terça-feira, 30 de agosto de 2016

CURTO E GROSSO

Texto de Aloisio Guimarães

Uma coletânea de frases divertidas, criativas, burras e inteligentes, que circulam na internet e que são atribuídas a personalidades da vida nacional:
• Viver no Rio é uma merda; mas é bom. Viver em New York é bom, mas é uma merda.- TOM JOBIM
• Por ocasião da inauguração da Ponte Rio-Niterói, pediram a opinião do Max Nunes. Resposta: Por um lado, é muito bom; por outro lado, é Niterói. - MAX NUNES
• Quando estamos fora, o Brasil dói na alma; quando estamos dentro, dói na pele. - STANISLAW PONTE PRETA
• A Academia Brasileira de Letras se compõe de 39 membros e um morto rotativo. -  MILLÔR FERNANDES
• Pior do que o fim do mundo, para mim é o fim do mês. - ZECA BALEEIRO
• Quem se mata de trabalhar merece mesmo morrer. - MILLÔR FERNANDES
• Como se algum político, com exceção de uma meia dúzia de três ou quatro, representasse alguém, a não ser a si mesmo, a família e aderentes. - JOÃO UBALDO RIBEIRO
• Democracia é quando eu mando em você. Ditadura é quando você manda em mim. - MILLÔR FERNANDES
• A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal. - RAUL SEIXAS
• Não é triste mudar de ideias; triste é não ter ideias para mudar. - BARÃO DE ITARARÉ
• Ninguém morre, as pessoas despertam do sonho da vida. - RAUL SEIXAS
• Comecei uma dieta: cortei a bebida e as comidas pesadas e em quatorze dias perdi duas semanas de vida. - TIM MAIA
• A minha vontade é forte, mas a minha disposição de obedecer-lhe é fraca. -  CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
• O sol nasce para todos, a sombra para quem é mais esperto. - STANISLAW PONTE PRETA
• Nada nos humilha mais do que a coragem alheia. - NELSON RODRIGUES
• Celulites não são apenas celulites, elas querem dizer: "Eu sou gostosa". Só que em Braille... - RITA CADILAC
• De nada adianta ter barriga de tanquinho, se a torneira for pequena... -  REINALDO GIANECHINI
• Para seu marido não acordar com a macaca, depile-se. - VERA FISCHER
• O homem é um ser tão dependente, que até para ser corno, precisa da ajuda da mulher. Para ser viúvo, também... - DERCY GONÇALVES
• Por maior que seja o buraco em que você se encontra, pense que, por enquanto, ainda não há terra em cima. - YASSER ARAFAT
• Preguiçoso é o dono da sauna, que vive do suor dos outros. - PRÍNCIPE CHARLES
• Se um dia, a vida lhe der as costas, passe a mão na bunda dela! NELSON RODRIGUES
• Se homossexualismo fosse normal, Deus teria criado Adão e Ivo. - ROBERTA CLOSE
• Todo mundo tem cliente. Só traficante e analista de sistemas é que tem usuário. -  BILL GATES
• Seja legal com seus filhos. São eles que vão escolher seu asilo. - DESCONHECIDO

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

OS HOMENS DO PONTO DE VISTA FEMININO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Os homens bons são feios.
Os homens bonitos não são bons.
Os homens bonitos e bons são gays.
Os homens bonitos, bons e heterossexuais estão casados.
Os homens que não são bonitos, mas são bons, não têm dinheiro.
Os homens que não são bonitos, mas que são bons e com dinheiro, pensam que só estamos atrás de seu dinheiro.
Os homens bonitos, que não são bons e são heterossexuais, não acham que somos suficientemente bonitas.
Os homens que nos acham bonitas, que são heterossexuais, bons e têm dinheiro, são covardes.
Os homens que são bonitos, bons, têm dinheiro e graças a Deus são heterossexuais, são tímidos e nunca são o primeiro passo!
Os homens que nunca dão o primeiro passo, automaticamente perdem o interesse em nós quando tomamos a iniciativa.
MORAL DA HISTÓRIA:
Homens são como um bom vinho: todos começam como uvas, e é dever da mulher pisa-los e mantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia para o jantar.
AGORA, QUEM NESSE MUNDO ENTENDE AS MULHERES?

domingo, 28 de agosto de 2016

NUNCA ESQUEÇA QUE...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

· Deus não escolhe pessoas capacitadas, Ele capacita os escolhidos.
· Um com Deus é maioria.
· Devemos orar sempre, não até Deus nos ouvir, mas até que possamos ouvir a Deus.
· Nada está fora do alcance da oração, exceto o que está fora da vontade de Deus.
· O mais importante não é encontrar a pessoa certa, e sim ser a pessoa certa.
· Moisés gastou 40 anos pensando que era alguém; 40 anos aprendendo que não era ninguém e 40 anos descobrindo o que Deus pode fazer com um “ninguém”.
· A fé ri das impossibilidades.
· Não confunda a vontade de DEUS, com a permissão de DEUS.
· Não diga a DEUS que você tem um grande problema, mas diga ao problema que você tem um grande DEUS.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

ZOLIMPÍADAS DO SERTÃO

Texto de Edson Francisco
Gravatá - PE

Sonhei com as Zolimpíadas
Chegando no meu sertão
Foi o maior espetáculo
Que se viu na região
Tinha gente que só a peste
Lá das brenhas do nordeste
Chegando de caminhão 

No desfile de abertura
A bandeira nordestina
Toda feita de retalhos
Pelas mãos de Severina
E eu ali, de camarote
O bode virou mascote
A tocha era a lamparina 

A nossa delegação
Para conquistar os louros
Desfilou de guarda-peito
Gibão e chapéu de couro
E enfrentando a batalha
Conquistou muitas medalhas
De bronze, de prata e ouro 

Quem carregou a bandeira
Foi Ritinha de Zé Bento
Já a pira foi acesa
Por Tonin de Livramento
Nosso atleta principal
E recordista mundial
Do hipismo de jumento 

Antes das competições
Um lanche bem reforçado
Com buchada, cajuína
Rapadura e milho assado
Fava verde com galinha
Sarapatel com falinha
Angu com bode guisado 

Nas águas do Velho Chico
As provas de natação
Os pulos ornamentais
De cima de um paredão
Ginástica num terreiro
Remo e vela num barreiro
E judô num palhoção 

A maratona, seu moço
Era por nossas estradas
Atravessando os riachos
Nas veredas, nas quebradas
Da paisagem nordestina
Ao som do galo-campina
E da patativa golada 

Na competição de tiro
Os velhos de bacamarte
Pé-de-bode, granadeira
Vestimenta de zuarte
E davam cada pipoco
Do sujeito ficar môco
De se ouvir em toda parte 

A prova de atletismo
Conhecida por carreira
De cem e duzentas léguas
Com barreira e sem barreira
Foi por dentro do cercado
Atravessando um roçado
Pelo meio das capoeira 

Os saltos, lá no sertão
Eram provas de “pinote”
De riba de uma barreira
Num pedaço de caixote
O cabra de lá pulava
Num açude tibungava
Caindo feito um caçote 

O jogo de futebol
Se jogava sem chuteira
Num campo de chão batido
No alto de uma ribanceira
As traves de barandão
O campo sem marcação
No calor e na poeira 

Levantamento de peso
Quem ganhou foi Sebastião
Cinco sacos de farinha
Três arrobas de algodão
Com esse peso todinho
Ele se ajudou sozinho
E se sagrou campeão 

O arremesso de pedra
Quem ganhou foi Expedito
No tiro com baladeira
Carmelita fez bonito
E já na queda de braço
O ouro foi pra Inaço
E a prata pra Benedito 

Fizeram de três batentes
Pódio pra premiação
Com uns ramos de onze-horas
Era a coroação
E numa latada de lona
Asa branca na sanfona
Completava a emoção 

E assim eu me acordei
Com orgulho do sertão
Desse povo vencedor
De tão grande coração
De história tão sofrida
Que nas batalhas da vida
Nasceu pra ser campeão

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

A SOLUÇÃO PARA UMA BOA DIETA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Os monges do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, eram submetidos, na Idade Média, a um tratamento infalível contra a obesidade que até hoje não foi superado por nenhuma dieta. Os monges, que comiam no refeitório, eram obrigados a buscar a própria comida na cozinha ao lado. Ninguém podia servi-los. O problema é que precisavam atravessar uma porta. E daí? É que a porta media 2 metros de altura e apenas 32 centímetros de largura. Quem não conseguisse ultrapassá-la ficava sem comer e, obviamente, emagrecia velozmente.
Os superiores dos monges recorreram à porta “pega-gordo” porque a gula é um dos sete pecados capitais e a obesidade tornava-os menos aptos aos trabalhos braçais. Os religiosos pertenciam à extinta Ordem de Cister, cujos seguidores trabalhavam como agricultores e produziam tudo que consumiam. Em 1834, foram obrigados a abandonar o mosteiro, pelo decreto governamental que suprimiu as ordens religiosas de Portugal.
Hoje, o Mosteiro de Alcobaça, considerado uma das sete maravilhas de Portugal, funciona como museu. Uma de suas atrações é justamente a porta “pega-gordo”.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ALIMENTADOS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
 
Um cara olhou para a minha “Harley” e disse:
- Estou me perguntando quantas pessoas poderiam ter sido alimentadas pelo dinheiro que essa moto custa...
Respondi:
- Eu não tenho certeza, mas alimentou um monte de famílias em Milwaukee, Wisconsin, que a construíram; alimentou as pessoas que fazem pneus; as pessoas que fizeram os componentes que vão nela; o povo na mina de cobre, que minou o cobre para os fios; as pessoas em Decatur Il, na Caterpillar, que fazem os caminhões que transportam o cobre minerado. Acho que realmente não sei quantas pessoas foram alimentadas...
Essa é a diferença entre o capitalismo e a mentalidade assistencialista. Ao comprar algo, você coloca dinheiro no bolso das pessoas e dá a elas a dignidade por suas habilidades. Quando você dá a alguém algo em troco de nada, está roubando sua dignidade e autoestima.
Capitalismo de mercado é dar livremente o seu dinheiro em troca de algo de valor, como Ludving Von Mises ensinou. Socialismo, Comunismo e Social Democracia é ter seu dinheiro tomado contra sua vontade e receber, à força, algo que nunca pediu.
By The Free Patriot 

terça-feira, 23 de agosto de 2016

POEMA ANATÔMICO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

POEMA ANATÔMICO
Quer seja curto ou comprido
Quer seja fino ou mais grosso
É um órgão muito querido
Por não ter espinhas nem osso
De incalculável valor
Ninguém tem um a mais
E desempenha no amor
Um dos papéis principais
Quando uma dama aparece
Ei-lo a pular com fervor
Se é um rapaz, estremece
Se é velho, tem pouco vigor
O seu nome não é tão feio
Pois tem sete letrinhas só
Tem um "R" e um "A" no meio
Começa em "C" e acaba em "O"
Nunca se encontra sozinho
Vive sempre acompanhado
Por outros dois orgãozinhos
Junto de si, lado a lado
O nome destes porém
Não gera confusões
Tem sete letras também
Tem "L" e acaba em "ÕES"
Prá acabar com o embalo
E com as más impressões
Os órgãos de que eu falo...
São o Coração e os Pulmões.
PENSOU BESTEIRA, NÉ?
MENTE SUJA! APROVEITA O RESTO DO DIA E VAI REZAR...

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

A SABEDORIA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um homem de 72 anos tinha o hábito de pescar no rio. Ele estava sentado no barco, pescando como de costume, quando ouve uma voz dizendo:
- Ei, por favor, pegue-me...
Ele olhou ao redor e não viu ninguém. Achou que estava sonhando, mas, mais uma vez, ouviu a voz:
- Ei, pegue-me...
Ele olhou ao redor mais uma vez e viu, na sua frente, um sapo boiando na água do rio. O homem ficou surpreso, pois nunca tinha visto um sapo falante, mas perguntou:
- Está falando comigo?
O sapo disse:
- Sim, estou falando contigo. Tire-me aqui do rio e então dê-me um beijo, e eu vou me transformar na mais linda mulher que você já viu em toda a sua vida, a ponto de deixar seus amigos caindo de inveja. Eu serei sua esposa!
O homem olhou para o sapo e decidiu pegá-lo. Retirou-o da água do rio e cuidadosamente o colocou no bolso da camisa.
O sapo então pergunta:
- Ei, está louco? Prestou atenção no que eu disse? Disse para me beijar e eu serei sua linda e maravilhosa esposa.
Ele olhou para o sapo e disse:
- Ah, não! Na minha idade, eu prefiro a companhia de um sapo falante!
COM A IDADE, CHEGA A SABEDORIA!

domingo, 21 de agosto de 2016

O ÚLTIMO DESEJO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um preso, condenado à pena de morte, esperando pela execução, pediu, como último desejo, um lápis e papel. Após escrever por vários minutos, o condenado chamou o guarda prisional e pediu que essa carta fosse entregue à sua mãe biológica:
Mãe,
Se houvesse mais justiça neste mundo, seríamos os dois executados e não apenas eu. És tão culpada quanto eu sou pela vida que tenho levado.
Lembra quando roubei e levei para casa a bicicleta de um menino como eu? Você me ajudou a escondê-la para que meu pai não descobrisse.
Lembra quando roubei dinheiro da carteira do vizinho? Você foi comigo gastá-lo no centro comercial.
Lembra quando discutiu com meu pai e ele foi embora? Ele só queria corrigir-me por eu ter roubado o resultado final do curso que acabei sendo expulso.
Mãe, eu era só uma criança... Pouco tempo depois, tornei-me um adolescente problemático e, agora, sou um homem bastante malformado. 
Mãe, eu era apenas uma criança que precisava de correção e não de aprovação. Mas mesmo assim eu te perdoo! Só peço que faça essa carta chegar ao maior número de pais do mundo, para eles saberem que o que faz todos os homens se tornarem pessoas do bem ou do mal é a Educação. 
Obrigado mãe, por me teres dado a vida e por me ajudares a perdê-la.
O teu filho delinquente.

sábado, 20 de agosto de 2016

UM ENCONTRO COM REFLEXÃO

Texto de Rubens Mário
PROFESSOR E ADMINISTRADOR DE EMPRESAS

Na semana passada fui mais uma vez surpreendido com um telefonema de um ex aluno do curso de administração do Cesmac - Benedito Soares - me comunicando que eu seria um dos professores homenageados na colação de grau que seria realizada na sexta-feira, dia 12 de agosto. A princípio, refuguei, justificando que na formatura anterior a coordenação do curso havia impedido a minha homenagem alegando que eu já não mais fazia parte do corpo docente daquela instituição, e a solenidade se realizaria no auditório do prédio onde funciona o curso de administração. Após a insistência do aluno, aceitei o convite e prometi que estaria presente ao importante evento.
Chegando lá, após quase dois anos da minha saída, fui muito bem recebido por todos e tive a felicidade de reencontrar os outros colegas também homenageados, funcionários administrativos, e, principalmente, os ex-alunos.
Semelhante às outras solenidades das quais participei naquela instituição, fiquei, em meio à alegria daqueles formandos juntos às suas famílias e amigos, fazendo uma introspecção, “viajando”, desde a minha chegada à aquela faculdade no ano de 2002, até aquele momento. Na minha silenciosa auto conversa, me questionava o porquê de todo esse reconhecimento - a quinta vez desde a minha saída - qual o verdadeiro valor e respeito dos abnegados profissionais ligados à educação, e, por conseguinte, qual o futuro daqueles formandos que investiram tanto, muitos até arriscando um duvidoso retorno para quitar as dívidas assumidas com aquela formação superior. Nas duas vertentes do pensamento fica subentendida a insanidade do mercado. De todos aos quais eu abraçava e parabenizava, ouvia as mesmas palavras ansiosas: “agora vou fazer uma pós”! Eles se referiam ao primeiro dos cursos dispostos após a graduação - a especialização - hoje, fartamente oferecidos pelo cruel mercado educacional. Infelizmente ainda não se buscou um entrosamento entre esse mercado educacional e o mercado de trabalho. Acredito que essa comunicação deveria ser coordenada pelo governo, através, prioritariamente, do Ministério da Educação, em comunhão com o Ministério do Trabalho e a Polícia Federal, envolvendo depois, todas as entidades de classe.
O que observamos atualmente, com bastantes preocupações, excetuando-se, salvo algum equívoco, a OAB, o CREA, o CRO e o CRM, são entidades meramente arrecadatórias, ou promotoras de eventos totalmente inacessíveis aos milhares de jovens que concluem a maioria dos outros cursos, mormente, aqueles divorciados do mercado de trabalho. Os intrusos que ousam exercer as profissões representadas pelas siglas mencionadas acima, quando identificados, são presos e processados pela Polícia Federal.
No caso dos administradores, a profissão ainda é exercida, impunemente, por qualquer pessoa, habilitada ou não.
Urge que o Ministério da Educação se liberte, urgentemente, das perversas amarras político partidárias e devolva à educação, mormente, a superior, o seu sentido e missão, estritamente educacionais e informativas, relacionando-a com o mercado de forma humana e racional, tratando-o como uma atividade fim.
Parabéns, novos Administradores!

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

MEDITAREZ

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Era uma vez um amigo meu, que abriu a gaveta da mesa de cabeceira da sua esposa e apanhou um pacote embrulhado em papel de arroz.
- Esse - disse o meu amigo - não é um pacote qualquer, é uma peça íntima, uma lingerie finíssima.
Abriu o pacote, jogou fora o papel, pegou na peça, e acariciou a seda macia e a renda.
- Ela comprou esta lingerie a primeira vez que estivemos em New York, uns 8 ou 9 anos atrás. Nunca a usou. Estava esperando o momento certo, a ocasião especial para poder usá-la. Bom, acho que a hora chegou...
Aproximou-se da cama e colocou a lingerie perto de outros objetos que levaria para o cemitério. A sua esposa havia morrido de repente...
O meu amigo olhou para mim e disse:
- Nunca guardes nada à espera de uma ocasião especial. Cada dia que vivemos, é uma ocasião especial.
Ainda estou pensando nas palavras que ele me disse e como mudaram a minha vida. Agora leio mais, e dedico menos tempo à limpeza da casa. Sento-me na varanda e admiro a paisagem, sem reparar se o jardim tem ou não ervas daninhas. Passo mais tempo em companhia da minha família e dos meus amigos, e bem menos tempo trabalhando para os outros.
Dei-me conta que a vida é um conjunto de experiências para serem apreciadas e não sobrevividas. Agora já não guardo quase nada. Uso os copos de cristal todos os dias. Visto roupas novas para ir fazer compras no supermercado, se estiver com  vontade de vesti-las. Não guardo o melhor frasco de perfume para as festas especiais, mas uso quando quero sentir a sua fragrância.
As frases “um dia...” e “um dia destes...”, estão desaparecendo do meu vocabulário, se vale a pena ver e ouvir é agora.
Não sei o que a esposa do meu amigo teria feito, se soubesse que não haveria amanhã, o mesmo “amanhã” que todos nós levamos tão pouco a sério. Se ela soubesse, talvez poderia ter falado com todos os seus familiares e amigos mais próximos. Ou, talvez, poderia ter chamado os velhos amigos para se desculpar, para fazer as pazes pelos mal entendidos do passado.
Gosto de pensar que, ela poderia ter ido degustar o seu prato preferido naquele restaurante chinês que tanto gostava.
São estas pequenas coisas da vida não cumpridas que me chateariam se soubesse que tenho as horas contadas. Chatear-me-ia pensar que deixei de abraçar os bons amigos que “um dia destes” reencontraria. Chatear-me-ia pensar que não escrevi as cartas que queria porque a intenção de escrevê-las era “um dias destes...”. Chatear-me-ia, e deixar-me-ia ainda mais triste, saber que deixei de dizer aos meus filhos e irmãos, com suficiente frequência, o quanto os amo.
Agora procuro não retardar, esquecer, ou conservar, algo mais que poderia acrescentar sorrisos de felicidade e alegria à minha vida.
Cada dia que passa, digo para mim mesmo, que este é um dia muito especial. Cada dia, cada hora, cada minuto que passa, é especial.