 2014

COPA DO MUNDO: A INVASÃO ALEMÃ

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Os alemães copiaram os portugueses de 500 anos atrás: desembarcaram na Bahia, comeram as indiazinhas, encheram os indiozinhos de presente, foderam os brasileiros e ainda levaram o ouro.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

SELEÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES - RECEBIDO VIA WHATSAPP
Eu era muito mais feliz quando Bernard, Dante e William eram do vôlei; Oscar era do basquete, Luis Gustavo era ator, Jô era entrevistador, Hulk um super-herói e Fred amigo do Barney...

MÁRIO QUINTANA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
 
  - A indiferença é a maneira mais polida de desprezar alguém.
- A vida é uma estranha hospedaria d’onde se parte geralmente às tontas e as nossas malas nunca estão bem prontas e nossas contas nunca estão em dia…
- Amizade: quando o silêncio a dois não se torna incômodo. Amor: quando o silêncio a dois se torna cômodo.
- Dupla delícia: o livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado.
- No fundo, não há bons nem maus. Há apenas os que sentem prazer em fazer o bem e os que sentem prazer em fazer o mal. Tudo é volúpia.
 - Nós vivemos a temer o futuro; mas é o passado quem nos atropela e mata.
- O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.
- O mais feroz dos animais domésticos é o relógio de parede: conheço um que já devorou três gerações da minha família.
- O que me impressiona, à vista de um macaco, não é que ele tenha sido nosso passado: é este pressentimento de que ele venha a ser nosso futuro.
- Os livros não mudam o mundo. O que muda o mundo são as pessoas. Os livros mudam as pessoas.
- Quando guri, eu tinha de me calar, à mesa: só as pessoas grandes falavam. Agora, depois de adulto, tenho de ficar calado para as crianças falarem.
- Reflexão de Lavoisier ao descobrir que lhe haviam roubado a carteira: nada se perde, tudo muda de dono.
- Se eu amo o meu semelhante? Sim. Mas onde encontrar o meu semelhante?
- Se um poeta consegue expressar a sua infelicidade com toda a felicidade, como é que poderá ser infeliz?
- Tão bom morrer de amor! e continuar vivendo…
- Uma curva de caminho, anônima, torna-se às vezes a maior recordação de toda uma volta ao mundo!
- Vale a pena viver, nem que seja para dizer que não vale a pena…
 

MULHER FÁCIL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


sábado, 12 de julho de 2014

ALEMANHA 7X1 BRASIL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Isso representa mais que um simples jogo! Representa a vitória da competência sobre a malandragem! Serve de exemplo para gerações de crianças que saberão que para vencer na vida tem-se que ralar, treinar, estudar! Acabar com essa história de jeitinho malandro do brasileiro, que ganha jogo com seu gingado, ganha dinheiro sem ser suado, vira presidente sem ter estudado!
O grande legado desta Copa é o exemplo para gerações do futuro: Que um país é feito por uma população honesta, trabalhadora, e não por uma população transformada em parasita, por um governo que nos ensina a receber o alimento na boca e não a lutar para obtê-lo! 
A Alemanha ganha com maestria e merecimento! Que nos sirva de lição!
Pátria amada Brasil tem que ser amada todos os dias, no nosso trabalho, no nosso estudo, na nossa honestidade! Amar a pátria em um jogo de futebol e, no outro dia, roubar o país num ato de corrupção, seja ele qual for, furando uma fila, sonegando impostos, matando, roubando! Que amor à pátria é este? Já chega!
O Brasil cansou de ser traído por seu próprio povo! Que sirva de lição para que nos agigantemos para construirmos um país melhor! Educar nossos filhos para uma geração de vergonha! Uma verdadeira nação que se orgulha de seu povo e não só de seu futebol!
 

A RESPOSTA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Um grupo de mulheres reuniu-se num seminário sobre como melhorar a sua vida  conjugal, quando lhes foi questionado:
- Quais de vocês ainda amam os seus  maridos?
Todas levantaram a mão! Em seguida foram inquiridas sobre qual a última vez que teriam dito aos seus maridos que o amavam. Algumas responderam “Hoje”, outras “Ontem”, mas a maioria não se recordava!
Por fim fizeram um teste e pediram que todas pegassem seus celulares e enviassem um SMS aos seus maridos dizendo: “Te amo muito, querido”.
Depois foi pedido que mostrassem as respostas dos respectivos maridos.
Estas foram algumas das respostas:
- Você está bem?
- Que foi? Bateu com o carro outra vez?
- O que você fez agora?
- O que é que você quer dizer?
- Não fala com rodeios, me diz logo de quanto você precisa!
- Estou sonhando?
- Se não me disser para quem era este SMS, eu juro que te mato!
  E a melhor de todas:
  - Quem  é?

quinta-feira, 10 de julho de 2014

CONSELHO DE AMIGO...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Gente, vamos esquecer esse negócio de derrota da nossa seleção.
Agora é hora de cada um ir para sua casa, dar um beijo em sua MÜLLER; tirar essa chuteira suja, com fedor de SCHÜRRLE; vestir a sua sunga de LAHM, sair para pegar uma praia e dar um KLOSE nos bumbuns das gatas.
À tarde, para acaba com qualquer OZIL, tire onda com sua motocicleta de Moto KROOS e, à noite, convide seus amigos BOATENG, HUMMELS e HOWEDES para assistir um filme de ação, com o Arnold  SCHWEINSTEIGER...
Pois é  gente, se não tá fácil para gente, KHEDIRA para as seleções que saíram na primeira fase do mundial.
Por isso, amigos da seleção, sigam minhas dicas, deixem de  paraNEUER e esqueçam o que passou, que em 2018 o hexa é nosso!

DAR É DAR...

Texto de Luiz F Veríssimo
 
Dar não é fazer amor. Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete. Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca, te chama de nomes que eu não escreveria... Não te vira com delicadeza, não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom... Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar, sem querer apresentar pra mãe, sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo. Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral, te amolece o gingado, te molha o instinto. Dar porque a vida é estressante e dar relaxa. Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito...
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora, durante um mês, para os mais desavisados, talvez anos. mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar. É não ganhar um eu te amo, baixinho, perdido no meio do escuro; é não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir; é não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:
- Que que cê acha amor?
Dar é Dar!
É não ter companhia garantida para viajar; é não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia. Dar é não querer dormir encaixadinho, é não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável! Dê mesmo, dê sempre, dê muito, mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão: relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar.
Experimente ser amado...
 

CONVITE

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


quarta-feira, 9 de julho de 2014

GOZAÇÃO PÓS "MINEIRAZO"

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

1. Fui mijar, estava 0x0.
    Voltei, estava 5x0.
    Ainda bem que não caguei...
     
2. O governo avisa:
Em 2018, o Brasil vai ser hexa: teremos jogadores cubanos, com o lançamento do programa "Mais Jogadores".

3. Questão de Concurso
(UEW - 2014) Após a segunda Guerra Mundial, contra quem foi o maior massacre dos alemães:
(    ) Os judeus
(    ) Os negros
(    ) Austríacos
( x ) Seleção Brasileira 

4. Tô trancado no banheiro, com vergonha de sair no quintal e olhar pro meu cachorro: ele é um Pastor Alemão. Tenho medo de, ao invés de latir, ele rir de mim.

domingo, 6 de julho de 2014

UMA VERGONHA!

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 



NADA CONTRA...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


BEZERRÃO

Texto de Carlito Lima
Conheci Bezerrão ainda menino, tinha meus 10 anos, meu pai gostava de tomar cerveja com uma turma de escritores, artistas, intelectuais, boêmios, no Bar Colombo, centro de Maceió, nesse aprazível local conheci a figura impoluta, deu-me uma tabela da Copa do Mundo de 1950, guardei-a por muitos anos, lembrança feliz marcada na memória.
Bezerrão era investigador de Polícia Militar, considerado “velha guarda” da corporação nos anos 50.
Ninguém sabia seu primeiro nome. Todos o chamavam por Bezerrão. Morava no Prado, na Rua da União, nos fundos da Rede Ferroviária do Nordeste, antiga Great Western, quando ainda pertencia aos ingleses.
Todos as tardes Bezerrão, vestido num terno de brim ou linho branco, paletó de quatro botões, ficava na Praça do Pirulito pedindo carona aos carros que passavam para o centro da cidade. Alguma alma caridosa levava nosso herói para  comparecer a seu “plantão” diário nas rodas de conversa fiada que se formavam no trecho entre o Bar Colombo, o Bilhar do Comércio, passando pelo Salão Elite (do Zezé) e a Assembleia Legislativa.
Quem quisesse achar Bezerrão bastava ir às tardes na Rua do Comércio, infalivelmente estava lá nosso respeitado policial.
Alto, forte, físico avantajado, mais de 1:90 metros, vozeirão assustador, conversar, bater papo era sua distração. Opinava sobre qualquer assunto, gostava de dar "pitacos", soltar “tiradas”, frases de efeito, algumas de sua autoria, impressionavam e divertiam a todos. No linguajar popular havia muita sabedoria em suas palavras.
Ele costumava repetir um dito aprendido com um italiano proprietário de uma loja de calçados na Rua do Comércio. Quando se falava de mulher gaieira, traidora, Bezerrão soltava a frase misturando português e italiano:
- Si tuto cornuto fosse lampioni, mamma mia, quanta iluminacioni.
Não tinha preconceitos ou acanhamento, metia-se em qualquer roda, dava opiniões sobre tudo. Querido de todos, principalmente dos boêmios, políticos e desocupados que instigavam-no a contar fanfarronices. O problema era desligar Bezerrão, quando começava não costumava parar de falar.
Certa vez em passagem pela Assembléia Legislativa encontrou um grupo de deputados formado por Teotônio Vilela, Remi Maia, Luiz Coutinho, Elízio Maia, que pararam a conversa quando Bezerrão se aproximou. Teotônio com sua franqueza foi logo despachando:
- Estamos conversando sobre política.
Bezerrão antes de ir embora, não se conteve, perguntou:
- É que passei uns dias numa fazenda e estou com uma dúvida e quero que os senhores deputados me tirem essa dúvida: "Por que a cabra que come capim quando faz cocô é aquela bolinha pequena, enquanto a vaca que também come capim o cocô é enorme e espalhafatoso?"
Como os deputados ficaram calados, ele rematou.
- Os senhores não entendem de merda, avaliem de política!
Saiu faceiro e gozador, ouvindo a gostosa e escancarada gargalhada de Teotônio, e o mutismo, a sisudez dos outros deputados.
Como investigador era ídolo dos mais jovens, que não perdoava com trotes e gozações. Certa tarde deu corda num novato para desarmar um cidadão que tomava sossegadamente cerveja em uma mesa no Bar Colombo. Era um Capitão do Exército, conhecido na cidade como encrenqueiro e arruaceiro.
Quando o jovem perguntou se o cidadão estava armado, o Capitão tirou uma 45 (arma exclusiva do Exército) dos quartos, colocou-a em cima da mesa, perguntou, ameaçador:
- Estou armado!  E daí?
O jovem ficou embaraçado, tremendo, Bezerrão foi a socorro, falou para o Capitão, ele tinha sido o mentor daquela “brincadeira”. Os três juntos ficaram até tarde da noite bebendo por conta do militar, que apesar de ser chegado a uma confusão, era um tremendo boa praça.
Na Rua do Comércio o pessoal adorava ouvir suas tiradas e iam ao delírio quando, por exemplo, um ex-freqüentador daquela rodinha do Bar Colombo, recentemente eleito vereador, passou ao longe sem parar, sem se chegar, como fazia sempre antes das eleições. Bezerrão filosofou gritando para o amigo:
- Fulano! Se tudo que subisse não caísse, o céu estava cheio de taboca de foguetes.
Grande Bezerrão, filósofo do povo, figura imortal, fez história nas ruas da cidade de Nossa Senhora dos Prazeres, na Maceió de outrora.