terça-feira, 21 de novembro de 2017

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

O FINADO MANOEL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O lendário Valdetário Carneiro, um dos mais temidos assaltantes que o Rio Grande do Norte já teve, tornou-se uma lenda e também teve seu dia mais descontraído quando acabou contribuindo para os Causos de Caraúbas.
Ia ele na sua pick up possante na zona rural de Apodi, quando já próximo da cidade, um senhor, meio alquebrado pelos anos, acenou pedindo carona. Valdetário prontamente atendeu o pedido, abriu a porta e facilitou a entrada do passageiro. Já aboletado e no conforto do ar condicionado o senhor começou a puxar conversa:
- O senhor vai pro Apodí?
- Vou sim - respondeu Valdetário - Vou tratar de negócios no banco...
Aí o carona, por gratidão, resolveu dar uma de conselheiro:
- O senhor tenha cuidado. Se vai tirar dinheiro no banco e andando nesse carrão, aqui por essas bandas, há muita gente perigosa por aí. Tem um tal de Valdetário Carneiro, de muita fama na região, que pode ser um grande risco, principalmente pra quem é de fora.
Valdetário riu da situação e até agradeceu:
- Obrigado, eu vou ficar atento.
Em seguida devolveu a pergunta:
- E o senhor não tem medo de estar sozinho nessa beira de estrada? E se de repente lhe aparece o tal do Valdetário Carneiro?
- Ele que venha... - completou o carona com aquela valentia de quem se sente em confortável distância do perigo.
E ainda acrescentou:
- Um homem nasceu pra outro!
Chegados ao destino, o carona já ia descendo quando resolveu fazer mais uma pergunta em meio aos agradecimentos:
- Obrigado por tudo senhor. Vá com Deus. Mas como é mesmo o seu nome?
Com toda naturalidade, Valdetário respondeu:
- Eu sou Valdetário Carneiro. E o senhor, como se chama?
Branco como um capucho de algodão, suando por todos os poros, com as pernas trêmulas e a voz embargada, o carona mal conseguiu balbuciar:
- Eu sou o finado Manoel...

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

O JARDINEIRO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Nos Estados Unidos, a maioria das residências tem, por tradição, na frente, um lindo gramado. Muito deles são motivos de orgulho dos donos das casas. A manutenção e beleza destes jardins são feitos por milhares de jardineiros, país afora, de leste a oeste.
Um dia, um executivo de marketing de uma grande empresa contratou um desses jardineiros. Quando o jardineiro chegou, o executivo viu que tinha contratado um garoto de apenas 18 anos. Claro que ele ficou surpreso, mas, mesmo assim, confiou-lhe o trabalho.
Tão logo terminou o serviço, o jovem solicitou ao executivo a permissão para utilizar o seu telefone.
Admirado com a educação do garoto, prontamente atendeu ao pedido e, muito curioso com a atitude, não pôde deixar de escutar, em viva voz, a conversa.
O garoto ligou para uma senhora e perguntou:
- A senhora está precisando de um jardineiro?
- Não, eu já tenho um - respondeu a senhora.
- Mas, além de aparar, eu também tiro o lixo...
- Isso, o meu jardineiro também faz.
- Eu limpo e lubrifico todas as ferramentas, no final do serviço...
- Mas isso, o meu jardineiro também faz.
- Eu faço a programação de atendimento o mais rápido possível...
- Ele também me atende prontamente.
- O meu preço é um dos melhores...
- Não, muito obrigada. O preço do meu jardineiro também é muito bom.
- Obrigado e boa tarde - disse o garoto encerrando a ligação.
Quando o garoto desligou o telefone, o executivo lhe perguntou:
- Você perdeu um cliente?
O jovem respondeu:
- Não, eu sou o jardineiro dela. Eu apenas estava verificando o quanto ela estava satisfeita com o meu serviço.
Como o nosso país seria diferente se os "jardineiros" que contratamos para cuidar das nossas cidades agissem de mesma forma. 

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

EXAME DE DNA

Texto de Aloisio Guimarães

Esse causo, forte e verídico, foi repassado por uma testemunha ocular do fato. Para evitar problemas, o nome da cidade onde o mesmo ocorreu será trocado para Santana do Ipanema, cidade encravada no alto sertão e interior do estado de Alagoas:
Vara de Família da cidade de Santana do Ipanema. A juíza da cidade, com toda a autoridade e respeito que o cargo lhe oferece (o povo das pequenas cidades do interior do Brasil ainda morre de medo dos juízes e promotores ), pressiona um matuto a assumir a paternidade de uma criança.
Após várias tentativas em vão ela começa a bradar, em voz alta, para que todos na sala a ouvissem e tivessem certeza da sua autoridade:
- Vai, seu cabra! Assuma, de uma vez, que o filho é seu!
- Né meu não, dotôra...
- É sim! Se você não confessar logo, mando lhe prender e lhe dar uma pisa!
- Mas, dotôra juíza, num é meu não...
- É sim senhor! Você saiu com a moça várias vezes e fez o que quis! Ouviu, bem? Fez o que bem quis, diversas vezes, e agora diz que o filho não é seu?
- Dotôra, quem peste disse isso a sinhora, dotôra?
- Foi ela, a mãe da criança...
Então, diante da declaração de tão importante "testemunha", o matuto respondeu alto, para que todos da sala também ouvissem, deixando a juíza de “saia justa”:
- É mintira dela, dotôra! Nóis só saimu um veiz e assim mermo só cumi o cu dela...
Pronto, lascou tudo! Desse dia em diante, todas as audiências de verificação de paternidade em Santana do Ipanema são realizadas às portas fechadas!

terça-feira, 7 de novembro de 2017

O QUE ELES DISSERAM OU PENSARAM

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


• D. PEDRO II
  - Eu deveria ter sido o primeiro.
• O CORCUNDA DE NOTRE DAME
- Nunca pude estudar Direito.
• ALBERT EINSTEIN
- A minha esposa tem o melhor físico do mundo!
• TIRADENTES
- Estou com um nó na garganta.
• JACK, O ESTRIPADOR
- Vamos por partes...
• O GALO
- A minha mulher é uma galinha!
• A ÉGUA
- O automóvel nunca substituirá o cavalo.
• O SUTIEN
- Levantarei os caídos e oprimirei os grandes.
• BIN LADEN
- O evento foi um verdadeiro estouro.
• KU KLUX KLAN
- Chega de humor negro! 
• ADÃO
- Você é a única mulher da minha vida!
• O CANIBAL
- Gosto da humanidade.
• DRÁCULA
- Estou com um gostinho de sangue na boca...
• ZÉ CEGUINHO
- Estou vendo tudo.
• O CORNO
- A minha mulher é uma santa!
• O POLÍTICO
- Nunca comprei voto!
• PÔNCIO PILATOS
- Eu tenho as mãos limpas!
• DO HOMEM PARA O HOMEM
- Meu amigão!

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

A PSICOLOGIA ENSINA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

A Psicologia aponta os 8 motivos pelos quais os pais são os culpados dos filhos virarem delinquentes:
1 - Pai que dá ao filho tudo que ele pede: a criança crescerá pensando que tem direito a tudo que desejar.
2 - Pai que ri quando o filho fala palavrões: a criança crescerá pensando que o desrespeito é normal e engraçado.
3 - Pai que não repreende por mal comportamento: a criança crescerá pensando que não existem regras na sociedade.
4 - Pai que limpa a bagunça do filho: a criança crescerá pensando que os outros podem assumir suas responsabilidades.
5 - Pais que deixam de assistir TV  porque o filho grita quando tira do desenho: a criança crescerá pensando que não há diferenças entre adulto e criança.
6 - Pais que deixam que os filhos ouçam músicas que vulgarizam a mulher, que estimulem sexo sem compromisso e a violência com o semelhante: precisa nem dizer o que vai resultar, né?
7 - Pais que dão aos filhos dinheiro a hora que querem: os filhos crescerão pensando que dinheiro é fácil e não hesitarão em pegar quando não conseguirem.
8 - Pais que se colocam sempre a favor do filho, independentemente de estar certo ou errado: a criança crescerá acreditando que os outros o perseguem, quando for contrariado.
Portanto, ensine à criança o caminho em que deve andar porque, quando ela for velha, não se desviará dele.

domingo, 5 de novembro de 2017

UMA HISTÓRIA DE AMOR

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Há muito tempo atrás, um casal de velhinhos que não tinham filhos, morava em uma casinha humilde de madeira, tinham uma vida muito tranquila, alegre, e ambos se amavam muito.
Eram felizes... Até que um dia aconteceu um acidente com a senhora. Ela estava trabalhando em sua casa, quando começa a pegar fogo na cozinha e as chamas atingem todo o seu corpo. O esposo acorda assustado com os gritos e vai a sua procura, quando a vê coberta pelas chamas e imediatamente tenta ajudá-la. O fogo também atinge seus braços e, mesmo em chamas, consegue apagar o fogo. Quando chegaram os bombeiros já não havia muito da casa, apenas uma parte, toda destruída. Levaram rapidamente o casal para o hospital mais próximo, onde foram internados em estado grave.
Após algum tempo aquele senhor, menos atingido pelo fogo, saiu da UTI e foi ao encontro de sua amada. Ainda em seu leito a senhora toda queimada, pensava em não viver mais, pois estava toda deformada, queimara todo o seu rosto. Chegando no quarto de sua senhora, ela foi falando:
-Tudo bem com você, meu amor?
- Sim, respondeu ele, pena que o fogo atingiu os meus olhos e não posso mais enxergar, mas fique tranquila amor que sua beleza está gravada em meu coração para sempre.
Então, triste pelo esposo, a senhora disse-lhe:
- Deus vendo tudo o que aconteceu a meu marido, tirou-lhe as vistas para que não presencie esta deformação em mim. As chamas queimaram todo o meu rosto e estou parecendo um monstro.
Passado algum tempo e recuperados, voltaram para uma nova casa, onde ela fazia tudo para o seu querido esposo, e ele todos os dias dizia-lhe:
 - Como eu te amo!
E assim viveram 20 anos até que a senhora veio a falecer.
No dia de seu enterro, quando todos se despediam, então veio aquele senhor sem seus óculos escuros e com sua bengala nas mãos, chegou perto do caixão, beijando o rosto e acariciando sua amada, disse em um tom apaixonante:
- Como você é linda, meu amor! Eu te amo muito.
Ouvindo e vendo aquela cena um amigo que esta ao lado perguntou se o que tinha acontecido era milagre e, olhando nos olhos dele, o velhinho apenas falou:
- Nunca estive cego, apenas fingia, pois quando a vi toda queimada sabia que seria duro para ela continuar vivendo daquela maneira. Foram vinte anos vivendo muito felizes e apaixonados! Na vida temos de provar que amamos! Muitas vezes de uma forma difícil E, para sermos felizes, temos de fechar os olhos para muitas coisas, mas o importante é que se faça única e intensamente com Amor!

sábado, 4 de novembro de 2017

NÃO TOME REMÉDIO A TOA

Texto de Mino Caldas

Na crença popular, o melhor remédio como calmante, é uma amante ou um diamante.
O remédio que nós deixam inativos são os laxativos. Já, no ativo, o trabalho é o curativo.
Não existe remédio para o pesadelo... Da "dor de cotovelo".
Se o remédio já foi liberado, que avisa é a ANVISA.
Para muita gente o pior remédio para "engolir" é o supositório.
O melhor remédio em gotas são as garotas. Um verdadeiro colírio.
O paradoxo da cura com o remédio do homeopata, e o que não cura: o psicopata.
O analgésico é um tipo de remédio. E o mais natural, usado em uma "viagem" medonha é a maconha. E no final a pessoa se torna artificial.
Cuidado com os remédios. E o que mais na rima contamina é anfetamina, e a vitamina de banana com Nescau.
No Brasil, os remédios são bem controlados, porque nas farmácias o balconista sabe da sua missão... Comissão.
Os médicos recomendam frutas e verduras. E os remédios mais procurados são para eliminar gordura, ou para a ereção ficar mais dura.
A pior fraude com remédio foi farinha no anticoncepcional. O agricultor plantava "a mandioca" e nascia pé de gente.
A mulher vive mais. Então, cuidado com o seu lado muito sério que, cedo o levará ao cemitério.
Rir é o melhor remédio.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

CAPITAL DE GIRO

Texto de Aloisio Guimarães

Na semana passada, recebi um texto muito interessante sobre Economia, cuja autoria eu desconheço.
Como ele se parece muito mais como uma dessas “pegadinhas”, vou publicá-lo abaixo, esperando que gostem:
Um viajante chega numa cidade e entra num pequeno hotel. Na recepção, entrega uma nota de R$ 100,00 e pede para ver um quarto. Enquanto o viajante inspeciona os quartos, o gerente do hotel sai correndo com a nota de R$ 100,00 e vai até o açougue pagar suas dívidas com o açougueiro. Este pega o dinheiro e vai até um criador de suínos a quem, coincidentemente, deve R$ 100,00 e quita a sua dívida. O criador, por sua vez, pega também a nota e corre ao veterinário para liquidar uma dívida de R$ 100,00. O veterinário, com a cédula em mãos, vai até a zona quitar a dívida com uma prostituta. Coincidentemente, a dívida era de R$ 100,00. A prostituta sai com o dinheiro em direção ao mesmo hotel, lugar onde leva seus clientes, e paga pelas acomodações que estavam atrasadas, cuja dívida era também de R$ 100,00. Ela avisa ao gerente que está pagando a conta, coloca a nota em cima do balcão e vai embora. Assim que ela sai, o viajante retorna dos quartos e diz ao gerente que o hotel não era o que ele esperava. Em seguida, ele pega os R$ 100,00 que estava em cima do balcão, agradece ao gerente e vai embora.
Ninguém ganhou ou gastou nenhum centavo, mas todo mundo pagou o que devia. Agora, todos na cidade vivem sem dívidas, com o crédito restaurado e começam a ver o futuro com confiança!
MORAL DA HISTÓRIA: Não queira entender de economia.
Como eu, Aloisio Guimarães, tenho o defeito de querer entender de tudo, tenho a minha opinião sobre esta situação inusitada, esteja certo ou errado. Ei-la:
Antes da existência do dinheiro, a economia funcionava na base da troca de um objeto por outro, chamada de “Escambo”. Como era trabalhoso, por exemplo, você andar com um saco de batatas e depois trocá-lo por um boi, foi necessário criar algum mecanismo para evitar este desconforto. O dinheiro foi criado apenas para isso e nunca para que ninguém lucrasse com ele!
O texto postado reflete uma situação que, caso acontecesse, representaria a estagnação da economia. E isso somente não acontece no nosso cotidiano porque entram no circuito os maus pagadores, os bancos, os avarentos, os agiotas...
Para ser mais claro, tentando mostrar como a economia realmente funciona, faça a seguinte experiência:
Coloque R$ 100,00 na Poupança da Caixa Econômica Federal (uma instituição financeira oficial) e, no mesmo dia, tome emprestado, na mesma agência, na forma de Cartão de Crédito, R$ 100,00, e veja o que vai acontecer se você deixar para fechar a conta no fim do ano!
E o pior: ninguém faz nada!

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

A FÁBULA DA GALINHA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Uma galinha achou alguns grãos de trigo e disse a seus vizinhos:
- Se plantarmos este trigo, teremos pão para comer. Alguém quer me ajudar a plantá-lo?
- Eu não - disse a vaca.
- Nem eu - emendou o pato.
- Eu também não - falou o porco.
- Eu muito menos - completou o bode.
- Então eu mesma planto - disse a galinha.
E assim o fez. O trigo cresceu alto e amadureceu em grãos dourados.
- Quem vai me ajudar a colher o trigo? - quis saber a galinha.
- Eu não - disse o pato.
- Não faz parte de minhas funções - disse o porco.
- Não depois de tantos anos de serviço - exclamou a vaca.
- Eu me arriscaria a perder o seguro-desemprego - disse o bode.
- Então eu mesma colho - falou a galinha.
E colheu o trigo ela mesma. Finalmente, chegou a hora de preparar o pão...
- Quem vai me ajudar a assar o pão? - indagou a galinha.
- Só se me pagarem hora extra - falou a vaca.
- Eu não posso por em risco meu auxílio-doença - emendou o pato.
- Eu fugi da escola e nunca aprendi a fazer pão - disse o porco.
- Caso só eu ajude, é discriminação - resmungou o bode.
- Então eu mesma faço - exclamou a pequena galinha.
Ela assou cinco pães e pôs todos numa cesta para que os vizinhos pudessem ver. De repente, todo mundo queria um pedaço de pão, mas a galinha simplesmente disse:
- Não, eu vou comer os cinco pães sozinha!
Ao ouvir a galinha, os outros animais logo começaram a reclamar:
- Lucros excessivos - gritou a vaca.
- Sanguessuga capitalista - exclamou o pato.
- Eu exijo direitos iguais! - bradou o bode.
O porco, esse só grunhiu.
Eles pintaram faixas e cartazes dizendo “Injustiça” e marcharam em protesto contra a galinha, gritando obscenidades, até que chegou um agente do governo e disse à galinha:
- Você não pode ser assim egoísta.
- Mas eu ganhei esse pão com meu próprio suor - defendeu-se a galinha.
- Exatamente - disse o funcionário do governo - essa é a beleza da livre empresa. Qualquer um aqui na fazenda pode ganhar o quanto quiser. Mas, sob as nossas modernas regulamentações governamentais, os trabalhadores mais produtivos têm que dividir o produto de seu trabalho com os que não fazem nada.
E todos viveram felizes para sempre, inclusive a pequena galinha, que sorriu e cacarejou:
- Eu estou grata, eu estou grata...
Agora os vizinhos sempre se perguntam por que a galinha nunca mais fez um pão... 

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

SANDUBAS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Alguns anos atrás, aquilo que para o proprietário de uma lanchonete na histórica cidade de Penedo, interior de Alagoas, era uma estratégia de marketing, para o Comandante da Polícia Militar na cidade, era uma ofensa à sua Corporação: batizar os sanduíches da casa com as patentes da Polícia Militar.
Afinal, entendeu o militar, não ficaria bem alguém chegar à lanchonete e pedir:
- Quero um "Coronel mal passado"...
Ou sair de lá dizendo:
- Acabei de comer um Sargento!
A lanchonete oferecia alguns lanches com o nome de  "Comandante" (um prato com calabresa frita), "Coronel" (filé com presunto) e assim por diante. O prato mais caro, lógico, era o "Comandante".
A brincadeira foi demais para o parco humor dos militares, que dizem que os nomes dos pratos provocavam chacotas e insinuações contra os policiais entre os moradores da cidade de 60 mil habitantes.
O comerciante foi preso e os cardápios da lanchonete foram recolhidos para avaliação.
Na delegacia foi lavrado boletim de ocorrência e, face ao tumulto havido, a casa comercial fechou durante algumas horas. Como o delegado de plantão entendeu que não havia motivo para prisão, o dono da lanchonete foi liberado horas mais tarde.
O dono da lanchonete, diz que não teve nem tem nenhuma intenção de brincar ou ofender a Corporação.
- O cardápio - garante o dono da lanchonete - pretendia ser uma homenagem à hierarquia militar.
O comerciante contratou um advogado para entrar com uma denúncia, por abuso de autoridade, contra o comandante local da PM e uma ação reparatória, por dano moral, contra o Estado de Alagoas.
Nela, vai salientar que não existe nenhum texto legal que impeça um restaurante de incluir, no seu cardápio, "Lula à milanesa", "File à cavalo" ou "Coronel mal passado", etc.
O advogado pediu habeas corpus preventivo para evitar outra detenção de seu cliente. A peça sustenta que se o argumento do Comandante fosse válido, nenhuma festa de criança poderia ter "Brigadeiro". Como se sabe, "Brigadeiro", além de ser a mais alta patente da Aeronáutica, é também o nome do docinho obrigatório em aniversário de crianças.
- Aqui, comer Brigadeiro, pode; comer Coronel, não pode! - ironizam os advogados da cidade.