sábado, 31 de janeiro de 2015

O CHURRASCO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O Ministro da Educação de determinado país foi convidado para participar de uma recepção em sua homenagem, oferecido pelos alunos que concluíram o ensino superior pelo regime de cotas.
Quando ele chegou ao local, estranhou ver um monte enorme de sacos cheios de um pó branco. Dirigiu-se ao rapaz que estava preparando o churrasco e perguntou:
- O que é que está dentro daqueles sacos?
- É cal, senhor, Ministro.
- Cal? Mas para quê?
- Eu também não sei... Mas as ordens que recebi foram de comprar 102 sacos de cal!
Intrigado, a Ministro dirigiu-se ao responsável pela recepção (um ex-aluno seu, beneficiado pelo sistema de cotas criado pelo próprio Ministro) e perguntou-lhe o que é que pretendia fazer com tanta cal. O ex-aluno, espantadíssimo, comentou que não tinha encomendado cal nenhuma. Então resolveram esclarecer tudo com o rapaz encarregado de comprar tudo que era necessário para o churrasco, para esclarecerem o assunto.
- Quem foi que te mandou comprar tantos sacos de cal?
- Foi você - respondeu o encarregado.
- Eu?! - exclamou o dono da festa.
- Sim, você não se lembra? Veja, ainda tenho aqui a lista do que você escreveu...
E exibiu uma lista enorme de compras que lhe tinha sido dada. O ex-aluno do Ministro, cotista e organizador da festa, disparou:
- Ôxente, mas tu és mesmo burro! Não vê que me esqueci de pôr a cedilha? O que eu queria dizer era çal e não era 102 sacos, mas sim 1 ô 2!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

CARTÃO DE CRÉDITO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Uma correntista de um determinado Banco morreu em julho de 2010 e o Banco faturou, durante os meses de agosto, setembro, outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, as despesas de manutenção anual do cartão de crédito da falecida, acrescentando ainda multas por atraso e juros sobre estas faturas mensais que não tinham sido pagas e enviou um aviso de cobrança para a "devedora".
Após receber o aviso de cobrança, um membro da família fez uma ligação telefônica para o tal Banco, cujo diálogo abaixo, verdadeiro ou não, não deixa de ser interessante, muito embora ele é tido como verídico: 
- Estou ligando para dizer que ela morreu em julho de 2010.
- A conta dela não foi fechada e os juros de mora e encargos ainda se aplicam (sobre as taxas de manutenção).
- Talvez você deva colocar à fundo perdido.
- Não posso, são meses de atraso.
- Então o que farão quando descobrirem que ela está morta?
- Nós encaminharemos relatório da conta para a divisão de fraudes e denunciaremos ao SPC!
- Você acha que Deus vai ficar bravo com ela?
- Desculpe-me, não entendi!
- O que você não conseguiu entender? A parte sobre ela estar morta?
- Senhor, você terá que falar com meu supervisor.
- Estou ligando para dizer que ela morreu em julho de 2010 com um saldo ZERO.
- A conta não foi fechada e juros de mora e encargos ainda se aplicam.
- Você quer dizer que deseja tomar uma propriedade dela? Ela não tinha bens e morava de aluguel...
Silêncio...
- Você é advogado dela?
- Não, eu sou seu sobrinho-neto.
- Você pode nos enviar por fax um atestado de óbito?
- Claro.
Em seguida o fax foi enviado.
Depois de receber o fax:
- Nosso sistema não é configurado para a morte. Eu não sei o que mais posso fazer para ajudar. 
- Bem se você descobrir isso seria ótimo! Se não, você poderia simplesmente manter seu faturamento. Ela não vai se importar.
- Bem os juros de mora e encargos serão ainda aplicáveis.
- Será que você gostaria do novo endereço dela para enviar cobrança?
- Isso seria ótimo e poderia ajudar.
- Cemitério Memorial Boa Viagem, Av. Redenção 129, lote 69.
- Senhor, isso é um cemitério!
- É a nova morada dela, local para aonde vão as pessoas mortas em nosso planeta!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

“DOIZI”, ESPELHANDO OS 539 MIL ZEROS DO ENEM...

Texto de Alberto Rostand Lanverly
Membro das Academias Maceioense e Alagoana de Letras e do IHGAL


Os números são chaves de ouro. Com elas podemos abrir o baú da história e desnudar o ocorrido através dos tempos. Sem dúvida, o mundo é norteado por um somatório de algarismos que, juntos, muito significam no desenvolvimento da humanidade: Os trezentos de Esparta, por exemplo, reverencia um grupo de guerreiros gregos que, quase cinco séculos antes da vinda de Cristo, no Estreito de Termólipas, lutaram até a morte para refrear a invasão do Rei Xerxes e seus milhares de soldados persas.
Ao mencionarmos “Ali Babá”, os pensamentos são remetidos a algum lugar do oriente e se deparam com os quarenta ladrões, cujo chefe, ao pronunciar a frase mágica Abre-te-Sésamo, movia enorme pedra, desnudando passagem para uma caverna recheada de jóias, surrupiadas nas inúmeras pilhagens praticadas por eles. Ao vislumbrarmos o céu repleto de pérolas brilhantes, nossos olhos se deparam com a Constelação das três Marias, também conhecida como Cinturão de Orion, o caçador gigante que, morto por um escorpião, foi designado por Zeus para proteger a abóbada celeste.
Definitivamente, números vinculam fatos a eras, de forma tão matematicamente cirúrgica que, quando acontecem, dificilmente são esquecidos, mas, muito pelo contrário,  repetidos com um aperfeiçoamento incrível. Que o digam as centenas de larápios roubando, de forma inusitada, os cofres públicos e privados deste imenso país chamado Brasil.
Falando em números e Brasil, nos últimos dias os filhos da pátria quedaram boquiabertos ante o fantástico índice negativo alcançado por alunos deste país que parece nunca cansar de dormir em berço esplêndido: ao participarem do último ENEM, uma prova elaborada pelo Ministério da Educação para verificar o domínio de competências e habilidades dos mesmos, nos anos de estudo que antecedem o ingresso na Universidade, receberam quinhentos e trinta e nove mil zeros em Redação. Um retrato da pobreza em que vivemos, devido, principalmente, à explícita falta de respeito das autoridades às gerações teoricamente sucessoras de suas funções e postos, ou melhor, à imagem e semelhança dos que, momentaneamente, detém o poder.
Outro dia, em um ambiente público, vislumbrei uma “autoridade” exercendo a competência de seu posto. Como bom curioso, fiquei espiando o desenrolar do evento. Resolvido o imbróglio, o competente superior se dirigiu a uma vendedora de galeto e perguntou quanto custava “doizi”. A comerciante, sem entender, replicou: Hein? Ele repetiu a palavra “doizi”, espalmando um par de dedos na direção de seu rosto. Como era concursado, tenho certeza que aquele dirigente expressou “doizi”, por vício de linguagem e não por ignorância. É uma pena, mas, é este o retrato de nosso povo. Tenho esperança que aquele homem, detentor do poder, não trabalhe no “nônimo” andar de sua repartição.
Felizmente, ainda há tempo para somarmos ideias e multiplicarmos esperanças, ensejando que o saber possa iluminar a mente de milhares de jovens brasileiros, hoje vagando na falta de cultura.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

DITADOS INTELIGENTES

Texto de Aloisio Guimarães

Estou apresentando uma coletânea de ditados antigos e conhecidos, garimpados na internet, com uma roupagem atual, bem humorada, voltada para a informática:

• A arquivo dado não se olha o formato.

• A cara de um, o Facebook do outro.

• A minha vida é um Facebook aberto.

• A pressa é inimiga da conexão.

• Aluno de informática não cola, faz backup.

• Amigos, amigos, senhas à parte.

• Antes só do que conexão compartilhada.

• Clique onde eu digo, mas não clique onde eu clico!

• De hacker e louco, todo mundo tem um pouco.

• Diga-me que chat frequentas e te direi quem és.

• Em briga de namorados virtuais não se mete o mouse.

• Em casa de programador, o espeto é de fibra ótica!

• Em terra off-line, quem tem um 486 é rei.

• Há dois tipos de pessoas na informática: os que formataram o HD e os que ainda vão formatar.
• Hacker que ladra, não morde.

• Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando.

• Melhor prevenir do que formatar.

• Memória não é documento!

• Mouse sujo se limpa em casa.

• Na informática nada se perde e nada se cria; tudo se copia e depois se cola.

• Não adianta chorar sobre arquivo deletado.

• Nada como um clique atrás do outro.

• O micro barato sai caro, e lento

• Para bom provedor uma senha basta.

• Quem ama um 486, Pentium 7 lhe parece.

• Quem clica seus males multiplica.

• Quem com vírus infecta, com vírus será infectado.

• Quem envia o que quer, recebe o que não quer.

• Quem não tem micro, tecla em lan-house.

• Quem não tem banda larga, navega com internet grátis.

• Quem não tem um programa pirata, que aperte a primeira tecla.

• Quem nunca entrou em site de sacanagem, quando entra se lambuza!

• Quem semeia e-mails, colhe tempestades de spams.

• Quem tem dedo vai a Roma.com.

• Quem vê Facebook, não vê Orkut.

• Quando um e-mail é grande, o antivírus desconfia.

• Quando um não quer, dois não teclam.

• Ruim com o seu tablet, pior sem o meu notebook!

• Se correr o hacker pega, se ficar o hacker come!

• Sites passados não movem o browser!

• Um é pouco, dois é bom, três é chat ou lista virtual.

• Vão-se os arquivos, ficam os back-ups.

O Natal das pessoas viciadas em computador é diferente: no dia 25 de dezembro, o Pai Natal desce pelo cabo de rede, sai pela porta serial e diz:

 - Feliz Natal! ROM! ROM! ROM!
 

domingo, 25 de janeiro de 2015

ECONOMIA NO NOSSO BOLSO

Texto de Luiz Ferreira da Silva
ENGENHEIRO-AGRÔNOMO E ESCRITOR

Amigos,

Postei no Facebook:
Estão metendo a mão no nosso bolso e nos empobrecendo. Estamos pagando a estupidez gerencial da Presidenta!
A enganadora Presidenta está nos assaltando no afã de resolver a economia do país em bancarrota por ela mesma. E como? Sacrificando a classe média. Cortar gastos nem pensar!
1. Economia é parar com os passeios dos ministros e políticos nos nossos jatinhos;
2. Economia é acabar com a imoralidade dos cartões corporativos;
3. Economia é acabar com os salários astronômicos dos Diretores das Estatais pagos a pessoas desqualificadas do PT;
4. Economia é fechar os Ministérios peito - de - homem (nāo serve para nada), reduzindo - os a apenas 10;
5. Economia é acabar com os cargos em comissão destinados aos políticos derrotados e apaniguados dos poderosos;
6. Economia é acabar com as mordomias estúpidas dos políticos e jurista, desde auxílios moradias aos empregos familiares;
7. Economia é botar para trabalhar estas duas classes privilegiadas;
8. Economia é acabar com a corrupção que sangra bilhões dos nossos bolsos;
9. Economia é reduzir o bolsa família, eliminando um bando de vagabundos, deixando apenas os mais de 65 anos e sem condições de trabalhar;
10. Economia é acabar com as viagens de inúteis servidores apadrinhados;
11. Economia é baixar os salários para um teto de 25 mil, sem cascata e sem burlas;
12. Economia é parar com a burrice das olimpíadas;
13. Economia é cobrar os burladores do INSS, do FGTS, etc;
14. Economia é acabar com as caravanas da Presidenta nos passeios internacionais;
15. Economia é acabar com subsídios do minha casa minha vida;
16. Economia é parar de jogar dinheiro fora com uma distribuição de terras inoperante;
17. Economia é fechar todos os Tribunais de Conta dos Estados;
18. Economia é reduzir os 40 bilhões enterrados no pré - sal para menos de 5bi;
19. Economia é fechar postos da Embrapa no exterior;
20. Economia é reformular muitos convênios com empresas inidôneas que sugam as tetas do governo;
21. Economia é substituir os mequetrefes gerentes por técnicos capacitados;
22. Economia é buscar no exterior o dinheiro roubado pelos políticos e empresários.
Para tal é só fazer um Pacto Nacional de soerguimento do Brasil. Mas nāo, governo chinfrim, prefere assaltar os que produzem.

sábado, 24 de janeiro de 2015

SÓ MUDARAM AS MOSCAS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Para júbilo e gáudio dos amantes dos textos clássicos, segue uma carta do imperador Vespasiano a seu filho Tito:
22 de junho de 79 d.C.
Tito, meu filho,
Estou morrendo. Logo eu serei pó e tu, imperador. Espero que os deuses te ajudem nesta árdua tarefa, afastando as tempestades e os inimigos, acalmando os vulcões e os jornalistas.
De minha parte, só o que posso fazer é dar-te um conselho: não pare a construção do Colosseum. Em menos de um ano ele ficará pronto, dando-te muitas alegrias e infinita memória.
Alguns senadores o criticam, dizendo que deveríamos investir em esgotos e escolas. Não dê ouvidos a esses poucos e pensa: "Onde o povo prefere pousar seu clunis: numa privada, num banco de escola ou num estádio?"
- Num estádio, é claro!
Será uma imensa propaganda para ti. Ele ficará no coração de Roma "per omnia saecula saeculorum", e sempre que o olharem dirão: "Estás vendo este colosso? Foi Vespasiano quem o começou e Tito quem o inaugurou.".
Outra vantagem do Colosseum: ao erguê-lo, teremos repassado dinheiro público aos nossos amigos construtores, que tanto nos ajudam nos momentos de precisão.
Moralistas e loucos dirão que mais certo seria reformar as velhas arenas. Mas todos sabem que é melhor usar roupas novas que remendadas. "Vel caeco appareat" (Até um cego vê isso). Portanto, deves construir esse estádio em Roma.
Enfim, meu filho, desejo-te sorte e deixo-te uma frase: "Ad captandum vulgus, panem et circenses" (Para seduzir o povo, pão e circo).
Esperarei por ti, ao lado de Júpiter.
Vespasiano morreu no dia seguinte à carta. Tito inaugurou o Coliseu com 100 dias de festa. Tanto o pai quanto o filho foram deificados pelo senado.
 A propósito de Copas e Olimpíadas, continua válida a pergunta de Vespasiano:
- Onde o povo prefere pousar seu clunis: numa privada, num banco de escola ou num estádio? 
Assim, a gente de Brasília construirá monumentais estádios em Cuiabá, Recife e Manaus, mesmo que nem haja ludopédio por esses lugares. Só para se ter uma ideia, em Cuiabá, a Arena Pantanal terá 43.600 lugares. No último campeonato de Mato Grosso, a média foi inferior a 1.000 pessoas por partida. Em Recife, haverá um novo Estádio, embora todos os grandes clubes locais já tenham o seu. Em Manaus, pior ainda: a Arena terá 47 mil lugares. No último campeonato estadual, juntando os 80 jogos, o público total foi de 37.971 pessoas.
As gentes da Terra Papagalli não ligaram nem mesmo para o exemplo dos sul-africanos, que construíram 5 novos estádios e 4 são deficitários.  
Vespasiano estava certo: o grande negócio é construir estádios!
NB: Em latim, "clunis" são "nádegas". 

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

MATANDO A SEDE

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Para os amigos "chegados", principalmente numa "loira estupidamente gelada", um texto retirado de "O bar do Zé", numa brilhante, divertida e educativa analogia, aqui publicada, sem cunho científico: 
Você vai ao bar e bebe uma cerveja; bebe a segunda cerveja, a terceira e assim por diante. O teu Estômago manda uma mensagem pro teu Cérebro dizendo:
- Caracas, veio, o cara tá bebendo muito líquido! Tô cheião!
Teu Estômago e teu Cérebro não distinguem que tipo de líquido está sendo ingerido, ele sabe apenas que é líquido. Quando o Cérebro recebe essa mensagem ele diz:
- Caracas, o cara tá maluco!
E manda a seguinte mensagem para os Rins:
- Meu, filtra o máximo de sangue que tu puderes. O cara aí tá maluco e tá bebendo muito líquido, vamo botar isso tudo pra fora...
E o Rim começa a fazer até hora extra e filtra muito sangue e enche rápido. Daí vem a primeira corrida ao banheiro. Se você notar, esse primeiro xixi é com a cor normal, meio amarelado, porque além de água, vêm as impurezas do sangue.
O Rim aliviou a vida do Estômago, mas você continua bebendo e o Estomago manda outra mensagem pro Cérebro:
- Cara, ele não para! Socorro!
E o Cérebro manda outra mensagem pro Rim:
- Véio, estica a baladeira, manda ver aí na filtragem!
O Rim filtra feito um louco, só que agora, o que ele expulsa, não é o álcool; ele manda para Bexiga apenas Água (o líquido precioso do corpo). Por isso que as mijadas seguintes são transparentes, porque é água. E quanto mais você continua bebendo, mas o organismo joga água para fora e o teor de álcool no organismo aumenta e você fica mais "bunitim".
Chega uma hora que você está com o teor alcoólico tão alto que teu Cérebro desliga você. Essa é a hora que você desmaia, dorme, capota...
Ele faz isso porque pensa: "Meu, o cara tá a fim de se matar, tá bebendo veneno pro corpo, vou apagar esse doido pra ver se assim ele para de beber e a gente tenta expulsar esse álcool do corpo dele".
Enquanto você está lá, apagado (sem dono), o Cérebro dá a seguinte ordem para o sangue:
- Bicho, apaguei o cara, agora a gente tem que tirar esse veneno do corpo dele. O plano é o seguinte, como a gente está com o nível de água muito baixo, passa em todos os órgãos e tira a água deles e assim a gente consegue jogar esse veneno fora.
O Sangue é como se fosse o "boy" do corpo. E como um bom "boy", ele obedece as ordens direitinho e por isso começa a retirar água de todos os órgãos. Como o Cérebro é constituído de 75% de água, ele é o que mais sofre com essa "ordem" e daí vem as terríveis dores de cabeça da ressaca.
Então, sei que na hora a gente nem pensa nisso, mas, quando forem beber, bebam de meia em meia hora um copo d'água, porque na medida em que você urina, já repõe a água.

o - o - o - o - o
Dizem que:
• Tomar água na hora correta maximiza os cuidados no corpo humano.
 2 copos de água depois de acordar ajuda a ativar os órgãos internos.
• 1 copo de água 30 minutos antes de comer ajuda na digestão.
 1 copo de água antes de tomar banho ajuda a baixar a pressão sanguínea.
• 1 copo de água antes de ir dormir evita ataques do coração.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

COMPORTAMENTO FEMININO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

• NO TOALETE
Mulher fina: ... (calada)
Mulher comum:  Essa calcinha me incomoda.
Mulher vulgar: Eu odeio calcinha enfiada no rego.
Mulher depravada: Eu tenho ódio de calcinha enfiada no cu.

• APÓS UM JANTAR
Mulher fina: O jantar estava divino, parabéns.
Mulher comum: Estou satisfeita.
Mulher vulgar: Tô cheia...
Mulher depravada: Comi até o cu fazer bico.

• NO CHURRASCO
Mulher fina: Está ótima essa linguiça.
Mulher comum: Muito boa essa linguiça.
Mulher vulgar: Noosssaaa, que linguiça grande!
Mulher depravada: Tô comendo a linguiça do churrasqueiro (gargalhada).

• BEBIDAS
Mulher fina: Champanhe, uísque e vinho, dependendo da ocasião.
Mulher comum: Chopp.
Mulher vulgar: Caipirinha.
Mulher depravada: cachaça, conhaque, cerveja, vodca, licor, água de bateria, etc.

• PROCURANDO UM AMIGO NUMA FESTA
Mulher fina: Você viu o Pedro?
Mulher comum: Cadê o Pedro?
Mulher vulgar: Pedroooooooooooo!!!
Mulher depravada: Cacete, cadê esse viado do Pedro?

• SAINDO DA MESA PARA IR AO BANHEIRO
Mulher fina: Com licença, vou retocar a maquiagem.
Mulher comum: Vou ao toalete.
Mulher vulgar: Vou tirar água do joelho (risos).
Mulher depravada: Vou fazer um download, soltar um barro, matricular o Lula na natação (gargalhada).

• VENDO UM HOMEM INTERESSANTE
Mulher fina: Muito simpático!
Mulher comum: Que homem lindo!
Mulher vulgar: Dessa fruta eu chupo até o caroço!
Mulher depravada: Com esse eu faço a barba, cabelo e bigode!

• O QUE DIZEM AO OUVIR ALGUMA GRACINHA
Mulher fina: ... (calada)
Mulher comum: Tem gente que não tem noção.
Mulher vulgar: Vai te catar, ô meu! Não se enxerga não?
Mulher depravada: Vai tomar no cu, seu viado, corno filho da puta!

• O QUE ROLA NO PRIMEIRO ENCONTRO
Mulher fina: Só um beijo de despedida.
Mulher comum: Muitos beijos.
Mulher vulgar: Beijos e carícias (amasso)
MULHER DEPRAVADA: Trepa e dá a bunda, dizendo que era virgem atrás.

• OUVINDO JAZZ
Mulher fina: Lindo!
Mulher comum: Adoro qualquer tipo de música!
Mulher vulgar: Que porra de música é essa?
Mulher depravada: Tira logo essa merda daí e coloca um forró porque não tem ninguém morrendo aqui!

• DIANTE DA BROCHADA DO PARCEIRO
Mulher fina: Meu amor, isso acontece; fique tranquilo.
Mulher comum: O problema é comigo?
Mulher vulgar: Você tem outra, é isso?
Mulher depravada: Caralho! Quer que eu faça fio terra em você, porra?

• FAZENDO UM CONVITE
Mulher fina: Meu amor, isso acontece; fique tranquilo.
Mulher comum: Vamos fazer amor?
Mulher vulgar: Vamos transar?
Mulher depravada: Porra, vamos foder logo duma vez!