sexta-feira, 28 de julho de 2017

O PADRE E A COLHER

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O padre foi a um jantar na casa de um casal que frequentava a sua igreja. Depois que ele saiu, a esposa disse ao marido:
- Eu acho que o padre roubou a nossa colher...
Esse ocorrido a incomodou durante todo o ano. No ano seguinte, o casal teve outro jantar com o padre. Incapaz de resistir, a mulher perguntou:
- Padre, o senhor ficou com a nossa colher, ano passado?
Ele respondeu:
- Não, eu a deixei dentro da sua Bíblia.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

A AFRICANA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um homem muito rico e prepotente foi até um bar em Miami. Assim que entrou, ele notou uma mulher africana (negra), sentada em um canto.  Ele foi até ao balcão, tirou a carteira e gritou:
- Barman, estou a comprar bebidas para todos neste bar, exceto para aquela mulher negra ali...
O empregado do bar recolheu o dinheiro e começou a servir bebidas grátis a todos no bar, exceto para a mulher africana.
Em vez de ficar chateada, a mulher negra simplesmente olhou para o tipo e gritou:
- Obrigada!
Isto enfureceu o homem rico. Então, mais uma vez, ele tirou a carteira e gritou:
- Barman, desta vez eu estou comprando garrafas de vinho e comida adicional para todos neste bar, exceto para aquela africana sentada ali no canto!
O garçom recolheu o dinheiro do homem e começou a servir comida grátis e vinho para todos no bar exceto para a africana.
Quando o empregado acabou de servir a comida e as bebidas, a mulher africana simplesmente sorriu para o homem e disse:
- Obrigada!
O homem ficou furioso, inclinou-se sobre o balcão e perguntou ao barman:
-  O que há de errado com aquela mulher negra? Comprei comida e bebidas para todos neste bar, exceto para ela, e em vez de ficar zangada, ela senta-se ali, sorri para mim e grita "Obrigada!". Ela está louca?!
O barman sorriu para o homem rico e disse:
- Não, ela não é louca; ela é a dona deste estabelecimento.
Que os nossos inimigos trabalhem, sem saber, a nosso favor.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

O VERDADEIRO AMOR

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um senhor de idade chegou num consultório médico para fazer um curativo em sua mão, onde havia um corte profundo. E, muito apressado, ele pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso inadiável.
O médico que o atendia, curioso, perguntou o que ele tinha de tão urgente para fazer.
O simpático velhinho lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa, que estava em um abrigo para idosos, com estágio muito avançado do Mal de Alzheimer.
O médico lhe perguntou:
- Quer dizer que hoje ela ficará muito preocupada com a sua demora?
No que o senhor respondeu:
- Não, já faz muito tempo que ela não sabe mais quem eu sou...
O médico voltou a questionar:
- Para que tanta pressa e necessidade em estar com ela todas as manhãs, se ela já não te reconhece mais?
O velhinho, então, deu um largo sorriso e, batendo de leve no ombro do médico, respondeu:
- Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei muito bem quem ela é!

terça-feira, 25 de julho de 2017

INTELIGÊNCIA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Durante uma aula de Filosofia, o velho professor, para avaliar seus discípulos, colocou uma cadeira em cima da mesa e escreveu no quadro negro a seguinte questão:
- Prove, por escrito, que esta cadeira não existe.
Imediatamente, todos os alunos começam a escrever longas dissertações sobre o tema. No entanto, um de seus alunos escreveu apenas duas palavras numa folha de papel e entregou ao professor.
Ao receber o papel, o velho mestre não conteve um largo sorriso, depois de ler o que estava escrito:
- Que cadeira?
Nota 10, no ato!
Ser uma pessoa inteligente é ter simplicidade para resolver os problemas que se apresentam!

domingo, 23 de julho de 2017

HOMENS QUE AS MULHERES ODEIAM

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


ARROBA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Todo mundo usa este símbolo na correspondência eletrônica (e-mail), mas são poucos aqueles que sabem o seu significado e origem. De agora em diante, você vai usar o "@ "sabendo tudo sobre ele:
Durante a Idade Média os livros eram escritos pelos copistas, à mão. Precursores dos taquígrafos, os copistas simplificavam o seu trabalho substituindo letras, palavras e nomes próprios por símbolos, sinais e abreviaturas. Não era por economia de esforço nem para o trabalho ser mais rápido (tempo era o que não faltava, naquela época!). O motivo era de ordem econômica: tinta e papel eram valiosíssimos.
Assim, surgiu o "til" (~), para substituir o "m" ou "n" que nasalizava a vogal anterior. Se você reparar bem, verá que o til é um "enezinho" sobre a letra, da mesma forma. por exemplo, o nome espanhol "Francisco", também grafado "Phrancisco", foi abreviado para "Phco" e "Pco", o que explica, em espanhol, o apelido "Paco".
Ao citarem os santos, os copistas identificavam-nos por algum detalhe significativo das suas vidas. O nome de "São José", por exemplo, aparecia seguido de "Jesus Christi Pater Putativus", ou seja, o pai putativo (suposto) de Jesus Cristo. Mais tarde, os copistas passaram a adotar a abreviatura "JHS PP" e depois, simplesmente, "PP". A pronúncia dessas letras em sequência explica por que "José", em espanhol, tem o apelido de "Pepe".
Já para substituir a palavra latina "et" ("e"), eles criaram o símbolo "&" (popularmente conhecido como "e comercial", em português), resultado do entrelaçamento dessas duas letras, em inglês e em latim. E foi com esse mesmo recurso de entrelaçamento de letras que os copistas criaram o símbolo "@", para substituir a preposição latina "ad", que tinha, entre outros, o sentido de "casa de".
Foram-se os copistas, veio a imprensa, mas os símbolos "@" e "&" continuaram firmes nos livros de contabilidade. O "@" aparecia entre o número de unidades da mercadoria e o preço. Por exemplo: o registro de contabilidade 10@£3 significava 10 unidades, ao preço de 3 libras, cada uma. Nessa época, o símbolo "@ "significava, em inglês, "at" ("a" ou "em").
No século XIX, na Catalunha (nordeste da Espanha), o comércio e a indústria procuravam imitar as práticas comerciais e contabilísticas dos ingleses. E como os espanhóis desconheciam o sentido que os ingleses davam ao símbolo "@" ("a" ou "em"), acharam que o símbolo devia ser uma unidade de peso. Para isso, contribuíram duas coincidências:
1. a unidade de peso comum para os espanhóis, na época, era a "arroba", cujo inicial lembra a forma do símbolo;
2. os carregamentos desembarcados vinham frequentemente em fardos de 1 arroba. Por isso, os espanhóis interpretavam aquele mesmo registro de 10@£3 assim: dez arrobas custando 3 libras cada uma. Então, o símbolo "@" passou a ser usado por eles para designar  a "arroba" (medida de peso).
A etimologia do termo "arroba" vem da palavra árabe "arruba", que significa a quarta parte: 1 arroba (15 kg, em números redondos) correspondia a 1/4 de outra medida de origem árabe, o "quintar", que originou o vocábulo português "quintal", medida de peso que equivale a 58,75 kg.

sábado, 22 de julho de 2017

A MATEMÁTICA E O SEXO

Texto de Aloisio Guimarães

Mesmo que você não goste de matemática, deve gostar de transar, a menos que...
Veja agora o resultado dessa interessante sequência e cálculos matemáticos, válida apenas para o ano 2017:
• Escolha o número de vezes que você diz que transa durante a semana. Para que você não minta, dizendo que é um garanhão, escolha somente de 1 a 10.
• Pegue o número que você diz que transa por semana e multiplique por 2. Afinal, ninguém transa sozinho.
• Pegue o resultado encontrado e some com 5 (5 é o número de dedos da sua mão, sacou a indireta?).
• Pegue agora este resultado e multiplique por 50 (50 cinquenta é resultado da multiplicação do número de dedos da sua mão, pela quantidade de dedos das suas duas mãos. Quem sabe você não é canhoto. Sacou novamente?).
Agora, preste atenção:
• Se você já fez aniversário, some o último resultado com 1767; se não fez ainda aniversário, some com 1766.
• Por fim, subtraia, do novo resultado, o ano que você nasceu (os quatros dígitos).
Pronto: agora você tem um resultado com três dígitos:
• O primeiro deles é número de vezes que você mentiu, dizendo que transa por semana.
• Os dois últimos representam a sua idade.
LEMBRE-SE:
- Coma (ou dê) com responsabilidade...

sexta-feira, 21 de julho de 2017

ALMOÇO COM DEUS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Um menino queria conhecer Deus. Sabia que teria que fazer uma grande viagem para chegar aonde Ele vive; por isso guardou na sua maleta pastéis de chocolate e refrescos de fruta.
E começou a sua viagem…
Quando tinha caminhado durante horas, encontrou-se com uma velhinha, que estava sentada em um banco do parque, sozinha, contemplando,  silenciosamente, umas pombas que bicavam migalhas de pão que ela lhes atirava. O menino sentou-se junto dela e abriu a sua maleta...
Ele começou a beber um dos seus refrescos, quando notou que a velhinha o olhava. Então, ofereceu-lhe um refresco. Ela, agradecendo, aceitou-o e sorriu. O seu sorriso era muito belo, tanto que o menino quis vê-lo de novo; para isso, ofereceu-lhe um dos seus pastéis. De novo, ela sorriu. O menino estava encantado; e ficou, durante toda a tarde, junto dela, comendo e sorrindo, mesmo sem dizer qualquer palavra.
Quando escureceu, o menino levantou-se para ir embora. Deu alguns passos, mas logo se parou; voltou atrás, correu para a velhinha e abraçou-a. Ela, depois de o abraçar, dedicou-lhe o maior sorriso da sua vida.
Quando o menino chegou a casa, a sua mãe ficou surpreendida com o rosto de felicidade que ele manifestava. Então, perguntou-lhe:
- Filho, que fizeste hoje para vires tão feliz?
O menino respondeu-lhe:
- Hoje almocei com Deus!
E, antes que sua mãe reagisse, acrescentou:
- E, sabes, tem o sorriso mais belo como nunca vi!
Entretanto, a velhinha, também radiante de felicidade, regressou à sua casa.
O seu filho, ao vê-la, ficou  surpreendido com a expressão de paz que se refletia no seu rosto e perguntou-lhe:
- Mamãe, que fizeste hoje que vens tão feliz?
A velhinha respondeu-lhe:
- Comi pastéis de chocolate com Deus, no parque!
E, antes que o filho lhe respondesse, acrescentou:
- E, sabes, é mais jovem do que eu pensava!
Todas as pessoas chegam às nossas vidas por uma qualquer razão, seja apenas durante um certo tempo ou seja para toda uma vida. Recebe-as a todas por igual.
- Ah! Não te esqueças de almoçar sempre com Deus!

quinta-feira, 20 de julho de 2017

A RECEITA PERFEITA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
 
O telefone toca e a dona da casa atende:
- Alô... Senhora Silva, por favor.
- Pois não, é ela quem fala.
- Senhora Silva, aqui é o Dr. Arruda, do laboratório do SUS. Ontem, recebemos o material de biopsia do seu marido Antônio Silva, só que também chegou aqui um material de outro Antônio Silva. Por causa das dificuldades de controle aqui no laboratório, agora não sabemos qual é o do seu marido.
- E já tem os resultados?
- Bem, um dos exames deu positivo para Alzheimer e outro deu positivo para AIDS.
- E vocês podem repetir esses exames? Porque eu não posso pagar particular!
- Não podemos refazer, porque o SUS não paga a repetição de exames caros como esses.
- E agora, doutor, o que o senhor me aconselha a fazer?
- De imediato, leve seu marido para algum lugar bem longe da sua casa e deixe-o por lá. Se ele conseguir achar o caminho de volta, não faça mais sexo com ele...

quarta-feira, 19 de julho de 2017

O AÇÚCAR E A CACHAÇA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES


Contam que, certo dia, Jesus Cristo estava passeando pelo nordeste alagoano, lá pras banda de União dos Palmares, município da zona da mata alagoana, região dominada pela plantação de cana de açúcar, num dia de sol muito quente, tudo seco, terra rachada... O trocadilho é inevitável: um calorão dos diabos!
O “filho do Homem” estava morrendo de fome e sede... De repente, Ele avistou um canavial, todo verdinho... Uma coisa divina!
Jesus Cristo, então, se sentou debaixo de uma sombra, entre as palhas das canas, refrescando-se do calor e descansando. Ele pegou uma das canas, descascou, chupou os gomos, matando a sua sede e fome.
Antes de seguir o seu caminho, Ele abençoou as canas, prometendo que delas o homem haveria de tirar um alimento bom e doce.
No dia seguinte, o diabo saiu das profundezas do inferno, com os chifres e o rabo queimados pelo fogo, e resolveu galopar pelas estradas nordestinas... Quis o destino que ele fosse passar pelo mesmo canavial por onde Jesus tinha passado no dia anterior. Mas, desta vez, as canas soltaram pelos. Ao chupar uma cana, o caldo estava tão azedo que queimou a garganta do satanás. O diabo ficou furioso e prometeu que da cana o homem tiraria uma bebida tão ardente como as caldeiras do inferno.
E assim é que, da cana, se tira o açúcar, bênção de Nosso Senhor, e a cachaça, maldição do Cão.

terça-feira, 18 de julho de 2017

O DICIONÁRIO DOS PRAZOS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Para evitar que estrangeiros reclamem de qualquer demora nossa, está sendo editado o "Dicionário Brasileiro de Prazos", que já deveria estar pronto, mas atrasou. Dele, conseguimos extrair os trechos a seguir:
DEPENDE
Envolve a conjunção de várias incógnitas, todas desfavoráveis. Em situações anormais, pode até significar "Sim", muito embora, até hoje, tal fenômeno só tenha sido registrado em testes teóricos de laboratório. O mais comum é que signifique diversos pretextos para dizer "Não".
JÁ JÁ
Aos incautos, pode dar a impressão de ser duas vezes mais rápido do que "Já". Mas é um tremendo engano: é muito mais lento. "Faço já" significa "Passou a ser minha primeira prioridade", enquanto que "Faço já já" quer dizer apenas "Assim que eu terminar de ler meu jornal, prometo que vou pensar a respeito".
• LOGO
"Logo" é bem mais tempo do que "Dentro em breve" e muito mais do que "Daqui a pouco". É tão indeterminado que pode significar algo que levará séculos para acontecer, como, por exemplo, "Logo chegaremos a outras galáxias". É preciso também tomar cuidado com a frase "Logo eu?", que quer dizer "Tô fora!".
NO MÊS QUE VEM
É tão simples entender que parece coisa de estudante de primeiro grau, mas ainda tem estrangeiro que não assimilou. Existem só três tipos de meses: aquele em que estamos agora, os que já passaram e os que ainda estão por vir. Portanto, todos os meses, do próximo até o Apocalipse, são meses que vêm!
NO MÁXIMO
Essa é fácil: quer dizer "No mínimo". Por exemplo: "Entrego, no máximo, em meia hora", significa dizer que a única certeza é de que a coisa não será entregue antes de meia hora.
• PODE DEIXAR
Curto e grosso: traduz-se como "Nunca".
POR VOLTA DE
Similar a "No máximo". É uma medida de tempo dilatada, em que o limite inferior é claro, mas o superior é totalmente indefinido. "Por volta das 5 h" quer dizer "Somente depois das 5 h".
AMANHÃ, SEM FALTA
É uma expressão que só se usa depois do terceiro atraso. Depois do primeiro atraso, deve-se dizer "Fique tranquilo que amanhã eu entrego." E depois do segundo atraso, "Relaxa, amanhã estará em sua mesa.". Só aí é que vem o "Amanhã, sem falta.".
TÁ SAINDO
É a mesma coisa que dizer "Vai demorar". Demorar e muito! Não adianta bufar. Os dois verbos juntos indicam tempo contínuo. Não entendeu? significa dizer que "continue esperando...".
TÔ CHEGANDO
Tem o mesmo prazo de espera do "TÁ SAINDO".
UM MINUTINHO
É um período de tempo incerto e não sabido, que nada tem a ver com um intervalo de 60 segundos e raramente dura menos que meia hora.
VEJA BEM
É o "day after" do "DEPENDE". Significa "Viu como pressionar não adianta?" É utilizado quando alguém cobra, por exemplo, "- Mas você não prometeu os cálculos para hoje?" e tem como resposta "- Veja bem...". Se dito neste tom, após a frase "Não vou mais tolerar atrasos.", exprime dó e piedade por tamanha ignorância sobre nossa cultura.
ZÁS-TRÁS
Palavra em moda até uns 50 anos atrás e que significava ligeireza no cumprimento de uma tarefa, com total eficiência e sem nenhuma desculpa. Por isso mesmo, caiu em desuso e foi abolida do dicionário.
- Agora, veja bem, amanhã, sem falta, logo cedinho, por volta das 5 horas da matina, no máximo, estarei aqui...

segunda-feira, 17 de julho de 2017

ELAS NA HORA DO SEXO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
• A ASMÁTICA
- Uhh... uhhh... uhhh...
• A CAIPIRA
- Ai, égua! Ai, égua! Ai, égua!
• A CORINTHIANA
- Não para! Não para! Não para!
• A COZINHEIRA
- Mexe! Mexe! Mexe!
• A DEGUSTADORA
 - Ai, que delicia! Ai, que delicia! Ai!
• A DESINFORMADA
- O que é isso?! O que é isso?! O que é isso?!
• A FLANELINHA
- Vem! Vem! Vem!... Aí, tá bom! Aí, tá bom! Aí, tá bom!
• A GEÓGRAFA
- Aqui! Aqui! Aqui!
 • A GULOSA
- Eu quero tudo! Vai, bota tudo! Bota tudo!
• A HOMICIDA
 - Se você parar agora, eu te mato! Eu te maaaaaatooo! Eu te maaaaaatooo!
• A MALUCA
- Você tá me deixando doida! Você tá enlouquecendo! Ai, tô ficando doida!
• A MATEMÁTICA
- Mais! Mais! Mais!...
• A MATUTINHA
- Ôxente!  Ôxente! Ôxente!.
• A NARRADORA
- Eu vou gozar! Eu vou gozar! Eu tô gozando! Eu tô gozando… Gozeeeiiii!!!
• A NEGATIVISTA
- Não! Não! Não!
• A NORDESTINA
 - Eita, gôta serena! Eita, gôta serena! Eita, gôta serena!
• A PORNOGRÁFICA
- Me fode, filho da puta! Puta que pariu! Me fode, vai!
• A POSITIVISTA
- Sim! Sim! Sim!
• A POFESSORA
- Sim, isso! Isso mesmo! Exato!
• A PFORFESSORA DE INGLÊS
- Oh, yes! Oh, yes! Oh, yes!
 • A PSICÓLOGA
- Freud! Freud! Freud mais!
• A RELIGIOSA
- Ai, meu Deus! Ai, meu Deus! Ai, meu Deus!
• A SENSITIVA
- Ai, tô sentindo! Ai, eu tô sentindo! Ai, tô sentindo!
• A SERPENTE INDIANA
 - Ssssssssss... Ssssssssss... Ssssssssss...
• A SORVETEIRA
- Ai Kibon! Ai Kibon! Ai, Kibon!
• A SUICIDA
- Eu vou morrer! Eu vou morrer! Eu vou morrer!
 • A TORCEDORA
- Vai! Vai! Vai!
• A ZOOTECNISTA
-Vem, meu macho! Vem, meu macho! Vem, meu macho!
• A ESPOSA
- Olha só que droga, a peste a empregada não limpou o lustre!

domingo, 16 de julho de 2017

ÉTICA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Numa tarde ensolarada, decidiu levar seus filhos ao circo. Ao chegar à bilheteria, pergunta:
- Olá, quanto custa a entrada?
O vendedor responde:
- Trinta reais, para adultos, e vinte reais, para crianças de 7 a 14 anos. Crianças até 6 anos não pagam. Quantos anos eles têm?
E o pai responde:
- O menor tem 3 anos e o maior 7 anos.
Com um sorriso, o rapaz da bilheteria diz:
- Se o senhor tivesse falado que o mais velho tinha 6 anos, eu não perceberia, e você economizaria R$ 20,00.
E o pai responde:
- É verdade, pode ser que você não percebesse, mas meus filhos saberiam que eu menti para obter uma vantagem e jamais se lembrariam desta tarde como uma tarde especial.
E finaliza:
- A verdade não tem preço. Hoje deixo de economizar R$ 20,00 que não me pertenceriam por direito, mas ganho a certeza de que meus filhos saberão a importância de sempre dizer a verdade!
O atendente permaneceu mudo… Também ele teria uma tarde especial para se lembrar.
Essa história ilustra uma cena em que os filhos presenciam uma atitude correta do pai. A história nos permite perceber que nada deve substituir a verdade; educar é dar o exemplo; jamais devemos fazer pequenas concessões à mentira, o preço é alto demais; as palavras convencem, mas o exemplo arrasta; o exemplo é tudo.